Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > Aspectos da vida quotidina dos cristão nos séculos II e III

Aspectos da vida quotidina dos cristão nos séculos II e III

Categoria: Arte
Aspectos da vida quotidina dos cristão nos séculos II e III

Os aspectos da vida quotidiana dos cristãos podem encontrar-se nas profissões, na família, no papel das mulheres, no cuidado prestado aos mortos e nos primeiros espaços arquitectónicos dos cristãos.

Os cristãos não podiam ser donos de casas de prostituição, fabricantes de ídolos, gladiadores, sacerdotes de templos do paganismo, adivinhos, mágicos, actores de teatro.
Os romanos tinham dois tipos de casamento: cum manu, dividindo-se em confarectio (casamento dos aristocratas), coenptio (compra da noiva ao pai desta) e usus (homem e mulher que coabitassem durante um ano e um dia), e sine manu. Nos casamentos cum manu, a mulher tem os mesmos direitos que os seus futuros filhos. Não pode fazer nenhum acto livre. Tem o dote, é a proprietária, mas não o administra. Caso fique viúva recupera o dote para puder casar outra vez. Se ficar viúva e o sogro ainda estiver viúvo, fica na sua tutela. Não há divórcio nesta forma de casamento. Se a mulher for adúltera, o marido pode repudia-la. Se não o fizer, é acusado de prostituição. O marido nunca é adúltero, pois pode ter as mulheres que quiser. Nos casamentos sine manu, a mulher é mais livre. O Cristianismo pede igualdade no homem e na mulher, e aconselhava que o concubinato devia desaparecer. Os últimos a renunciar ao concubinato foram os imperadores.

A mulher era considerada um ser incompleto, imperfeito, um ser que nasceu subordinado ao homem. A mulher é um ser fraco, este era o argumento, até porque etimologicamente mulher significa moleza. Por incrível que pareça aos ocidentais, esta era também a mentalidade da mulher.

No culto dos ortos, os cristãos vão distinguir-se por prestar cuidados especais por mártires. A prática de queimar os mortos vai ser substituída pelos sepultamentos, o que vai dar origem aos cemitérios. Os cadáveres iam para o túmulo despojados de vida, logo não precisavam de levar coisas de valor ou irem pintados. Os cristão não têm sarcófagos de luxo, optando pela modéstia. Ao longo do tempo, começam a utilizar símbolos do paganismo com uma interpretação própria, como por exemplo: A Orante, o Peixe, o Bom Pastor, e, mais tarde, símbolos do Antigo Testamento, como Adão e Eva.

Até ao século IV não há edifícios cristãos, porque este não sentiram necessidade desses espaços. Quando precisavam reunir-se usavam um espaço doméstico. No século III, aparecem a «domus ecclesiae», casas pequenas, modestas, pobres, discretas.


Daniela Vicente

Título: Aspectos da vida quotidina dos cristão nos séculos II e III

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 0

632 

Comentários - Aspectos da vida quotidina dos cristão nos séculos II e III

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como cuidar de Plantas de interior

Ler próximo texto...

Tema: Bricolage Jardim
Como cuidar de Plantas de interior\"Rua
Cada planta tem um comportamento diferente, vou colocar aqui alguns cuidados que servem para a maioria delas.

LUZ:

Os principais erros no cultivo de plantas de interior é a falta de luz.
Se elas estiverem em locais onde não há luz suficiente, isso pode ser corrigido com a instalação de luz artificial, existe no mercado lâmpada que imitam a luz natural.


TEMPERATURA:

Mudanças bruscas de temperatura retardam e até paralisa o crescimento da planta, bem como causa a queda de folhas.


UMIDADE:

A maioria das plantas necessita de uma umidade atmosférica adequada.
Normalmente notamos que a planta não está com a umidade correta quando acontece ficarem amarelas e a queda de folhas.


IRRIGAÇÃO:

Conselhos básicos:
Uma planta em fase de crescimento vai precisar de mais água que uma que está em fase de dormência, ou já atingiu o seu tamanho adulto.
Durante a floração a planta precisa de mais água que em sua fase de crescimento
Em ambientes internos mais quentes é evidente que a planta vai precisar de mais águas que em ambientes mais frios.
Para saber qual é o momento exato de molhar, enfie o dedo no substrato, se sentir ele seco, chegou a hora

FERTILIZANTE:

Para que a planta tenha um desenvolvimento harmonioso convém usar periodicamente de fertilizantes que podem ser líquido ou sólidos.
No mercado existe a venda fertilizante com fórmulas específicas para cada planta.
Após a utilização do fertilizante regue a planta.

LIMPEZA:

Faça regularmente a limpeza de folhas secas e caule, pois elas são bastante positivas não só esteticamente como para a saúde das plantas.
Se estiver acumulada muita poeira sobre as folhas, espane, e depois passe um pano húmido
Atenção: Existe algumas espécies, que tem as folhas aveludadas, tipo a Violeta Africana, Begônia Rex, etc. que não deve ser colocada água é só usar uma escovinha bem macia.

TROCA DE VASO:

De uma maneira geral após 1 ou 2 anos as plantas de interior devem ser colocadas em vasos de tamanho maior.
Isso deve ser feito porque as raízes passam a ocupar um grande espaço e também porque o substrato vai perdendo sua composição inicial.
A época mais adequada varia de planta para planta, algumas devem ser feitas na primavera e outras quando estão na fase de repouso.
Aproveite para obterem mudas, separando brotos e dividindo touceiras.

Pesquisar mais textos:

Miguel Pereira

Título:Como cuidar de Plantas de interior

Autor:Miguel Pereira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:09:31

    Muito bom! É tão gratificante cuidar de plantas. A gente vê o quanto elas florescem quando são bem-cuidadas. Amei as dicas!

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    18-04-2014 às 22:36:55

    Fantástico seu texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios