Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Plantas para diminuir a febre

Plantas para diminuir a febre

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Plantas para diminuir a febre

As plantas febrífugas são indicadas para diminuir a febre e o calor da pele. além disso são também utilizadas para outras doenças como o sarampo, febre escarlatina e varicela.
As mais utilizadas para o efeito são o azevinho, muito conhecido e normalmente ornamenta as decorações natalícias. É cultivado em jardins e parques, e parece sempre verdinho e com frutos vermelhos. As suas folhas com o tempo tornam-se macias e têm propriedades anti-espasmódicas, emolientes, sudorífigas, febrífugas e tónicas.

As suas folhas são fervidas para infusão que é muito bom para a febre (30 g num litro de água). Por outro lado o pó das bagas serve como purgativo (dois a cinco gramas).
A escabiosa, planta de terrenos incultos e húmidos, tem propriedades ótimas para a bronquite, congestões pulmonares, broncopneumonias, traqueia e ainda depurativas, para a pele e acne. Pode seu usado em xarope com o suco da planta fresca e em licor.

A quina, arbusto originário dos Andes da América tropical, é utilizada pela medicina devido á sua casca ter propriedades bebrífugas, tónicas, adstrigentes, fortificantes e aperitivas. O seu pó é aplicado em úlceras, dentífricos antisépticos , loções capilares, etc.
O cardo-santo, muito popular,possui uma estranha beleza e é considerado o refúgio dos doentes, o tesouro dos pobres e a panaceia dos pais de família. Diz-se que a semente do cardo santo, fortifica a memória e é calmante do coração.

Cultiva-se nos campos e outeiros e cresce em abundância em Trás- Os- Montes e Alto Alentejo. Considera-se um excelente febrífugo, antiséptico, diurético e sudorífero. É aplicado com grande êxito nas vias digestivas e estimula o apetite.
A sua infusão deve ser tomada antes das refeições (15 a 50 g por litro de água), três vezes ao dia.As folhas cozidas são boas para quem sofre de ulceras do estômago.

A cavalinha, cobre totalmente com as suas flores de cor de púrpera os montes dos velhos muros. Tem propriedades boas para a febre e em uso interno, é ideal para catarros mucosos, congestão do fígado e bronquite (30 a 40 gpor litro de água). É muito boa para a digestão, úlceras e como aperitivo, em licores.

O trevo de àgua, submerso na água,tem no seu calo ramos florais dotados de propriedades tónicas, estomáquicas e é ideal para anemias. Usa-se em infusão( 30 g de planta seca fervida em água) a tomar três vezes ao dia antes das refeições. Usa-se ainda em enjoos e falta de apetite e mensruação.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Plantas para diminuir a febre

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

761 

Comentários - Plantas para diminuir a febre

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios