Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Sons dos Coração

Sons dos Coração

Categoria: Literatura
Sons dos Coração

À Deriva
À deriva do amor
O meu coração está,
Há medida que sangra disperdiça
A paixão que no céu parece
Abrigar essa imensidão,
Casa-Mãe e acolhedora
De quem à deriva do mundo das drogas
Decidiu embarcar mesmo sabendo
Do que depois aconteceria,
O que acabou ocorrendo com o corpo
À baixo de sete palmos e agora
A alma de quem teimava viver na aderiva
Me persegue para me acorrentar à sombra de sua alma
Doente pelo vício por estar aderiva da droga que fora
Tão capaz de lhe tirar do eixo,
Embora o amor sempre ameniza a dor de
Quem sofre com o calor sentido por quem teima em sentir a dor
De há cada instante se matar.

Na Avenida
Na avenida enxergo o além
Que nada e há ninguém mais pertence
Por somente haver no paraíso que vivemos
Embora aqui ninguém veja como nós
Sendo como nosso paraíso à avenida a qual
Com uma multidão que nem se quer conhecemos,
Mas que também nos sede uma liberdade
Jamais conseguida se continuasse a viver no conforto
Com a qual sentia-me à beira da morte em um precipicio,
Onde o perigo permanece sendo constante
Embora eu já não me importo mais já que isso era
O que eu queria já que vivia acorrentado em muitas tarefas
Com as quais não identificava-me já que na avenidade
E sozinho tenho o prazer de um dia poder acordar a hora que eu quiser
Para ir atrás do meu.

Marcas
Marcas de um sonho
Que jamais quero poder lembrar
Como algo que esperaca ser algo bom
Já que não se sucedeu ao que eu desejava.

À Sede
À sede de vingança
Que cega o coração lubrificando
Uma paixão obcessiva,
Um amor irradiado pela ilusão
Devido ao vício que tem pelo dinheiro
Que atraí não só a riqueza material
Mas também a ganância de quem ao seu lado sempre
Está com inveja em relação a tudo que conquista
Por muitas incenssantes lutas a que nem sempre
Lhe foi glorificada com a vitória,
No entanto com a derrota que o fez somente
Enxergar o que com a vitória seria nula a chance
Que visse à sede ganânciosa a qual era visto por uns e
Outros.

Rosas
Rosas que plantei
Por quem à vida inteira sempre amei
Como ainda amo por entender que nem mesmo
Depois que eu morrer esse
Amor se sucitará na imensidão de um universo
Manchado pelas rosas que plantei com tanto amor
Esperando quem se encantasse por elas ao menos,
Já que à mim me falta dos mais simples sentimentos,
Às mais esmeras emoções capaz de mudar
Uma vvez por todas quem sou por sempre ter se
Entregado de mãos beijadas e entrelaçadas à escuridão
Que apavora o coração e
Fazendo com que todas essas rosas derretessem
Ao calor do sol como sorvete,
Sentindo-se todas baleadas pela ilusão
Que às fazemo morrer.

Não é Sério
Não é verdade que o que me disseram
De que um dia você se vai para um além
De uma realidade,
Não é verdade o que o vendaval
Me trouxe como uma verdade de um fato
Inato de um dia ter tido que me drogar com esse
Tão quão insensante amor
Que calunia a ilusão com a própria
E depresiva escuridão,
Dona desse mar silencioso
A qual meu coração tanto teme.

O Futuro
O futuro que tão quão se faz
Necessário para um passado esquecer
Sem que me faça correr o risco de ter que lembrar,
O como foi intenso por demais o nosso amor
Até antes que nossa história de eloquente paixão morresse
Junto à sua alma não estando mais ao meu lado para sempre me lembrar
Dos meus medicamentos já que quem estava previsto para um dia se for
Era este quem te falas,
Quem te declarás um amor eterno
Mesmo que o passado foi marcado com o desencarne
De quem muito amo e,
Por isso que imaginar um futuro sem a sua luz de anjo
Fica mais difícil mesmo que o lastimável ocorrido
[...]
Não me tira o prazer de todos os dias
Lembrar o quanto forás tão quão importante.


Kaique Barros

Título: Sons dos Coração

Autor: Kaique Barros (todos os textos)

Visitas: 0

0 

Comentários - Sons dos Coração

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios