Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Animais Estimação > O amor dos animais

O amor dos animais

Categoria: Animais Estimação
Visitas: 4
Comentários: 3
O amor dos animais

Devem ser poucas as pessoas que nunca tiveram pelo menos um animal de estimação na sua vida.
Lembro-me que desde muito pequena que comecei logo a ter animais, na maioria trazidos por mim durante as brincadeiras que fazia numa zona verde, bem parte de casa. Começaram por ser grilos e cigarras, que depressa me irritaram por não se calarem, depois os bichos de seda que quando eram borboleta fugiam ou se estavam em casulo não eram emocionantes o suficiente e rapidamente aborrecia-me deles, os hamsters que eram tão fofinhos, mas quando se fartavam de eu os mandar ao ar, acabavam por me morder…

Até que tive o meu primeiro cão, nunca me vou esquecer. Era lindo, muito pequeno, creme, peludo, obediente, tinha finalmente encontrado o meu animal de estimação e dei-lhe o nome de Bolinha.

Tornámo-nos grandes companheiros, eu falava com ele e ele abanava o rabo como se percebesse perfeitamente o que eu ia dizendo.
Quando eu estava triste ele sentia e vinha me reconfortar. Era o meu melhor amigo, até que um dia acabou por morrer.

Nunca vou esquecer esse dia, foi dos mais infelizes da minha vida. Decidi que nunca mais queria outro animal de estimação, só que a minha mãe que não entendeu esta minha postura, decidiu surpreender-me e, conseguiu mesmo: ofereceu-me coelha anã cinzenta.

Fiquei novamente apaixonada, mas foi um amor que durou pouco, um quisto maligno nos ovários acabou por lhe tirar a vida. E mais uma vez fiquei de rastos… Determinada que esta seria a última vez, avisei a minha mãe para não vir novamente com surpresas. Mas pelos vistos devia ter avisado todas as pessoas que convivem comigo desta minha decisão, porque ofereceram-me outro animal de estimação, no dia dos meus 27 anos.

Confesso que mal me apercebi da situação, devo ter feito uma cara de poucos amigos, mas quem é que iria resistir a um gatinho persa bebé? Eu sei que não resisti e lá quebrei a minha promessa…

Uma nova paixão, novas brincadeiras, mas mais uma vez com o tempo contado. O Pantufas tinha um problema de malformação óssea e não desenvolvia. Só durou cinco meses. Desde então que nunca mais tive um animal de estimação, nem mesmo um simples peixe. Não me sinto disponível para criar uma nova ligação. No fundo devo ter receio de vir a sofrer de novo.

É estranho a forte conexão que criamos com os animais. Eles tornam-se parte de nós, como se fizessem parte do nosso agregado familiar. É um amor que só quem tem animais consegue dar o valor. Sei que mais cedo ou mais tarde, irei envolver-me de novo, não há como fugir disso. Só espero que não seja para sofrer…



Catarina Guedes Duarte

Título: O amor dos animais

Autor: Catarina Guedes Duarte (todos os textos)

Visitas: 4

662 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • SophiaSophia

    16-06-2014 às 15:02:50

    Isso é bem verdade! Os animais demonstram amor por nós de maneira diferente(do jeito deles), mas que nos deixam com um coração totalmente mole e fascinados. Meu cão é muito carinhoso, fica o tempo todo querendo minha companhia e isso é o máximo!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoJoaninha Teresa

    30-03-2009 às 23:55:12

    O meu gato chama-se rustiff, é querido e muito brincalhão.

    Eu adoro gatos porque têm uma personalidade muito forte , como eu.

    Os gatos têm Atitude e Caracter.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãomiau

    30-03-2009 às 20:31:55

    Sempre tive medo de cães!

    Fico com o pelo todo arrepiado.

    ¬ Responder

Comentários - O amor dos animais

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O Mito da Entrevista de Emprego

Ler próximo texto...

Tema: Empresariais
O Mito da Entrevista de Emprego\"Rua
Aguardando há meses pela oportunidade de um novo emprego e após ser aprovado em várias etapas do processo de seleção eis que surge um empecilho: a entrevista de emprego.

Diversas dúvidas passam pela cabeça do candidato como o que vestir, como sentar-se, qual o tom de voz adequado, o que o entrevistador espera como resposta e como impressioná-lo provando ser a pessoa certa para a vaga a ser ocupada.

A verdade é que não há regra que garanta o sucesso em uma entrevista, porém, algumas atitudes e cuidados precisam ser tomados. Abaixo seguem 10 dicas que auxiliarão o candidato enfrentar essa fase do processo de seletivo de forma mais segura, não importando a área ou cargo pretendido.

1. Seja pontual. A pontualidade é uma forma de demonstrar respeito, consideração e compromisso com a empresa, porém, ser pontual não significa ser precipitado, chegando com muito tempo de antecedência. Para isso programe-se: quanto tempo você levará para chegar até o local combinado para a entrevista? E se houver algum tipo de atraso? Programe-se para que os prazos possam ser cumpridos. Se o atraso for inevitável entre em contato com a empresa e explique o motivo para o mesmo solicitando a possibilidade de remarcar o compromisso.

2. Vista-se de maneira condizente ao cargo que irá ocupar. Mesmo parecendo ser uma superficialidade, a forma como o candidato se veste pode influenciar a decisão do entrevistador, portanto, causar uma boa impressão é essencial. Para isso pesquise o perfil da empresa, se possível observe a forma como os funcionários se vestem e use na entrevista algo um pouco mais formal do que usaria todos os dias para ir ao trabalho.

3. Zele por uma boa aparência. Como descrito acima causar uma boa impressão é essencial, dessa forma, a higiene pessoal é indispensável. Vale ressaltar que perfumes e maquiagem exagerados são pontos negativos em uma entrevista.

4. Tenha em mente suas principais realizações profissionais e as evidencie. Quais os principais desafios que essas lhe trouxeram e o que aprendeu em cada uma delas. Se é seu primeiro emprego vale ressaltar suas experiências escolares e acadêmicas como trabalhos em grupos, projetos realizados, programas de estágio e trainee.

5. Tenha atitudes positivas. Um método de entrevista consiste em perguntas aparentemente absurdas que não possuem, necessariamente, respostas prontas. O que ele deseja na verdade é avaliar seu raciocínio lógico, portanto, seja criativo, argumente e crie estratégias para sair dessa saia justa.

6. Seja genuíno e autentico. Mesmo estando sob pressão seja você na entrevista. Não minta nem use máscaras. O recrutador provavelmente perceberá que você não está sendo sincero.

7. Tenha argumentos. “Por que você quer trabalhar aqui?” ou “Quais serão suas contribuições para essa empresa?” são perguntas básicas em uma entrevista de empregos. Portanto, tenha bons argumentos para esses questionamentos.

8. Mostre-se interessado. Faça perguntas plausíveis ao entrevistador.

9. Seja gentil e educado a todo o momento. Muitas empresas costumam analisar o candidato no momento em que esse inicia o processo seletivo.

10. Mostre-se confiante. Se você fará a entrevista de emprego é porque já passou por outras fases do processo seletivo, ou seja, tem muitos pontos a seu favor. Acredite no seu potencial .

Outros textos do autor:
O Mito da Entrevista de Emprego

Pesquisar mais textos:

Mabelly Venson

Título:O Mito da Entrevista de Emprego

Autor:Mabelly Venson(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios