Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > A Controvérsia Dos Genéricos

A Controvérsia Dos Genéricos

Categoria: Saúde
Visitas: 10
A Controvérsia Dos Genéricos

A polémica acerca dos medicamentos genéricos instalou-se, “rebentam”, de vez em quando, umas altercações das instituições directa ou indirectamente a eles ligadas, mas, no fundo, ninguém parece ter muita vontade ou interesse de ir ao cerne da questão. Efectivamente, quanto maior for a confusão, menos se percebe do assunto, o que, na prática, se revela vantajoso para quase todas as partes envolvidas. Quase, porque aquela que devia ser a parte mais importante, o utente, o “pagador”, não compreende nada, não lhe é permitido contrariar a deliberação do médico, e, na verdade, não poderia ter voto numa matéria que ignora.

Já não lhe basta mendigar uma consulta, aguardar anos por uma cirurgia, ter de prescindir amiúde dos serviços especializados, optar entre comer e tomar a medicação, só para mencionar alguns exemplos, e ainda tem de pagar a contenda! E tamanho despautério é agravado pelo facto de que os grandes protagonistas desta história são os aposentados, com reformas de miséria que mal chegam, ou não são mesmo suficientes, para fazer face às despesas mais comuns: renda de casa, água, luz, alimentação…

A ideia de implementar genéricos prende-se com uma redução de custos para o Estado e para o utente, pois, não sendo necessário defender uma determinada marca comercial, as moléculas do princípio activo destinadas a combater as patologias ficam cerca de 35 por cento mais baratas. Supostamente, os genéricos são sujeitos ao mesmo tipo de testes e pautam-se por regulamentação similar aos medicamentos ditos de marca, pelo que, em princípio, seriam merecedores da mesma credibilidade, em termos de qualidade, eficácia e segurança. Todavia, entre médicos que insistem em afirmar disparidades e efeitos desiguais, um fantástico serviço de desinformação e a guerra entre os lobbies da Associação Nacional de Farmácias e a Ordem dos Médicos, impera a atarantação. O que acaba por estar em causa são os estatutos adquiridos e móbeis económicos estabelecidos de que não é bom que se fale.

Os medicamentos genéricos são identificados pela Denominação Comum Internacional (DCI) das substâncias activas, seguida do nome do titular da Autorização de Introdução no Mercado (AIM) ou de um nome de fantasia, da dosagem, da forma farmacêutica e da sigla «MG», inserida na embalagem exterior do medicamento.

São prescritos pela denominação comum internacional (DCI) ou nome genérico das substâncias activas, seguido do nome de fantasia, quando exista, ou do nome abreviado do titular de AIM, e da dosagem e da forma farmacêutica.

Em suma, dita o bom senso que se informem os pacientes sobre o carácter farmacológico dos medicamentos receitados pelo profissional de saúde, se faça o acompanhamento farmacoterapêutico necessário, e se deixe ao seu critério a escolha do remédio para o seu mal.



Maria Bijóias

Título: A Controvérsia Dos Genéricos

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 10

766 

Comentários - A Controvérsia Dos Genéricos

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios