Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Escritas pelo Coração

Escritas pelo Coração

Categoria: Literatura
Escritas pelo Coração

Se Há
Se há aqui no recinto da escuridão
Um veneno que pelas entranhas vai se escorrendo
Pelo coração que
Há anos deixou de bater
Devido à ilusão que me invadiu
Sem ao menos permitir uma tal
Perturbação de meus sentimentos,
Que mais nada valia às suas sensações de prazer
E maldade com quem mais lhe dedicou à paixão que
Tanto se há mesmo que não o veja mesmo que tão explicito
Deixo exposto o que sinto e se há o que de mais forte
Corresponda ao meu sentimento estravaza com tamanha força,
Deixando o universo temer ao tamanho imenso do universo.

O Veneno
O veneno que ao meu coração
Se penetra nas decorrências de meus
Sentimentos que nossos corações se enlacem,
Que aos nossos corações
Nos façam ser um só ser de alma,
Como apenas um semblante de anjo
Mesmo que tudo que impossível seja para
Apagar a chama pelo meu coração se alatra venha a ocorrer,
Por decorrência de uma ilusão que
Como a paixão se alastra pela escuridão causando
A si uma dor imensurável que nem mesmo
Após a morte se é impossível esquecer pela eternidade
Da vida do único enigma que nos liga à Deus.

Por Correspondência
Por correspondência mando uma carta
Escrita pela ilusão de tanto amar,
Pela decepção de não ser amado como
Se é esperado que fora trasnferido pela dor
De pela paixão ser enganado,
Mando por meio dessa carta que fora
À única as minhas lágrimas que há cada instante
Que a despejei a intensidade fora cada vez mais aumentando
Que até ao chorar sentia despedaçar o coração,
Que sua alma aos poucos sentir me abandonar preso
Na escuridão sem mais mandar uma se quer correspondência
Escrita somente pelas lágrimas de um dia sentir e
Viver um amor que não mais por ventura será correspondido.

Imensurável
Imensurável é nada mais do que
A intensidade de uma dor
Que não mais soube subestimar a paixão
Que aqui dentro reside em meu coração,
Sem a mínima compaixão do amor
Que explora com pudor a dor irremediada
Pela ilusão que repreendeu
A insana paixão que não deixou temer-se
Mesmo que na escuridão esteja enterrado pela
Dor da ilusão que me deixou
Na solidão que com a compaixão
Soube reconhecer o valor do perdão que
Não mais vale a pena do que deixar a imensurável dor
Estraçalhar o coração e não permitindo a alma de que o recolha
Para que com a divindade possa surgir do além sua esperança.

Pertubado
Pertubada está minha alma
Que dá escuridão não consegue se esquivar
Por tão pegajosa ser esse sentimento
Mau correspondido pelo coração que tão
Ignorante se parece ser por fora mesmo que
Embora seu coração seja explendor pela Glória
Tão iluminada de um anjo que Céu caiu em meus braços
Para que aos cuidados paliativos lhe cuide
Com todo amor do mundo
Como a de todo o infinito do universo
Que ganha luz ao seu olhar gracioso que despeja
Dor ao meu de tanto bater na porta do coração de quem,
O verdadeiro amor não o conheça.

Inflamado
Inflamado está o meu coração
Que sem motivos chora pelo tão
Sangrento disperdício do amor que me corrói,
Da paixão que envenena minha alma
Que chora pela dor
Causada por suas estripulias
Que engana o meu coração que no
Escuridão conhece o silêncio
Entregando-se à solidão que sem
Compaixão perdoa a paixão
De tentar cruscificar a escuridão com
A luz que ilumina e purifica o coração de quem
Atraído seja pela sensação de leveza,
Com dor e contradição,
Aos dos anjos

Contradição
Em contradição entra
O meu coração que ao vendaval
De ilusão entrega a paixão fazendo do
Amor um perdedor
De seu próprio calor que
Com pudor deixa a paixão
Invunerável ao olhar silêncioso
Da escuridão que permeia a atingir
A fúria sentimental que o atinge massacrando
Com tamanha força o que à minha alma consuma
Com tanto prazer que seja a dor de tanto amar e
Ver esse amor de deixar levar pela decepção.


Kaique Barros

Título: Escritas pelo Coração

Autor: Kaique Barros (todos os textos)

Visitas: 0

0 

Comentários - Escritas pelo Coração

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios