Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Falas do Coração

Falas do Coração

Categoria: Literatura
Falas do Coração

Me Encontrar
Me encontrar em seu coração
Tão grande quanto todo o univerrso
Impestiado pela escuridão
Como demonstração do seu ódio
Causada pela sanguessuga depressiva
Da ilusão que sem um pingo se quer
De compaixão para uma história triste cantar
Com louvor a tudo que de ruim deseja à
Essa eloquente,
Tangente e
Imensa paixão que desde o seu príncipio
Fez-se esquivar da solinitude e plenitude
Sarcástica da insana solidão.

Empesteado
Empesteado está esse couro
Cabeludo desgrilhado que aos poucos
Vai caindo por decorrência de tantos desleixos,
Descuidos que tudo poderia
Ser diferente,
Como o submundo perfeito
Sem que os malditos piolhos progridam,
Empesteam e
Desvalorizam o couro cabeludo
De quem desgrenhado tenha o cabelo.

O Valor
O valor que tem esse seu amor
Nada o paga por ninguém a não ser apenas
Pelo seu coração que apenas ao seu completa
Já que é tão único esse prazer de ao
Seu lado estar sempre mesmo que muitas vezes,
Encho um balão de tanta chatice,
Porém é impossível controlar esse tão intenso
Sentimento que apenas ao meu coração
Pode acrescentar com exatidão
Esse tão intenso calor sentida apenas
Ao estar ao seu lado já que ao meu coração
Nada melhor existe de bom no mundo do
Que ter como presente de Deus a sua companhia
E nada é tão enriquecedor essa linda devoção
Com a qual seu coração.

Nesta Vida
Nesta vida um alavanche parece
Me invadir de sensações estranhas,
De emoções retraídos aos meus
Delicados,
Sinceros desejos de como homem
Que é de ter em meus braços para poder
Cobrir-te de beijos de tal qual intensidade,
Tal qual é esse eloquente calor remediado pelo
Fogo que ao meu coração incendeia de tal maneira
E proporção inexplicável,
Em um tamanha tão quão imenso
Que o faz ser impossível calcular.

Iguais
Iguais são os nossos corações
Que se completam até que uma constelação
De sonhos formemos nessa imensidão
Preenchida pelo vazio,
Ao mesmo tempo com a eternidade
Da alma de quem a Deus seegue tão cegamente
Como outro ponto de equilibrio entre a vida e a morte
Não mais se houvesse o exílio da maldição
Que com requinte de crueldade se esquece
De singelos valores para trancafiando-me em uma
Imensidão dismensurado por sonhos que
Juntos sonhamos jamais ter que viver por obrigação
Igual ao insano e lúdico silêncio que me
Repreende na escuridão e na ilusão.

No Silêncio
No silêncio dessa imensidão
Procuro até encontrar o mínimo
Do resquício que me faça enxergar
Uma insignificante chance do nosso amor
Que nessa terra propere
Mesmo que tantas pragas parece
Impestiar o nosso futuro nesse silêncio
Que somente ajuda essa imensa escuridão
Fazer temer o amor que somente tem a se agigantar
Sem a mínima insgnificância,
Nessa proporção que chega a fazer
Finalmente sonhar com a etetrnidade dessa paixão
Sem que nunca meu coração acorde castigado pela
Ilusão defendida por um sonho que em
Questão de poucos segundos vira em um grande pesadelo.


Kaique Barros

Título: Falas do Coração

Autor: Kaique Barros (todos os textos)

Visitas: 0

0 

Comentários - Falas do Coração

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios