Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Vestuário > Qual o melhor comprimento para as calças?

Qual o melhor comprimento para as calças?

Categoria: Vestuário
Visitas: 2
Comentários: 1
Qual o melhor comprimento para as calças?

Existem personagens e artistas que se destacaram por vários motivos. Entre eles a indumentária, composto por peças de roupa concretas e marcantes, que são ainda hoje associados a determinado personagem.

O caso de Mrs Bean é um deles. Um ar ligeiramente tonto acompanhado por um fato bege meio apertado com umas calças de bainha subida.

Calças curtas são um marco em muitos personagens e acontece muito por aí, se vemos alguém de caças curtas, o associarmos a determinado artista, por exemplo.

Calças curtas estão fora de moda, apesar de já terem estado em voga. No inicio dos anos 80 a moda das calças curtas andava na crista da onda, mas apesar de muitas peças de roupa destes loucos anos estarem de volta, as calças curtas ficaram mesmo por aquela altura. Calças curtas não se usam. Podem usar-se calções, corsários, ou simplesmente umas calças, mas calças curtas nunca.

Mas afinal como se pode verificar se umas calças estão curtas ou compridas?
Qual é na realidade o tamanho ideal para umas calças?

Bem, antes de mais não nos podemos esquecer que gostos não se discutem e o que para uns é bonito, pode não agradar aos outros. No entanto e independentemente de tudo, calças são calças e o seu corte e cair sobre o sapato tem sempre de ser perfeito.

Umas calças estão grandes quando ao caminharmos, a parte de trás de encaixa debaixo do calcanhar do sapato. A sensação de que estamos sempre a pisar as calças causa antes de mais desconforto, mas além disso, fica feio e estraga as calças. O tecido, mesmo que resistente, acaba por rasgar.

Umas calças são consideradas curtas, quando ao andarmos, conseguimos visualizar os atacadores dos sapatos ou o começar da meia.

O tamanho ideal é quando as calças caiem por cima do sapato. Isto é, quando está em pé, a parte de trás das calças tem de bater no fim do sapato, quase a roçar no chão. Como as bainhas são feitas a direito, a parte da frente das calças vai cair levemente sobre o sapato. Isto sim é um tamanho ideal.

Umas calças, ao necessitarem de uma bainha, devem ser marcadas com os sapatos calçados, pois é com sapatos que as vai utilizar. Muito provavelmente não conseguirá marcar as bainhas para posteriormente as fazer. Se não tiver ninguém a jeito para o fazer por si, o melhor é medir por umas calças que lhe caiam na perfeição.


Carla Horta

Título: Qual o melhor comprimento para as calças?

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 2

794 

Imagem por: Megyarsh

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    20-08-2014 às 00:40:25

    Gosto de calças bem justas ao corpo. Mas, também não aprecio aquelas calças muito compridas não, ficam bem desajeitadas no look.

    ¬ Responder

Comentários - Qual o melhor comprimento para as calças?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Imagem por: Megyarsh

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios