Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Não se deixe vencer pelo álcool!

Não se deixe vencer pelo álcool!

Categoria: Saúde
Visitas: 10
Comentários: 9
Não se deixe vencer pelo álcool!

O álcool, quando consumido em excesso constitui, como é do domínio geral, um flagelo. Cometem-se atrocidades em nome do álcool, e destroem-se vidas por causa daquilo que alguns apelidam de “vício”. Na verdade, trata-se de algo que, podendo ter raízes várias, apresenta consequências, quase sempre, muito semelhantes.

O tipo de alcoolismo a que se assiste na actualidade comporta diferenças relativamente ao que era hábito, e reveste-se de maior perigo e gravidade, uma vez que consta de ingerir bastante num curto espaço de tempo, geralmente durante uma saída à noite ou ao fim-de-semana. Dizem as estatísticas que, nestes períodos, aumentam os acidentes rodoviários, a violência e o sexo desprotegido com desconhecidos. A própria Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta o consumo de álcool com factor de risco para a infecção com HIV.

Os shots, tão em voga, embora servidos em copos de tamanho reduzido, possuem um elevadíssimo teor alcoólico, sendo que dez bebidas destas contêm álcool equivalente a três litros de cerveja. Os shots arruínam o fígado, mas isso pouco importa aos beneficiários dos lucros das teias de interesses estabelecidas à volta deste negócio.

Estima-se que seja, em média, aos treze anos que os adolescentes iniciam o seu gasto de bebidas alcoólicas, e se o consumo for frequente e se mantiver até à maioridade o risco de dependência aumenta na ordem dos 50 por cento. As pessoas do sexo feminino são mais sensíveis às substâncias tóxicas do álcool, pelo que uma menor quantidade lhes provoca maiores danos.

Elevar os impostos cobrados sobre as chamadas “bebidas espirituosas” pode ser uma tentativa de travar esta epidemia, limitando os ganhos, uma vez que, à medida que os proveitos aumentam, o preço do álcool diminui, o que estimula ainda mais a aquisição e por aí adiante, numa espiral que termina, não raras vezes, em desgraça. Condicionar, ou mesmo vetar, anúncios publicitários ao álcool, a par da proibição da venda a menores de determinada idade integram também o rol de medidas a tomar para combater o alcoolismo.

A ingestão continuada e desmedida de álcool pode ser portadora de cirroses, a curto, médio ou longo prazo, dependendo da porção, da constituição física, da predisposição genética, da existência, ou não, de complicações de saúde, e de outras realidades da própria pessoa, que, no extremo, são passíveis de derivar para cancro do fígado.

A morte e a incapacidade permanente estão, de igual modo, ligadas, em grande parte, à condução sob o efeito do álcool. O condutor, não reconhecendo a sua inaptidão para governar uma viatura em tais condições, insiste em dizer-se na posse das suas faculdades e o resultado não tarda em aparecer. Os acidentes na estrada são a principal causa de morte dos jovens!



Maria Bijóias

Título: Não se deixe vencer pelo álcool!

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 10

807 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 9 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    15-07-2014 às 23:44:39

    O álcool é terrível! Destrói vidas, causa dores irreparáveis. Muito chato quando a gente tem na família uma pessoa que se vivou em álcool. Não podemos deixar que ele nos vença. Tome as rédeas e siga em frente!

    ¬ Responder
  • Xavier T.

    19-02-2013 às 15:10:43

    Alcoolismo - Uma luz no fim do tunel - Livro - Edicao eletronica - Dowload gratuito http://alcoolnuncamais.com.br

    Alcoolismo, a historia de recuperacao bem sucedida de um alcoolico. Uma historia de vida real, como um dependente do alcool conseguiu parar de beber.

    ¬ Responder
  • Alan

    08-01-2013 às 07:14:49

    Gente, o que acontece com o Português de vcs? Vcs estão alcoolizados?

    ¬ Responder
  • Osvaldo Mendes

    07-08-2012 às 04:31:31

    Se voce nao quer mais o Alcu da o Alcu pra mim KKKkkkKKK, vai dar ou nao???

    ¬ Responder
  • ValterValter

    09-07-2012 às 20:40:58

    Tenho esse mesmo problema comolicado

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAM

    13-06-2012 às 14:41:47

    Eu sou casada com um homen que dia sim dia sim dia não está bebedo e é empresario ,ao poder dos anos eu já sou igual tento mas só consigo alguns dias não beber depois enervo-me de o ver bebado e bebo também é um inferno. já tomei Diaprida ajuda muito.tenho vergonha de mim mesmo a familia toda sabe e todos dizem para o deixar mas com 46 anos faço o qué?o medico psickiatra disse-me para resolver o meu problema só assim serei capaz ! o pior é que sou cobarde e não consigo....

    ¬ Responder
  • josejose

    08-04-2011 às 23:43:04

    @marco
    Desiste, essa decisão está em ti.

    ¬ Responder
  • JucéliaJucélia

    23-12-2009 às 11:19:51

    Tenho familiar com problema de alcoolismo grave, procuro uma clínica particular para internar, em mato grosso(juína ou cuiabá), 50 anos lutando contra o vicío mais não aceita tratamento só podemos interná-la durante uma crise, (violenta) estamos nos preparando para o pior,infelizmente,
    sempre estivemos lutando juntos, (alcoolicos anonimos etc...) mas agora a pessoa se entregou e está violenta durante crises.

    ¬ Responder
  • marcomarco

    11-06-2009 às 11:04:34

    olá a todos chamo-me marco sou de beja tenho 28 anos, não sou alcóolico mas tenhoum problema com a bebiba que quando começo a beber não consigo parar, tenho consigo controlar este inpulso para a bebida e ao longo da minha vida ja tenho feito algumas asneiras por causa do alcool.
    neste momento estou a ser medicado mas mesmo assim de vez enquando tenho recaídas.ja não sei o que fazer.
    passo tempos sem beber alcóol e consigo lidar bem com esse problema mas tenhpooutras alturas em que etou mais em baixo e tenho de recorrer a esse tipo de droga ou quando não consigo desabafar na altura certa com alguem.
    fa pensei em fazer um tratamento em clinicas privadas, mas especialista dizem que não é caso para ixo outros dizem que não se perdia nada e eu não sei o que fazer. se me podesse dar algum conselho agradecia obrigado

    ¬ Responder

Comentários - Não se deixe vencer pelo álcool!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Ex-Machina e a máxima: cuidado ao mexer com os robôs.

Ler próximo texto...

Tema: DVD Filmes
Ex-Machina e a máxima: cuidado ao mexer com os robôs.\"Rua
Este texto irá falar sobre o filme Ex_Machina, nele podem e vão ocorrer Spoillers, então se ainda não viram o filme, vejam e voltem depois para lê-lo.

Impressões iniciais:

Ponto para o filme. Já que pela sinopse baixei a expectativa ao imaginar que era apenas mais um filme de robôs com complexo de Pinóquio, mas evidentemente que é muito mais que isso.

Desde as primeiras cenas é possível perceber que o filme tem algo de especial, pois não vemos uma cena de abertura com nenhuma perseguição, explosão ou ação sem propósito, típica em filmes hollywoodianos.
Mais um ponto, pois no geral o filme prende mais nos diálogos cerebrais do que na história em si, e isso é impressionante para o primeiro filme, como diretor, de Alex Garland (também roteirista do filme). O filme se mostrou eficiente em criar um ambiente de suspense, em um enredo, aparentemente sem vilões ou perigos, que prende o espectador.

Entrando um pouco no enredo, não é difícil imaginar que tem alguma coisa errada com Nathan Bateman (Oscar Isaac), que é o criador do android Ava (Alicia Vikander), pois ele vive isolado, está trabalhando num projeto de Inteligência Artificial secreto e quando o personagem orelha, Caleb Smith (Domhnall Gleeson), é introduzido no seu ambiente, o espectador fica esperando que em algum momento ele (Nathan) se mostrará como vilão. No entanto isso ocorre de uma forma bastante interessante no filme, logo chegaremos nela.

Falando um pouco da estética do filme, ponto para ele de novo, pois evita a grande cidade (comum nos filmes de FC) como foco e se concentra mais na casa de Nathan, que fica nas montanhas cercadas de florestas e bastante isolado. Logo de cara já é possível perceber que a estética foi pensada para ser lembrada, e não apenas um detalhe no filme. A pesar do ambiente ser isolado era preciso demonstras que os personagens estão em um mundo modernizado, por isso o cineasta opta por ousar na arquitetura da casa de Nathan.

A casa é nesses moldes novos onde a construção se mistura com o ambiente envolta. Usando artifícios como espelhos, muitas paredes de vidro, estruturas de madeira e rochas, dando a impressão de camuflagem para a mesma, coisa que os ambientalistas julgam favorável à natureza. Por dentro se pode ver de forma realista como podem ser as smart-house, não tenho certeza se o termo existe, mas cabe nesse exemplo. As paredes internas são cobertas com fibra ótica e trocam de cor, um efeito que além de estético ajuda a criar climas de suspense, pois há momentos onde ocorrem quedas de energia, então fica tudo vermelho e trancado.

O papel de Caleb á ajudar Nathan a testar a IA de AVA, mas com o desenrolar da história Nathan revela que o verdadeiro teste está em saber se Ava é capaz de “usar”, ou “se aproveitar” de Caleb, que se demonstra ser uma pessoa boa.

Caleb é o típico nerd introvertido, programador, sem amigos, sem família e sem namorada. Nathan também representa a evolução do nerd. O nerd nos dias de hoje. Por fora o cara é careca, barbudão com uns traços orientais (traços indianos, pois a Índia também fica no Oriente), bebê bastante e ao mesmo tempo malha e mantém uma dieta saudável pra compensar. E por dentro é um gênio da programação que criou, o google, o BlueBook, que é um sistema de busca muito eficiente.

Destaque para um diálogo sobre o BlueBook, onde Nathan fala para Caleb:
“Sabe, meus concorrentes estavam tão obcecados em sugar e ganhar dinheiro por meio de compras e mídia social. Achavam que ferramenta de pesquisa mapeava O QUE as pessoas pensavam. Mas na verdade eles eram um mapa de COMO as pessoas pensavam”.

Impulso. Resposta. Fluido. Imperfeição. Padronização. Caótico.

A questão filosófica vai além disso esbarrando no conceito de “vontade de potência”, de Nietzche, mas sobre isso não irei falar aqui, pois já há textos muito bons por aí.

Tem outra coisa que o filme me lembrou, que eu não sei se é referência ou se foi ocasional, mas o local onde Ava está presa e a forma como ela fica deitada num divã, e questiona se Caleb a observa por detrás das câmeras, lembra o filme “A pele que habito” de Almodóvar, um outro filme excelente que algum dia falarei por aqui.

Talvez seja uma versão “O endoesqueleto de metal e silicone que habito”, ou “O cérebro positrônico azul que habito”, mesmo assim não podia deixar de citar a cena por que é muito interessante.

Pesquisar mais textos:

Jhon Erik Voese

Título:Ex-Machina e a máxima: cuidado ao mexer com os robôs.

Autor:Jhon Erik Voese(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Suassuna 11-09-2015 às 02:03:47

    Gostei do texto, irei conferir o filme.

    ¬ Responder
  • Jhon Erik VoeseJhon Erik Voese

    15-09-2015 às 15:51:02

    Que bom, obrigado! Espero que goste do filme também!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios