Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Animais Estimação > Desvendando mitos caninos

Desvendando mitos caninos

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Animais Estimação
Comentários: 1
Desvendando mitos caninos

Existem muitos mitos sobre os cães que as pessoas acreditam ser verdade. Entre essas afirmações estão a de que, quando está com febre, o focinho do animal fica quente; que a vermifugação deve ser frequente; que os cães avisam quando ficam doentes ou que os vira-latas são mais saudáveis do que as raças puras.

O dono deve sempre estar atento às necessidades do seu cão. Quando ele dorme, a temperatura do focinho aumenta, e nem sempre isto é sinal de febre que, muitas vezes, aparece sem qualquer vestígio. A febre é real quando o focinho estiver seco, e o animal se mostrar sem fome e beber muita água. A indisposição é outro sinal. O cão fica deitado, sem vontade de caminhar, brincar ou mesmo ir à rua. O sinal mais importante é quando ele parece abatido e desanimado.

Cuidar bem da saúde dos cãezinhos é essencial, seja de porte grande, médio ou pequeno. Mas a vermifugação, na verdade, só deve ser frequente em cães que vivem na rua. Estes correm maior risco de contrair doenças, carrapatos, pulgas e percevejos, se andam por lugares freqüentados por outros cães de rua. O banho é outro fator importante, quando deve-se usar sabonetes e xampus, indicados pelo veterinário, para manter o asseio corporal.

Ao contrário do que se diz, os cães tentam esconder a doença para se mostrarem fortes. Geralmente, quando o dono percebe, a doença já está bem avançada. Muitas vezes o cão se alimenta e bebe água normalmente, o que, em muitos casos, dificulta a procura pelo diagnóstico e a consequente cura. Há males que só serão descobertos pelo médico através de exames de sangue, raio X ou utrassonografias. Por isso, é muito importante para a vida saudável dos cães a sua ida ao veterinário.

É comum ouvir que os vira-latas seriam superiores aos cães de raça em relação à sua saúde. Os cães de raça não são mais fracos, mas envelhecem mais rápido. Os vira-latas estão menos sujeitos a enfermidades corriqueiras a algumas raças, entretanto, não são invulneráveis, embora seu sistema imunológico responda melhor, em virtude de sua forma de vida.

Vira-lata ou cão de raça, pouco importa. O que conta mesmo para que seu animal seja saudável e tenha longevidade, será a atenção e o carinho que você dispensa para ele, e o quanto de energia e recursos está disposto a oferecer em troca da mais duradoura e fiel amizade.


Helena

Título: Desvendando mitos caninos

Autor: Helena Helena (todos os textos)

Visitas: 0

773 

Imagem por: Goldemberg Fonseca

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Beatriz Gonçalves

    20-09-2012 às 00:34:54

    tenho um cachorro vira latas, esta desanimado, sonolento, corpo gelado e focinho muito seco, sera que esta com alguma doença?

    ¬ Responder

Comentários - Desvendando mitos caninos

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Imagem por: Goldemberg Fonseca

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios