Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Animais Estimação > 5 dicas para cuidar do seu filhote de cão recém chegado

5 dicas para cuidar do seu filhote de cão recém chegado

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Animais Estimação
Visitas: 30
Comentários: 1
5 dicas para cuidar do seu filhote de cão recém chegado

Adotar um filhote de cão é muito bom. São sempre cheios de energia e adoram brincar, podem ser adestrados com facilidade, e se tornam parte da família, contribuindo diretamente para a união de todos. Adotar é um ato de amor e generosidade, e um ação dessas deve ser muito bem pensada, pois o dono deve arcar com todas as responsabilidades.

Cachorros, principalmente filhotes, costumam reagir ao ambiente novo chorando sem parar por várias noites. Aqui vão 5 dicas que podem ajudar o novo amiguinho na adaptação:

1.Levar alguma coisa do lugar em que o cãozinho estava. Pode ser uma roupa do antigo dono, uma escova com os pelos da cachorra ou da ninhada. O cheiro característico e familiar vai fazer o filhote se acalmar e não sentir o choque da mudança tão drasticamente.

2.Passar o dia com o cãozinho. O garotão ou garotinha precisa saber que o novo dono é amigável, e se sentir acolhido. Passar essa sensação de segurança fará com que o filhote desenvolva confiança e diminuirá o medo instintivo.

3.Preparar o lugar onde o filhote irá dormir. Isso é muito importante. Uma cama confortável, que não seja muito grande, e que evite que o cachorro não sinta frio. Filhotes sentem muito frio, é recomendável deixar alguns panos para ele. Uma boa dica também é colocar na cama uma garrafa PET com água quente(não muito quente nem fria) para simular o corpo da mãe e dos irmãos.

4.Verificar se ele animal está bem alimentado. É como com um bebê recém-nascido. Alimentá-lo da forma correta e se informar com o antigo responsável sobre a ração antiga certamente é uma boa alavanca para a adaptação mais rápida

5.Deixar à disposição lugares para o filhote fazer as necessidades. Não adianta prendê-lo em uma casinha, e nem cobrir com um jornal um canto da casa. O filhote não tem discernimento para saber aonde deve-se mijar, então é bom deixa-lo aonde a criaturinha possa se aliviar aonde bem quiser.
Este guia, claro, não trás 100% de certeza quanto aos resultados, mas são dicas que já funcionaram previamente. Se o filhote está chorando em demasiado, a consulta a um veterinário é intransferível.


Wallace Randal

Título: 5 dicas para cuidar do seu filhote de cão recém chegado

Autor: Wallace Randal (todos os textos)

Visitas: 30

795 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaiany Nascimento

    12-09-2012 às 15:25:49

    Eu mesma tenho uma fofa cadela cheia de energia e que adora brincar, desde filhote nós em casa a ensinamos como se portar e ela se tornou uma cachorrinha muito carinhosa, tanto com os donos quanto com as visitas. Também concordo que adotar é um ato de amor e generosidade, e que tal ato deve ser muito bem pensado. Obrigada Wallace pelas dicas sobre como cuidar de um cãozinho recém-chegado e boa escrita no site.

    ¬ Responder

Comentários - 5 dicas para cuidar do seu filhote de cão recém chegado

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios