Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Desporto > Pólo na água

Pólo na água

Categoria: Desporto
Comentários: 1
Pólo na água

Nadar é uma actividade física que agrada a muita gente, sobretudo em tempo de Verão. Apresenta múltiplas vantagens e oportunidades de diversão. Além de nos poder salvar a vida, saber nadar aporta a possibilidade de jogar pólo aquático. Já toda a gente deve ter experimentado brincar com uma bola dentro de água, constatando como é aprazível, mas sem tocar com os pés no fundo da piscina não é assim tão fácil.

O pólo aquático desenvolveu-se no final do século XIX, em simultâneo nos Estados Unidos e na Europa, mas foi o estilo europeu, menos agressivo, que prevaleceu. O pólo aquático masculino estreou-se nos Jogos Olímpicos de Paris, em 1900.

Trata-se de um desporto colectivo. As equipas são compostas por sete jogadores, incluindo um guarda-redes. O objectivo é semelhante ao do andebol ou do futebol: marcar golos. Joga-se em piscinas de 20 a 30 metros de comprimento por 10 a 20 metros de largura e uma profundidade mínima de dois metros. As balizas têm três metros de largura e 90 centímetros acima da linha de água.

A bola pesa entre 400 e 450 gramas. O seu diâmetro varia entre os 68 e os 71 centímetros nas competições masculinas e entre os 65 e os 67 nas femininas. Esta nunca pode ser tocada com as duas mãos, excepto pelo guarda-redes.

Não obstante as parecenças que tem com o andebol e o futebol, as maiores semelhanças são com o basquetebol, nomeadamente no que se refere ao tempo máximo para executar uma jogada, que no caso do pólo aquático é de 35 segundos.

Os encontros são divididos em quatro partes de sete minutos de tempo útil. O cronómetro pára quando há interrupções. Todos os jogadores utilizam toucas com protecções especiais para os ouvidos, onde se colocam os números individuais. Uma equipa joga com gorros brancos e a adversária utiliza azuis. Ambos os guarda-redes usam touca vermelha.

Dado que as deslocações na água são consideravelmente mais complicadas, a colocação dos jogadores na piscina – a táctica –, é essencial no pólo aquático. O avançado-centro, geralmente um atleta possante, é nuclear, posicionando-se entre as linhas (imaginárias, naturalmente) dos dois e quatro metros, determinadas em relação à linha final através de bóias. Sujeito a marcações cerradas, raramente o avançado-centro tem ocasião de executar dribles (nadar com a bola), intervindo preferencialmente com passes secos (sem que a bola toque na água).

Existem dois tipos de faltas: as simples, como jogar a bola com as duas mãos, empurrar o adversário ou deixar ultrapassar o tempo limite para concluir a jogada; e as graves, nas quais se incluem agarrar o adversário ou atirar-lhe água. As faltas graves implicam exclusão de 20 segundos e à terceira o jogador tem de ser substituído. As grandes penalidades constam de faltas graves dentro da área de quatro metros e são cobradas dessa linha, com apenas o guarda-redes na baliza.

Não falte! Venha daí!


Maria Bijóias

Título: Pólo na água

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

674 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Kizua UriasKizua

    02-07-2014 às 00:08:13

    Que fantástico! O pólo na água tornou-se bastante comum entre as pessoas que adoram nadar. Mesmo porque é uma prática bem prazerosa.

    ¬ Responder

Comentários - Pólo na água

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os benefícios do piso laminado

Ler próximo texto...

Tema: Materiais Construção
Os benefícios do piso laminado\"Rua
Ao se realizar uma obra, ou na renovação de ambientes, há sempre muitas opções de técnicas e tecnologias de construção civil, arquitetura e decoração a serem escolhidas da forma mais adequada ao resultado que se espera. O piso adequado ao ambiente que se está construindo ou reformando é uma questão bastante relevante para o sucesso do empreendimento e para o bem-estar dos usuários.

Os tipos de pavimentos ou assoalhos ou revestimentos são diversificados e para cada tipo de ambiente, construção e gosto pessoal há um mais adequado. Pelos inúmeros benefícios que tem apresentado, o piso laminado tem sido bastante escolhido como revestimento nos ambientes modernos. Ele é composto por quatro camadas, feitas de fibras de madeira de alta densidade, lâminas de celulose, lâminas decorativas e filme cristalino de celulose, colados diretamente ao chão. Essa composição garante estabilidade, beleza, resistência, facilitando a limpeza. Somente com estes argumentos já se pode notar as vantagens desse tipo de piso, contudo ainda existem outras.

Os pisos laminados custam menos que os pisos de madeira, seu substrato é ecologicamente correto, já que as madeiras utilizadas na composição desse piso provêm de florestas certificadas e possui fácil instalação, sem a necessidade de pregá-lo ao chão. Além disso, os pisos laminados não precisam de envernizamento como os pisos de madeira que causam mau cheiro e sujeira. Os pisos laminados são mais resistentes que os pisos de madeira devido a sua alta pressão. A superfície dos pisos laminados de alto tráfego contém papel decorativo que garante diversas possibilidades de estampas e combinações.

Existem, portanto, dois tipos distintos de pisos laminados. Os pisos laminados de madeira têm em sua composição madeira natural e são revestidos com verniz. São indicados para ambientes residenciais e menos movimentados. Os pisos laminados de alto tráfego são compostos por madeiras de alta densidade cobertas por papel decorativo. São mais resistentes e, em virtude disso, indicados para ambientes de grande circulação. Podem estar em ambientes residenciais, porém para ambientes comerciais é o ideal.

Os pisos laminados são resistentes à luz do sol, a riscos e a manchas. São práticos devido à diversificada opção de padrões e funcionais devido à facilidade de limpá-lo. Acomodam-se perfeitamente em qualquer ambiente, proporcionando fácil decoração. Entretanto, medidas para mantê-lo em bom estado por mais tempo (apesar da sua alta durabilidade) devem ser tomadas. Colocar proteção na entrada das portas evita a instalação de sujeira e pedras. Forrar móveis e peças decorativas, que entrem em contato com o piso, é recomendado, a fim de não marcá-lo. Esses forros podem ser feitos com tecidos felpudos ou recortes em feltro. Forrar os móveis ao movimentá-los é apropriado para não riscar o piso. Salto alto fino com base metálica também marca esse tipo de piso. Evitar molhar em demasia o piso é necessário, pois caso contrário pode haver o inchamento do piso. Deve-se mantê-lo sempre seco.

Esse tipo de piso também tem a vantagem de não carregar cupins, contudo é preciso verificar as condições de presença desses insetos. Ambientes com cupins requerem a desintetização prévia.

Pesquisar mais textos:

Rosana Fernandes

Título:Os benefícios do piso laminado

Autor:Rosana Fernandes(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    12-05-2014 às 12:45:43

    O piso laminado é muito bom, sua durabilidade é de quase 40 anos e são mais fáceis de manter.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • silvana 22-02-2014 às 18:17:44

    o piso laminada tem durabilidade de quantos anosposso passar pano umido no piso loaminado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios