Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > Madonna

Madonna

Categoria: Biografias
Madonna

A Rainha da Música Pop

Nascida a 16 de Agosto de 1958 em Bay City, Madonna Louise Veronica Ciccone, a Material Girl é a cantora mais rica e mais bem paga do mundo. É ainda a artista mais premiada no mundo da música. Conhecida por ser polémica, conquistou o mundo com a sua postura ousada.

Filha de um engenheiro americano com raízes italianas e de uma mãe com raízes em França e no Canadá, vivia nos subúrbios de Detroit, com quatro irmãos. Tinha cinco anos quando a mãe morreu com cancro da mama.

O pai voltou a casar. Aos 14 anos começou a frequentar aulas de dança, contra vontade do pai. Em 1976 terminou o ensino secundário e ingressou na Universidade de Michigan no curso de dança.

Só que abandonou os estudos e foi viver para Nova Iorque, procurando singrar na dança. Entretanto casa com Sean Penn, aos 27 anos, mas só dura três anos. Torna-se ainda uma seguidora da Cabala, quebrando a sua ligação com um estilo de vida não tão saudável que vinha a ter tido ao longo de tantos anos e dedicando-se à ajuda humanitária e ao espalhar de uma mensagem de igualdade nas nações em estado de guerra.

Em 1980 fundou a banda “Breakfast Club”, que durou menos de um ano. Em 1982 é finalmente contratada pela Sire Records. Um ano depois é lançado o primeiro single “Everybody”. Em 1984 edita o segundo álbum, “Like a Virgin”, causou polémica com a actuação dela vestida de noiva a rolar pelo chão.

O certo é que a partir dai não parou e em 1985 alcançou fama mundial com “Material Girl” e “Crazy for You”. Corria 1991 e edita o documentário “In Bed with Madonna” e ganha um Grammy.

No ano seguinte lança o livro “Sex” e um novo disco “Erotica”. Em 2003 influenciada pelas tensões entre os EUA e o Iraque. Assim foi tentando mandar abaixo todo o tipo de tabus e formas de pensamento que não fizessem possível a paz e equilíbrio entre nações em guerra.


Bruno Jorge

Título: Madonna

Autor: Bruno Jorge (todos os textos)

Visitas: 0

604 

Comentários - Madonna

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios