Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Desporto > A história do atletismo em Portugal - a ditadura e pós-ditadura

A história do atletismo em Portugal - a ditadura e pós-ditadura

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Desporto
Visitas: 4
Comentários: 1
A história do atletismo em Portugal - a ditadura e pós-ditadura

Com a chegada da ditadura militar em Portugal, o desporto fica quase à míngua. Num país cada vez mais fechado pela ditadura centralizada no fomento nacional, as hipóteses de progredir para além das barreiras nacionais tornam-se quase nulas. Aos poucos, o atletismo apercebe-se que o mundo lá fora é inalcançável. Os campeonatos nacionais são os que chamam a atenção da população, nomeadamente, o duelo entre os maiores clubes do país (Benfica – Sporting).

António Sarsfield, Mário Porto, Palhares da Costa, Martins Vieira, Jaime Mendes, Manuel Dias e Guilherme Espírito Santo são nomes que se destacaram durante a década de 20 e de 30.

A Guerra interrompe entretanto o decurso normal das competições internacionais. Vemos aparecer indivíduos como Francisco Bastos, que foi recordista nacional dos 400 m e 2000 m, Joaquim Branco, que conseguiu alguns recordes nacionais dos 1000 m e dos 5000, Álvaro Dias, Tomás paquete e Matos Fernandes.

Em 1950, Tomás Paquete, Luís Alcide e Álvaro Dias foram para Bruxelas, na Bélgica. Os dois primeiros não possam das eliminatórias e Álvaro Dias é apurado para a final no salto em comprimento, ficando na 4ª a posição.

Pouco tempo depois apareceu José Araújo, um maratonista que se destacou no Campeonato da Europa. Foi a Berna e ficou em 8º lugar. Nessa altura, na pista o domínio pertencia a Manuel Faria, recordista nacional.

Quando Faria saiu do circuito, apareceu Manuel Oliveira, que viria a ser reconhecido só a 17 de outubro de 1964, nos Jogos Olímpicos de Tóquio, onde o português ficou próximo do pódio. Quatro anos mais tarde, nos Jogos Olímpicos do México, Manuel Oliveira afundou-se devido aos problemas de altitude muito comuns nestes países.

Em agosto de 1975, Carlos Lopes, em Zurique, supera o seu recorde nacional dos 5000 M e fica em 3º lugar. Nos Jogos Olímpicos de 1976, destacaram-se Carlos Lopes e Fernando Mamede, que conseguiram algo inédito: dispensa dos empregos para puderem treinar, para além de começarem a receber uma bolsa como atletas pré-olímpicos. Em agosto de 1975, Carlos Lopes, em Zurique, supera o seu recorde nacional dos 5000 M e fica em 3º lugar. Em 1976, Carlos Lopes venceu em o Cross Lasarte e o Crosse de Chartres.


Daniela Vicente

Título: A história do atletismo em Portugal - a ditadura e pós-ditadura

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 4

641 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Yuri SilvaYuri

    30-06-2014 às 21:41:57

    Bem interessante a história do atletismo em Portugal, parece que muitas coisas mudaram!

    ¬ Responder

Comentários - A história do atletismo em Portugal - a ditadura e pós-ditadura

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Manutenção Automovel

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Automóveis
Manutenção Automovel\"Rua
Faça você mesmo a revisão do seu automóvel e poupe dinheiro em oficinas. Primeiro verifique com a ajuda de outra pessoa a iluminação exterior. Uma pessoa fica no interior do carro e liga as luzes, verifique á frente os mínimos, os médios, os máximos e os piscas. Depois atrás verifique os mínimos os stop a marcha atrás e o farol de nevoeiro.

A seguir verifique a iluminação do interior do veículo e do painel de instrumentos e a afinação do travão de mão.

Agora está na hora de verificar os filtros de ar, gasóleo e habitáculo. Dependendo da utilização eles podem fazer em média 40.00km, se estiverem sujos substitua-os por novos.

A seguir vem a mudança do óleo este em geral pode-se retirar pelo bujão de vazamento do cárter, convém substituir a anilha e o filtro de óleo. O óleo novo deve respeitar as especificações do fabricante, verificar no livro de manual de utilizador do veículo os litros de óleo do motor. Meter o óleo novo pelo bucal superior do motor com a ajuda de um funil, o nível do óleo não pode ultrapassar o máximo. Se não sabe a quantidade de óleo deite 4 litros e depois verifique o nível pela vareta de verificação de nível e vá deitando até chegar ao nível certo.

Agora é preciso verificar as pastilhas de travões, hoje em dia como quase todos os veículos têm jantes especiais consegue verificar sem desmontar as rodas. Substituir se necessário as pastilhas, ao desmontar repare como desmonta para depois voltar a montar tudo de novo. Por fim verifique a pressão dos pneus com um manómetro, a pressão indicada varia de carro pra carro se não sabe a pressão indicada ponha 2.2bar que é em média a pressão que todos utilizam.

Convém dizer que qualquer material que precise basta procurar numa loja de peças auto próxima de si ou então encomendar via net pois existem vários sites especializados em peças e materiais de manutenção auto. Vai ver que não custa nada se eu aprendi você também pode aprender e além disso fica a conhecer melhor o seu carro.

Com isto tudo pode poupar em média 200€ por cada revisão.
Obrigado e até a próxima.

Outros textos do autor:
Manutenção Automovel

Pesquisar mais textos:

Vendas Online

Título:Manutenção Automovel

Autor:Vendas Online(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    17-06-2014 às 04:55:10

    Há inúmeros benefícios para fazer a manutenção do automóvel, pois isso garante melhor preservação do veículo e se prolonga o uso por muitos e muitos anos.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios