Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Não confunda bulimia com anorexia

Não confunda bulimia com anorexia

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Visitas: 2
Não confunda bulimia com anorexia

A bulimia nervosa é um distúrbio alimentar associado à anorexia nervosa. A sua principal característica assenta no facto de a pessoa tender a alimentar-se em excesso e de uma forma compulsiva, durante um período de tempo (no mínimo duas horas) para, em seguida, compensar esta ingestão recorrendo a métodos inadequados, como é o caso do vómito. Não obstante a variedade do tipo de alimentos consumidos, em geral estão incluídos produtos com alto valor calórico, do género de gelados ou bolos.

Normalmente, os episódios de compulsão alimentar acontecem fora do alcance visual dos outros, dado que a vergonha é um sentimento omnipresente na vida de quem padece de bulimia. Deste modo, os bulímicos aproveitam a noite ou momentos de solidão para saciarem o seu “apetite” insaciável. Estas “vontades incontroláveis” são, por norma, desencadeadas por algo, interno ou externo, que é encarado como factor de stress. Sentimentos de tristeza, de depressão, fome veemente após algum tempo de restrição alimentar motivada por dieta (a bulimia pode alternar com períodos de anorexia), insatisfação com o peso ou a imagem, entre outros, são alguns exemplos. O que sucede é que a ingestão compulsiva reduz temporariamente este desconforto interior, mas a autocrítica e o humor deprimido surgem frequentemente passados poucos instantes. De salientar que este tipo de atitude/comportamento foge completamente ao controlo do doente.

Tal como na anorexia, o problema gira à volta da figura corporal. A principal obsessão é a balança. O espelho, esse ignóbil objecto, insiste em devolver um reflexo distorcido, invariavelmente obeso, disforme, o que estimula a luta para atingir um peso ideal. Existem dois subtipos de bulimia, que se distinguem pela presença ou não de métodos purgativos que compensem uma compulsão: o género purgativo, em que o bulímico auto-induz o vómito ou faz uso indevido de laxantes e/ou diuréticos, e o tipo sem purgação, em que não há recurso a estes expedientes, mas sim a jejuns ou exercício físico excessivo.

Alguns dos possíveis sinais de alerta mais visíveis da bulimia incluem recusa ou evitamento em fazer as refeições em família ou em público, isolamento social, tristeza, irritabilidade, oscilações de humor, opção por roupas demasiado largas ou sobrepostas, perda progressiva de peso, concentração excessiva nos estudos ou trabalho em prejuízo de actividades lúdicas e idas à casa de banho imediatamente após as refeições. Outros sintomas, menos perceptíveis, englobam falta de período menstrual (amenorreia), interesse desmesurado por saber tudo acerca de calorias, valores nutritivos e tudo o que se relacione com nutrição, auto-mutilação, imagem deformada de si próprio e sentimentos de poder ao perder peso e de culpa ao comer.

Não se sabe ao certo o que está na génese da bulimia nervosa, podendo ser resultado da interacção de múltiplos agentes. O certo é que daí podem advir consequências como dores musculares, inflamações na garganta (por causa dos vómitos), cáries dentárias, desidratação e desnutrição, desmaios, osteoporose, vómitos com sangue e, no limite, a morte.



Maria Bijóias

Título: Não confunda bulimia com anorexia

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

761 

Comentários - Não confunda bulimia com anorexia

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios