Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Materiais Construção > Pisos flutuantes

Pisos flutuantes

Visitas: 26
Comentários: 6
Pisos flutuantes

Os pisos flutuantes possuem alta resistência, são compostos de substratos (HPP/HDF) com contrabalança e revestidos com papel decorativo.

Foram chamados de flutuantes por ter sido este o termo encontrado para definir pisos que não são pregados ou colados no contra-piso, ou seja, eles são fixados por meio de seus encaixes macho e fêmea com cola a base de pva.

Para melhor entender de onde vem a resistência destes pisos:
O HPP é um painel de partículas de eucalipto termo-fixadas com resina.
Sua superfície é coberta com um revestimento decorativo impregnado, o que confere o padrão do piso, o HDF é a folha de laminado de papel fotográfico de alta qualidade com imagem de madeira.
Sobre o papel decorativo é aplicado o Overlay, que nada mais é do que a camada de proteção do piso.
E a contra face é revestida de papel Kraft, que é colocado no local com resina balanceadora.

Sua colocação deve ser feita por mão de obra especializada, preferencialmente indicada pelo fabricante, pois assim o consumidor não corre o risco de perder as garantias do produto e nem o desperdício de lâminas.

A conservação deste piso requer alguns cuidados como evitar objetos cortantes sobre o piso, os rodízios dos móveis devem ser feitos de poliuretano, os pés dos móveis revestidos com feltro, se derramado água sobre o piso o mesmo deve ser enxugado o mais rápido possível para evitar o inchamento deste e em caso de haver cupins no local de instalação, uma descupinização deve ser feita.

A limpeza pode ser feita com aspirador de pó (sendo que não pode raspar a lâmina), podem ser utilizadas também vassouras de cerdas macias e um pano úmido bem torcido. Semanalmente a limpeza pode ser feita com produtos como Veja ou Lysol, nunca utilizar produtos abrasivos. Não é recomendada a utilização de ceras, por gerarem camadas de gordura sobre o piso, o que gradativamente dificultara a limpeza.

Sua utilização requer alguns acessórios tais como rodapé 50 mm, perfil piso – parede, cordão, perfil T e frontal de escada.

As vantagens:
Instalação rápida e pratica
Maior estabilidade dimensional quando exposto ao calor e umidade
Resistência à queima por pontas de cigarros
Boa proteção contra atritos, riscos e marcas de sapatos de salto alto.

As desvantagens:
Dificuldade de conserto em casos de rasgos ou arranhões
Para remover imperfeições, fazer reparos ou retoques deve-se utilizar produtos apropriados e do mesmo fabricante do piso, preferencialmente trocar a peça.
Pode ser danificado por umidade excessiva
Não existe forma de restauração


Fabiane Martello

Título: Pisos flutuantes

Autor: Fabiane Martello (todos os textos)

Visitas: 26

791 

Imagem por: Patrick Hoesly

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 6 )    recentes

  • Andressa

    05-08-2014 às 17:42:07

    Qual a diferença entre o piso HPP e o piso HDF? tem diferença de qualidade e durabilidade?

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    05-08-2014 às 22:15:31

    O HDF possui alta densidade, com duas faces lisas, o que pode ser usinada. Pode ser curvado, possui a espessura fina, é especialmente utilizado como divisórias de portas, bem como na fabricação de móveis. É um painel muito versátil!
    O HPP é 100% de madeira reflorestada, por isso, ele é ecologicamente correto. Possui maior durabilidade que o HDF. É confortável em qualquer temperatura, fácil de limpar e manter.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    12-05-2014 às 04:50:09

    Os pisos flutuantes são bem interessantes e conhecendo ainda as vantagens e desvantagens deu para avaliar se é um bom negócio ou não.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • RafaelRafael

    10-02-2011 às 13:22:46

    Qual a diferença entre o piso HPP e o piso HDF? tem diferença de qualidade e durabilidade? gostaria da resposta.
    abraços

    ¬ Responder
  • AnaAna

    18-10-2010 às 00:48:53

    Gostaria de saber qual a diferença entre piso flutuante e piso laminado. E qual site que consigo material para verificar informação. Obrigado, aguardo retorno pelo e-mail da minha colega.

    ¬ Responder
  • Jade BandeiraAna Paula Lages

    12-02-2010 às 10:20:58

    Obrigado é muito interesante.

    ¬ Responder

Comentários - Pisos flutuantes

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Habitação – Evolução qualidade/Preço

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Alojamento
Habitação – Evolução qualidade/Preço\"Rua
Hoje vivemos dias muito complicados do ponto de vista económico, uma vez que a nossa sociedade moderna consumista tem acarretado para as famílias a triste ideia de que temos que possuir tudo o que existe para ser possuído.

Relativamente ao assunto especifico da habitação, com o passar dos tempos, as pessoas têm adquirido as suas casas em função do que há no mercado, e este mercado tem evoluído de uma forma perigosa em termos de custos; o que quero dizer com isto, é que há vinte anos atrás, encontrávamos apartamentos no mercado, e tenho por base um apartamento T3 que tinha 3 quartos conforme a tipologia descrita, naquele tempo uma cada de banho, uma sala de estar/jantar conjunta e talvez uma varanda, hoje o mesmo apartamento terá os três quartos, a sala, duas casas de banho das quais uma poderá estar num dos quartos a que passou a chamar-se suite, este apartamento hoje, tem forçosamente que ter pré instalação para aquecimento central, lareira com recuperador de calor, e muito provavelmente aspiração central, ou pelo menos a pré instalação… Assim, quem compra um apartamento hoje, apesar das dimensões de cada divisão estarem diminuídas, o preço foi muito incrementado pelos extras, e depois há ainda que adquirir uma caldeira para fazer funcionar a tal pré-instalação de aquecimento central, os radiadores porque sem eles o dito não funciona, naturalmente o trabalho do técnico… há ainda que adquirir em muitos casos o aspirador propriamente dito para fazer funcionar a aspiração central, e algumas coisas mais, acessórios dos quais, antes não tínhamos necessidade.

Não quero dizer com isto, que estes equipamentos não são úteis, são, mas e aquelas pessoas que compraram os seus apartamentos há uns tempos, cujos espaços não dispunham destas “modernices” como viveram? Como vivem hoje? Provavelmente aqueles que tiveram disponibilidade económica para isso, colocaram nas suas habitações, aquilo que julgaram necessário, não colocaram aquilo que não lhes é útil de todo, por outro lado aqueles que não tiveram disponibilidade económica vivem sem os equipamentos em questão, ou colocam um equipamento à dimensão das suas possibilidades. O real problema é que os referidos equipamentos valorizaram muito mais as habitações em termos de preço de compra do que o valor real dos mesmos, e as pessoas, estão apagar vinte ou trinta anos, para não dizer mais, um bom valor acima do que pagariam sem estas coisas, além disso comprariam aquilo que quisessem e pudessem.

Para além do exposto, a qualidade de construção e acabamentos não melhorou, antes pelo contrário. Hoje o valor das casas está a decair rapidamente, e as pessoas em geral vivem em casas cujos valores atuais de mercado são muito inferiores ao que estarão a pagar durante muito tempo…

Naturalmente o mercado poderá mudar, mas não é esse o caminho que parece seguir.

Pesquisar mais textos:

Ana Sebastião

Título:Habitação – Evolução qualidade/Preço

Autor:Ana Sebastião(todos os textos)

Imagem por: Patrick Hoesly

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    21-04-2014 às 17:09:01

    A compra seja de apartamento ou casa estão mais caras e nem sempre oferecem serviços como mostram na divulgação. Não é bom financiar, pois custará o dobro. Realmente, o melhor a fazer é buscar preços que têm condições de pagar ou aderir a um consórcio.

    ¬ Responder
  • Sofia Nunes 13-09-2012 às 17:07:44

    Na minha opinião e de acordo com o que tenho observado, a relação qualidade/preço das habitações está a melhorar. E isso não é necessariamente bom, uma vez que é resultado da crise económica. Como refere, o valor das casas está a descer, pelo que se pode comprar uma vivenda pelo preço que há uns anos era de um apartamento. O problema é que, apesar de as casas estarem mais baratas, os compradores não têm dinheiro.

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios