Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Utilidades Domésticas > Mercados impelem à inovação

Mercados impelem à inovação

Comentários: 1
Mercados impelem à inovação

Porque motivo o frigorífico não pode ser cor de laranja, uma máquina de lavar rosa bébé, de secar roupa amarela e uma de lavar a louça azul e branca? Porque motivo não se concilia o funcional com o lúdico e se distribui flores ou formas geométricas coloridas para aplicar nos electrodomésticos? Ou, para ilustrar as épocas festivas, coelhinhos para colar na Páscoa, azevinho ou uns duendes no Natal e um arco-íris, elaborado com as cores do nosso gosto e acompanhado por uns tesouros, nos aniversários?

Porque não se aplicam materiais laváveis nalguns electrodomésticos, que possam fazer as delícias das crianças da casa, dando asas à sua criatividade artística de desenho com os seus lápis coloridos, enquanto a mãe prepara o jantar e o pai a sobremesa? Promove-se o encontro, a conversa, a brincadeira e a risada, altera-se as roupagens dos electrodomésticos ao ritmo da vontade dos pais e dos pequenotes e marca-se a diferença.

E porque não pensar na protecção das crianças (fruto da maiorias dos lares) e construir equipamentos domésticos com formas mais arredondadas, revestidas com materiais amortecedores em zonas de potencial perigo, para atenuar danos em caso de choque ou de queda, tão vulgares em qualquer criança?

Ora aí estão algumas respostas que podem marcar a diferença no mercado cada vez mais competitivo das utilidades domésticas. Se estas foram criadas para, ao longo dos tempos, facilitar cada vez mais o desempenho das tarefas, podem no século XXI constituir também uma parte do nosso meio de evasão, quer pela sua aparência e forma de encaixe decorativo no todo que constitui o lar, quer por uma faceta lúdica que possa adaptar-se a qualquer gosto ou ambiente.

Inovar para diferenciar é a chave para solucionar a estagnação que se vive actualmente. Os mercados das utilidades domésticas, que há 50 anos eram consideradas um bem de luxo, há 30 de segunda necessidade e hoje um produto que encaixa o top das prioridades de qualquer adulto, exigem uma mudança.

Há que aproveitar a evolução técnica, social e económica e construir um posicionamento distintivo, que marque a diferença face à concorrência e atraia a atenção e o desejo do consumidor, oferecendo-lhe mais-valias ajustáveis à sua realidade. Personalizar, apresentar utilidades múltiplas (ou acessórios capazes de o assegurar), acompanhar o Cliente ao longo da vida e do ciclo do produto são três pólos que fazem a diferença.



Carla Santos

Título: Mercados impelem à inovação

Autor: Carla Santos (todos os textos)

Visitas: 0

622 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    07-06-2014 às 21:03:45

    O mercado é volátil. O que hoje faz sucesso, amanhã já não o faz. Por isso, as empresas investem cada vez mais em inovação - eis aí o perigo também do consumismo!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Mercados impelem à inovação

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios