Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > Bruce Springsteen – The Boss

Bruce Springsteen – The Boss

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Biografias
Bruce Springsteen – The Boss

Há quem o conheça por Bruce, ou somente por Springsteen, mas se falar em The Boss qualquer um vai saber de quem está a falar.

Bruce Frederick Joseph Springsteen nasceu em Long Branch, em New Jersey nos Estados Unidos da América em 1949. Springsteen tem uma descendência bastante interessante, sendo filho de um motorista de origem holandesa e irlandesa e de uma mãe administrativa de ascendência italiana. Com tantas origens misturadas, só podíamos esperar de Bruce um temperamento defensor da pátria mas acima de tudo da classe trabalhadora. Isso está refletido em músicas como as que encontramos no álbum “Born To Run”.

Dono de uma voz única e rouca, The Boss já ganhou vários prémios entre eles 20 Grammys, 4 American Music Awards e inclusivamente um Oscar e já vendeu mais de 150 milhões de discos em todo o mundo.

Toca guitarra desde os 13 anos (prenda oferecida pela mãe) e diz que esse foi o início de todo o sonho. Desde o final dos anos 60 que Bruce compunha e cantava em diversas bandas de rock e tocava em inúmeros clubes e festas. Em 1971 formava a banda The Bruce Springsteen Band.

Chamou a atenção em 1974 quando um conhecido jornalista da revista “The Real Papper” mencionou o nome de Bruce quando disse “Eu vi o futuro do Rock n’Roll e o seu nome é Springsteen”. Mais tarde, este jornalista tornava-se uma peça fundamental na produção do álbum “Born To Run” lançado em 1975.

Em 1978 alcançando o 5º álbum nas tabelas de vendas, Bruce edita “Darkeness on the Edge of Town” vendendo mais de 3 milhões de cópias.

Em 1980 Bruce alcançava e antecipava um estilo que se anunciava com “The River” e em 1982 lança “Nebraska”.

Em 1984 lança aquele que é considerado o hino e nasce “Born in the U.S.A.” e vende 15 milhões de discos. O álbum superou espectativas e foi gloriosamente recebido pelos veteranos da guerra do Vietnam que se viam refletidos nas letras patriotas e indiscutivelmente fantásticas de Bruce.

Álbuns como “Human Touch” (1992), “Lucky Town” (1992), “The Rising” (2002) e “Working On a Dream” (2009) são grandes exitos que The Boss nos oferece recheados de letras cheias de sentimento e sentido para todos aqueles que entendem o que é viver, crescer e vencer a pulso.


Carla Horta

Título: Bruce Springsteen – The Boss

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

769 

Comentários - Bruce Springsteen – The Boss

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios