Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Poemas

Poemas

Categoria: Literatura
Visitas: 4
Comentários: 7
Poemas

A Carência

A carência de um
abraço apertado,
de um beijo bem
beijado para se
nunca mais esquecer,
um toque suas de
suas mãos que me
remete a cura para
tantas dores do
meu coração que
despedaçada vive
sob respiração
de aparelhos,
a carência não se
reflete apenas em
coisas materiais de
grande,
médio ou
pequeno porte de
valor que qualquer
nota de dez reais possa
suprir [...]
Minha carência se
apossou de minha alma
e do meu coração que
ao seu abandono se permitiu
perder-se em uma multidão
de ilusórios,
uma multidão que de paixões
que em corações nenhum se é
possível encontrar ou
possuir.

Poluí

O amor excessivo,
a paixão ardente até o
último suspiro,
a ilusão sem fim
que ilude a eternidade
de uma paixão que terá
o infinito dos anos [...]
Até o fim da vida,
poluí a alma pensar nas
severas duras carnais
de um coração tão
judiado pela dureza que a
vida lhe proporciona [...]
A minha carência remete
a uma vida sem amor,
sem carinhos,
sem cheiros de rosas
e nem beijos tão doce quanto
o mel [...]
As vezes a vida e
coração nos crucifica colocando-nos
de frente com o único destino
que sem piedade nos corrói.

O Infinito

O infinito da alma
com suas manchas
eternas,
suas marcas que faz-lhe
chorar tanto de emoção,
quanto de ilusão que nos
faz cair no espanto de uma
destruição que nada e
nem ninguém possa ajudar
na limpeza[...]
Na purificação da alma
que sem suas sub-consciências
reverte,
que nem a santidade
de um anjo,
a magia da alegria de
uma criança faz esquecer e
a inocência de um bebê
que se perde.

Uma Paixão

Uma paixão é como
uma vida,
uma vida que remete
ao coração que deixa
vazar paixão que fica
escasso,
que fica desolado
de um mundo em que
a perfeição serena,
concreta,
abstrata ao nosso
coração existe
gerando um fogo
que arde sem se ver
[...]
Um fogo que sendo
verdadeiro nada
à destrói,
nada lhe faz desmoronar
até porquê um castelo
construído pelo fogo
da paixão lhe enriquece e
faz-lhe sonhar com um
mundo sem injustiças.

Injustiças

Injustiças seria não poder amar,
seria não poder lhe proporcionar o que à de
melhor em meu coração,
seria não poder lhe deixar
sentir o prazer de te amar,
seria eu cair nas garras de uma
ilusão que sem fim me detona,
que sem fim polui-me,
que sem fim me mata crucificado
na cruz de cristo,
me sufoca a ponto de fazer-me
perder o sentido e o
rumo da vida que era para se viver,
que era para se clamar e
declamar a maior riqueza que
faz do meu humilde coração
sua residência,
que faz da minha vida suavizar
e assim concretizar e
Realizar
[...]
Injustiça seria se você fosse
impedido de falar o quer,
fazer o que quer,
realizar o que lhe faz
realizado e
desejar o que é desejado.


Kaique Barros

Título: Poemas

Autor: Kaique Barros (todos os textos)

Visitas: 4

667 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 7 )    recentes

  • Kaique BarrosKaique Barros

    27-03-2015 às 20:01:33

    Eu que agradeço por lerem-me e gostarem. Muito obrigado!

    ¬ Responder
  • Brunah Gonçalves.

    26-04-2014 às 20:40:14

    Belos poemas... Profundos, como sempre.
    Parabéns, meu querido.
    Ver sua paixão pela escrita é uma delícia de visão e percepção.
    Um beijo. :)

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoZé Eduardo

    18-04-2014 às 23:06:56

    Maravilha muitos poemas muito profundos ....parabéns

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    18-04-2014 às 22:24:05

    Poema é sempre inspirador. A Rua Direita o parabeniza pelos excelentes poemas.

    ¬ Responder
  • Kaique BarrosKaique Barros

    06-03-2016 às 21:24:42

    Poxa vida! Obrigado por esse reconhecimento, pois respiro a POESIA.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoCatarina

    18-04-2014 às 10:49:28

    O poema que mais gostei foi "Uma Paixão " , muito agradável e inspirado...parabéns

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãojorge

    18-04-2014 às 00:01:48

    gostei , deu para refletir, pensar, imaginar...obrigado

    ¬ Responder

Comentários - Poemas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios