Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > O que é a Hemofilia?

O que é a Hemofilia?

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
O que é a Hemofilia?

A doença é conhecida em todo o mundo e o nome não é nada estranho, mas sabe realmente o que é a hemofilia?

A Hemofilia é uma doença congénita de transmissão genética ligada ao cromossoma X. A deficiência dá-se no processo de coagulação do sangue e afeta os homens sendo estes considerados hemofílicos, enquanto que as mulheres são consideradas portadoras.

Caracterizando-se pela ausência ou acentuada carência de coagulação, as hemorragias são frequentes e perigosas.

Em 90% dos casos ocorre a hemofilia A onde existe a falta do fato de coagulação VIII. Para Além desta, existem a hemofilia B e C.

Se para uma pessoa comum um corte pode originar um derrame de sangue um pouco difícil de estancar, para um hemofílico pode acontecer uma hemorragia por um período excessivo de tempo, onde a perda de sangue é substancial e perigosa.

Apesar de não ter cura, existem já vários estudos que melhoram o tratamento. Muito devido a grandes avanços na área da hemofilia mas também devido ao fundamental papel das Associações dos Hemofílicos, espalhadas por muitos países, o atenuar das causas e o evitar das consequências é uma realidade. Injeções regulares de fatores de coagulação são uma prática comum. Terapia genética ou produtos derivados do plasma humano podem manter a vida de um hemofílico bastante mais ativa e próxima do normal.

Já em 130 DC, Talmud escrevia um texto judaico onde referia que as crianças cujas irmãs tivessem morrido de hemorragias, não se deveriam submeter á circuncisão.

Em 1803, John Conrad estudava que existiam tendências a sangramentos em algumas famílias e detetava que tal acontecimento acontecia mais em homens do que em mulheres.

Durante as décadas de 70 e 80 as transfusões de sangue eram feitas em grande escala em hemofílicos. No entanto com o aparecimento dos receios que o VIH as transfusões de sangue tornaram-se de certa forma perigosas. Ainda nos dias de hoje e perante a falta de medicamentos entre alguns doentes (cerca de 75% dos hemofílicos à escala mundial), o tratamento para um bem, pode transformar-se numa morte anunciada.
Os perigos de hemorragias e dos problemas musculares, faz com que os hemofílicos tenham de ter cuidados redobrados.

Protegerem-se de traumatismos, imobilizar por completo as articulações em caso de hemorragia, cuidados redobrados na visita ao dentista e especial atenção a lavagens intestinais, por exemplo.

É essencial que um hemofílico tenha sempre consigo um cartão de identificação como hemofílico, onde deverá constar o grupo sanguíneo, a pessoa a quem contatar em caso de emergência, o nome do médico e o local onde faz os seus tratamentos.


Carla Horta

Título: O que é a Hemofilia?

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

635 

Comentários - O que é a Hemofilia?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Receptores digitais

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: TV HIFI
Receptores digitais\"Rua
Os receptores digitais são instrumentos que têm a função de receber sinal por via de canais digitais.

De acordo com a sua função, estes canais poderão ser satélite ou por cabo. Actualmente, já existem bastantes serviços de televisão por cabo que funcionam apenas com estes receptores, uma vez que é através deles que se consegue ter acesso não só aos canais de serviço, mas também a pacotes codificados.

O serviço de recepção de canais por satélite é um sistema independente para o qual é necessário ter um disco receptor satélite de modo a poder ter canais digitais fora dos serviços prestados pelos operadores de televisão digital.

Este instrumento permite que os próprios ecrãs sem tecnologia digital passem a usufruir desta através destes receptores. No entanto, a melhor qualidade só é garantida com um ecrã já com esta tecnologia.

Os receptores digitais permitem também aceder a uma multiplicidade de serviços, desde que devidamente configurados. Por exemplo, com estes receptores, é possível aceder a menus específicos de pausa de emissão para depois ser continuada, de serviços on-demand ou acesso a portais específicos, entre outros.

Esta pequena caixinha permite ao seu utilizador usufruir da televisão a um novo nível, de modo a que possa ter todas as comodidades no conforto do lar. 

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Receptores digitais

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    04-06-2014 às 06:53:28

    Gostei dos receptores digitais. Bom texto abordando isso.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios