Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Serviços Construção > Não fique em estado de choque

Não fique em estado de choque

Comentários: 2
Não fique em estado de choque

Os serviços de construção englobam especialidades várias no âmbito de uma área, por si, atraente e recompensadora (a todos os níveis…). Uma das funções mais criativas associadas à edificação prende-se, desde logo, com a execução do projecto. Trata-se do guia contendo as orientações básicas, e é a partir dele que tudo o resto se desenrolará.

A imaginação pode chegar ao extremo de, no esboço arquitectónico, constarem a varanda redonda, quartos redondos, a sala redonda, casas de banho redondas, a cozinha redonda, enfim, tudo redondo. Neste caso, “desenrolar” seria realmente o termo apropriado para definir o andamento dos trabalhos. As matrizes cilíndricas de tal habitação constituiriam uma inovação, para não dizer uma ousadia, que materializariam a fuga possível aos intentos de uma sogra que pretendesse deter um CANTINHO na casa dos noivos após o casamento destes. Podia, deste modo, fazer-se ver à dita senhora que se encontrava redondamente enganada quanto à concretização das suas pretensões. Afinal, para bom entendedor, a ausência de um canto basta…

Não obstante a capacidade inventiva e as imensas possibilidades que o sector da construção apresenta, nem todos os desejos mais arrojados são passíveis de corporização, quer por uma questão de segurança, quer por incompatibilidades, por exemplo, decorrentes de estudos efectuados pelos peritos em engenharia. Ainda assim, vêem-se por aí estruturas que mais parecem hinos à boçalidade, com o visível comprometimento exacerbado de verbas susceptíveis de estar a produzir alguma coisa de verdadeiramente útil. Até Bob, o Construtor, revelaria maior bom senso… Por outro lado, emanam-se dos púlpitos da política, do Governo, de administrações públicas e privadas, de direcções desportivas e outras que tal, tantas e tão grandes barbaridades que haveria matéria para se propor a um entendido altamente especializado que assinasse a autoria de um edifício dedicado a tamanhos despautérios!

Inovar, reduzir custos e tempo, desenvolver novas estratégias, investigar aperfeiçoamentos exequíveis, arriscar mudanças, melhorar a competitividade, observando atentamente a actuação dos concorrentes numa perspectiva de perscrutar meios de diferenciação, surpreender pelo profissionalismo exímio, constituem, entre outras iniciativas, formas de fazer face a um mercado que é tudo menos cristão, uma vez que não perdoa. Dificuldades à parte, só o esforço, a paixão pelo que se faz, a determinação férrea e o brio no que se realiza é que conseguem conquistar mais espaço e construir um futuro mais amplo.

Saber o que se faz e fazê-lo bem ajuda a evitar problemas a curto, médio e longo prazo. Um electricista não pode, simplesmente, chegar aos cuidados intensivos de um hospital e dizer aos doentes ligados a vários tipos de aparelhos vitais: «Muito bem, respirem fundo um bocadinho, que eu vou mudar os fusíveis»!... Para além disso, contribui para a prevenção de doenças profissionais. O que aconteceria a um electricista ao cair da escada? Ficaria, com certeza, em estado de choque…



Maria Bijóias

Título: Não fique em estado de choque

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

605 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    23-09-2014 às 13:11:47

    Muito bom destacar essa questão da segurança, proteção em meio ao que queremos construir. É cada vez mais presente os acidentes que ocorrem por falta de uma boa segurança. Há medidas seguras que precisam ser encaradas com responsabilidade.

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    01-06-2014 às 05:15:09

    Segurança na construção é essencial. Mesmo que a pessoa tenha ma certa experiência, todo o cuidado é importante. Muito bom esse parecer sobre "não fique em estado de choque"
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Não fique em estado de choque

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios