Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O poder das hormonas

O poder das hormonas

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 2
O poder das hormonas

A ciência limita-se a explicar que são as hormonas que fazem com que amamos, odiamos, temos desejo ou repulsa, maanipulados por um conjunto de processos fisiológicos.
Mas, segundo a opiniâo de alguns endocrinologistas, podemos controlar o efeito das principais hormonas que mais nos influenciam.

Afinal, na realidade , a seta do cupido não é mais do que uma elevada produção de oxitocina.

È esta hormona que estabelece a relação entre as pessoas, quer seja amor entre casais, filial ou fraternal.

Com efeito, se nós amamos os nossos filhos, é porque a oxitocina está a funcionar. A este nível contribui ainda a vasopressina e a prolactina.

A oxitocina é ainda determinante na memorização, no conhecimento social e a nível sexual.
A melatonima é uma hormona reguladora do sono e varia com as ocilações luminosas.

Assim, quando escurece, os níveis aumentam para proporcionar uma noite tranquila e é como que um medicamento para combater a insónia. além disso esta hormona confere bem-estar e inibe a secreção de gonodotrofinas produzidas no hipotálamo, o que faz diminuir assim, a estimulação da hipófise e, por sua vez, dos testísculos, diminuindo a produção de esteróides sexuais, como a testoterona.

A hormona GH, está presente no organismo desde a infância e abranda na adolescência.
Atua em todos os tecidos, ossos, músculos, entre outros.

Em medicina é usada como tratamento em crianças com nanismo, nomeadamente, quando há um atraso no crescimento.

Esta hormona é ainda utilizada na medicina como anti-aging, ou seja, no combate ao envelhecimento celular e no rejuvenescimento sexual.

A testosterona é uma hormona cromossomática, em que os cromossomas sexuais X e Y,apontam a existência de ovários ou testículos.

Estas são as hormonas que tê a ver com a homossexualidade ou heterossexualidade, dependendo da quantidade de cada uma delas.

O elevado nível desta hormona, explica o maior ou menor impulso sexual. Pode haver também excesso na ulher, o que provoca desporporções.

Nestes casos, excesso, é necessário neutralizar os recetores de testoterona, com medicação.

O estrogénio, é feminino e faz com que a mulher tenha mais tecido adiposo, é é necessário para a ovulação.

Esta contribui também para o desejo sexual da mulher, que pode ser em demasia.

Na menopausa esta hormona é utilizada em terapêuticas de substituição hormonal para evitar o desgaste orgânico a vários níveis.

Durante as picadelas da acupunctura há uma libertação de beta-endorfinas, o que explica o efeito benéfico em algumas doenças.


Teresa Maria Batista Gil

Título: O poder das hormonas

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 2

616 

Comentários - O poder das hormonas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios