Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > Veneza, uma cidade perdida na fantasia

Veneza, uma cidade perdida na fantasia

Categoria: Viagens
Comentários: 1
Veneza, uma cidade perdida na fantasia

Veneza, uma cidade romântica de Itália construída sobre água, tem múltiplas atracções para oferecer aos seus visitantes, entre elas: a Basílica San Marco (a fachada encontra-se actualmente a ser restaurada), Palácio dos Doges, Piazza San Marco (repleta de vendedores ambulantes e de muitos pombos), Grande Canal, Galerias da Accademia, Coleccção Peggy Guggenheim, entre outras.

Veneza tem vários tipos de embarcações, sendo as mais famosas a Gôndola (73 euros por 50 minutos e este valor pode aumentar à noite e na época de festividades), para atravessar os canais de Veneza, e o Vaporetto, para andar entre as várias ilhas.

A fazer parte da paisagem encontramos as várias pontes que nos permite deslocar dentro de Veneza. A Ponte dos Suspiros e a Ponte do Rialto destacam-se pela sua história e beleza.
Coisa imperdíveis em Veneza: o Spritz, um vinho branco de Veneza com aperitivos, que se bebe ao fim da tarde; o vidro de Murano, muito bonito e requintado (pode visitar-se as fábricas do vidro de Murano na ilha de Murano; as máscaras típicas de Veneza, que alcançam valores impossíveis para muitos turistas; a ópera em Veneza, assim como a música em geral é uma constante que alegra a cidade, portanto não deixe de andar pela cidade à noite, onde se vai confrontar com muitas ofertas musicais; por fim, visitar a praia do Lido de Veneza, banhada pelo Mar Adriático, e muito limpa (é no Lido que ocorre o Festival Internacional de Cinema, em Setembro, uma atracção para quem gosta de cinema). Nesta ilha já vemos carros e pode alugar-se bicicletas. Por fim, não perca o pôr-do-Sol, enquanto toma um chá no Caffè Florian, onde a história e a beleza se confundem.

Alguns conselhos: leve pouca bagagem, pois vai ter que andar sempre com ela; quando chegar ao aeroporto de Marco Polo apanhe o Vaporetto para a ilha do seu hotel, desfrutando assim de um percurso magnífico e transcendente (não aconselhável a pessoas que enjoem); caso goste de alguma privacidade pode sempre apanhar os táxis aquáticos, porém é sem dúvida uma opção mais cara; use calçado confortável, pois o piso assim o requere. Atenção, se for a Veneza entre Outubro e Março pode deparar-se com as cheias. Quando se ouvem as sirenes é sinal que a água está a subir e deve-se tomar as devidas precauções. Normalmente, a Piazza de San Marco fica submersa.

Boa Viagem!


Daniela Vicente

Título: Veneza, uma cidade perdida na fantasia

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 0

602 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    13-06-2014 às 16:23:43

    Tenho muita vontade de conhecer Veneza! Pelas fotos que vejo é realmente encantadora! Um dia irei conhecer ainda e colocarei em prática a sua dica de levar pouca bagagem! Obrigada!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Veneza, uma cidade perdida na fantasia

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios