Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O Bullying Dentro de Casa

O Bullying Dentro de Casa

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 314
Comentários: 3
O Bullying Dentro de Casa

Muito se tem falado sobre o bullying e a forma como afeta as nossas crianças e jovens. Esta agressividade, quer seja física ou emocional, causa marcas irreversíveis para toda a vida. Existem inclusive traumas que têm de ser tratadas com visitas a um terapeuta ou psicólogo e acompanhadas por medicação.
Ansiedade, angustia e muitas vezes o desespero são sentimentos que muitas das nossas crianças e jovens conhecem e as vitimas não conseguem muitas vezes encontrar um equilíbrio e uma saída. A família é fundamental para superar casos de bullying e a tranquilidade e segurança que sentem em casa são fatores fundamentais para ultrapassar tão gigantesco problema.
No entanto, em casa, o bullying pode acontecer de forma muito mais agressiva. Naquele que é supostamente o meio mais reconfortante, existem crianças que sofrem bulliyng por parte de membros diretos da família.
Existem casos de irmãos que não suportam a presença e a existência do irmão e qualquer meio serve para atingir o fim. Proporcionar todos os maus momentos possíveis ao irmão, em prol de mostrar aos pais que ele sim, é o menino e filho exemplar.
Ao viverem na mesma casa, o agressor sente-se num local conhecido e a sua confiança aumenta. Quanto à vítima, a situação é bem mais complicada, até porque para falar com os pais, não se queixará de outra criança qualquer, mas sim do outro filho deles. Poderá ter a sensação que os pais não vão acreditar na sua palavra ou que irão escolher o irmão, o que agravará ainda mais a sua posição dentro de casa.
No entanto, os irmãos podem não ser os agressores. A agressão verbal pode partir da parte de um dos progenitores. A violência física pode nunca existir, mas as agressões verbais traumatizam e marcam para toda a vida.
Uma mãe que não incentive um filho ou que não o encoraje para a vida, contribui para um saldo negativo na autoestima do filho. Agredi-lo com palavras que contribuem para ele se sinta deprimido é bullying.
Quantos são aqueles que criticam noticiários e jornais que relatam casos de bullying e o fazem em casa quando tornam os seus filhos em pessoas inseguras e nervosas? Acusar um filho de que não faz nada bem, de que a sua existência implica necessidades da sua parte, que deixou de viver como queria quando ele nasceu e até mesmo numa recusa permanente de amor maternal/paternal são considerados maus tratos aos olhos de qualquer um que o olhe de fora.
Estude as suas atitudes perante os seus filhos. Ninguém diz que desculpar e permitir excessos é dar amor, mas dê atenção e siga os passos deles. Encoraje-os e permita que eles errem, afinal, isso faz parte de viver. Alimente a autoestima dos seus filhos e perante dificuldades, deixe-os tentar, dando-lhes a certeza que estará por perto para apoiar a queda e tratar-lhes das feridas.

Carla Horta

Título: O Bullying Dentro de Casa

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 314

767 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Vicente SilvaVicente

    18-08-2014 às 04:47:20

    Muito difícil quando o bullying é dentro de sua própria casa. É bom saber lidar com isso, mas nem sempre temos paciência.

    ¬ Responder
  • Marcello Godoy

    19-12-2013 às 02:58:08

    passei a maior parte da vida sofrendo bullying, desde a minha infância eu vivo nesse inferno
    hoje tenho 26 anos e autismo leve, e ainda sofro com essa forma NEFASTA de assédio moral e dentro da minha família o buraco é bem mais embaixo, aliás, qualquer lugar é propenso pra sofrer bullying
    resumindo, eu durmo com vários inimigos fortíssimos e ninguém, eu disse NINGUÉM, faz nada, ou seja, é eu sozinho contra todo mundo

    ¬ Responder
  • regiane soeiro casanova

    13-03-2013 às 10:46:32

    foi importante conhecer mais um pouco de bullyng,passei por isso quando criança,e hoje vivo tentando esquecer.é ótimo as pessoas tomarem conhecimento disso pois evitaremos muitas tragedias e sofrimentos para ambos.

    ¬ Responder

Comentários - O Bullying Dentro de Casa

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios