Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Desporto > Alie-se aos atletas de quatro patas!

Alie-se aos atletas de quatro patas!

Categoria: Desporto
Visitas: 4
Comentários: 1
Alie-se aos atletas de quatro patas!

De uma forte relação que remonta a tempos imemoráveis – o Homem e o cavalo – brotou um desporto que tudo deve à capacidade exibida pelo cavaleiro para adestrar e estimular o verdadeiro “atleta”, que é, na realidade, o dispensador do esforço no decurso das provas.

Como desporto, o hipismo, ou equitação, passou a integrar o programa oficial dos Jogos Olímpicos da Era Moderna desde 1912. Trata-se de uma modalidade em que mulheres e homens competem em simultâneo, apesar de as classificações serem feitas em separado.

Há mais de 3000 anos que se monta a cavalo. Contudo, considera-se a génese do hipismo apenas a partir da segunda metade do século XVIII, altura em que se principiou a valorizar os saltos. Segundo consta, foram os ingleses, nas famosas caçadas às raposas, que incrementaram os saltos de obstáculos.

O intuito fundamental das provas de saltos é ajuizar algumas qualidades do cavalo, como força, potência, obediência, velocidade e respeito pelo obstáculo, mas o cavaleiro também é apreciado. Ganha o concorrente que tiver menos penalizações (por exemplo, uma derrubada causa quatro pontos de penalização e uma queda do cavalo ou do cavaleiro é sinónimo de eliminação) e fizer o percurso de forma mais célere, ou então o que somar mais ou menos pontos, consoante o tipo de desafio.

Existem vários estilos de concursos dentro dos saltos de obstáculos fixos ou móveis, como as provas com e sem cronómetro, com barrage – os conjuntos que no primeiro percurso tiveram os mesmos pontos, desempatam, num trajecto reduzido, com base nas penalizações e no tempo –, e, ainda, as provas de potência (um máximo de quatro barrages, onde a altura dos obstáculos é continuamente elevada).

Paralelamente aos saltos, o hipismo tem outras variantes. O ensino (dressage) constitui uma espécie de ginástica para o cavalo. Trata-se de uma disciplina básica e, em competição, permite aferir acerca da perfeição dos movimentos do cavalo e do cavaleiro, tanto no passe, como no trote ou no galope. Os raides (enduro) são corridas disputadas em grandes distâncias, num dia só ou em diferentes jornadas, em trajectórias detendo obstáculos naturais. O volteio é uma disciplina muito complicada, obrigando os cavaleiros, individualmente ou em equipa, a mostrar habilidades (cambalhotas, ficar em pé, etc.) em cima do cavalo, como no circo. O concurso completo de equitação (CCE) é a prova-raínha do hipismo, conjugando ensino, raide e saltos.

A atrelagem tem a sua génese nas corridas da Roma antiga. Existem ainda duelos de equitação no trabalho, equitação adaptada e, ultimamente, apareceu a equitação terapêutica (hipoterapia) como alternativa de tratamento de várias enfermidades.

O hipismo tem já dois “descendentes”: o pólo (onde se utilizam tacos para impulsionar uma bolinha) e o horseball (em que se joga com as mãos uma bola parecida com a de voleibol).



Maria Bijóias

Título: Alie-se aos atletas de quatro patas!

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 4

726 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Yuri SilvaYuri

    02-07-2014 às 01:20:14

    O hipismo não é uma prática comum, mas tem seu significado. Vale a pena! Imagino que seja muito prazeroso aliar-se à eles!

    ¬ Responder

Comentários - Alie-se aos atletas de quatro patas!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Receptores digitais

Ler próximo texto...

Tema: TV HIFI
Receptores digitais\"Rua
Os receptores digitais são instrumentos que têm a função de receber sinal por via de canais digitais.

De acordo com a sua função, estes canais poderão ser satélite ou por cabo. Actualmente, já existem bastantes serviços de televisão por cabo que funcionam apenas com estes receptores, uma vez que é através deles que se consegue ter acesso não só aos canais de serviço, mas também a pacotes codificados.

O serviço de recepção de canais por satélite é um sistema independente para o qual é necessário ter um disco receptor satélite de modo a poder ter canais digitais fora dos serviços prestados pelos operadores de televisão digital.

Este instrumento permite que os próprios ecrãs sem tecnologia digital passem a usufruir desta através destes receptores. No entanto, a melhor qualidade só é garantida com um ecrã já com esta tecnologia.

Os receptores digitais permitem também aceder a uma multiplicidade de serviços, desde que devidamente configurados. Por exemplo, com estes receptores, é possível aceder a menus específicos de pausa de emissão para depois ser continuada, de serviços on-demand ou acesso a portais específicos, entre outros.

Esta pequena caixinha permite ao seu utilizador usufruir da televisão a um novo nível, de modo a que possa ter todas as comodidades no conforto do lar. 

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Receptores digitais

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    04-06-2014 às 06:53:28

    Gostei dos receptores digitais. Bom texto abordando isso.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios