Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Informática > Comunicar e interagir

Comunicar e interagir

Categoria: Informática
Visitas: 4
Comentários: 2
Comunicar e interagir

No início de 2004, surgiu uma rede social de conhecimentos e de relacionamentos online, que viraria uma espécie de febre, entre os usurários da Internet: o Orkut. Este site faz parte da vida quotidiana de milhões de pessoas em todo o mundo, embora sejam maioritariamente brasileiras, pois foi o Brasil o seu país fundador. O Orkut, assim como o hi5, o Ning ou o Sonico, permite reencontrar antigos amigos e estabelecer novos contactos por todo o globo.
Todos estes sites permitem inter-relação, o envio e a partilha de vídeos, links, poemas, depoimentos, scraps, frases, mensagens, etc, etc, etc.

Através da inscrição nestes sites, o usurário cria um perfil, mais detalhado ou pormenorizado, consoante os gostos, estilos ou opções pessoais. Ao acessar a página principal desse perfil, visualiza os perfis dos seus amigos; as comunidades, lembretes, notas e actualizações dos amigos, quem está online e quem visualizou o seu perfil, recorda quem faz anos nos próximos dias, além das mais variadas opções de configuração e personalização da página, inclusive colocar temas visuais, imagens ou música de fundo, upload de fotos, vídeos, adicionar amigos, bloquear residentes, troca de mensagens, scraps, depoimentos, etc…

No entanto, apesar de todos terem comunidades dos mais diversos temas, nas quais se podem debater assuntos quotidianos ou temáticos, subdivididos por temas e sub-temas, e controlados por moderadores, o Orkut é o que as leva mais a sério. Quem está inscrito no site, pode tirar dúvidas, dar formação, receber formação, anunciar eventos, criar comunidades e convidar os outros a participarem nela, trocar ficheiros e esclarecer as mais variadíssimas questões…

No fundo, como em tudo na vida, aprende-se e ensina-se…

Mas se antigamente, eram raros os que mafiosamente controlavam as idas e vindas do carteiro, hoje em dia há quem dedique o seu ócio a controlar os pormenores descritos nestes sites, colocando algumas pessoas incautas e ingénuas em perigo, que nem se apercebem dos riscos a que se expõem ao descreverem pormenorizadamente as suas vidas, ocupações e vivências …

Outrora, as pessoas viviam mais globalmente, não tinham tanto receio de se exporem, de olharem nos olhos enquanto falavam, trocavam cartas, arranjavam sempre tempo para conviver e confraternizar social e familiarmente… Hoje em dia são estas tecnologias que permitem a inter-relação fora do horário laboral, a ocupação dos tempos livres e inclusive substituem a frequência presencial numa sala de aula.

Há sempre um lado bom e um lado mau em tudo; o Yin e o Yang, estão presentes em todo o Universo, em todas as coisas, em todos os instantes… Como dizia o grande mestre Fernando Pessoa: «somos mestres e aprendizes de nós mesmos»… É com os nossos erros que aprendemos; é com as nossas cabeçadas que abrimos os olhos, de nada vale avisarem-nos senão prestamos atenção ao que nos dizem…As tecnologias podem ser muito perigosas quando mal utilizadas ou visualizadas por pessoas de má índole, sem escrúpulos ou perversas, mas também podem ser a ponte que nos conduz ao progresso, ao degrau seguinte na nossa evolução pessoal e social… Tudo é uma questão de utilização, sensibilidade e bom-senso… A imaginação é o limite…Em todo o lado, independentemente de as visualizarmos ou não. Existem pessoas boas e pessoas más, atitudes saudáveis e atitudes nefastas… Mas senão arriscarmos, não nos instruímos, não nos cultivamos, não saímos do mesmo sítio, não evoluímos…

A VIDA É UM RISCO…Mas é com os riscos que aprendemos…


Susana Farias

Título: Comunicar e interagir

Autor: Susana Farias (todos os textos)

Visitas: 4

613 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoFernandinho

    08-05-2014 às 15:52:29

    Este texto explicou e ajudou me muito

    ¬ Responder
  • Susana FariasSusana Farias

    26-09-2014 às 20:37:55

    :) Fico contente por ter ajudado!
    Tudo de bom!

    ¬ Responder

Comentários - Comunicar e interagir

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios