Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Doença de Peyronie

Doença de Peyronie

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Visitas: 46
Comentários: 10
Doença de Peyronie

A doença de Peyronie, assim chamada em honra ao médico cirurgião François Gigot de La Peyronie (cirurgião-mor da corte de Louis XV), que, em 1743, a descreveu. A doença revela um carácter benigno e incide sobre os corpos cavernosos do pénis, originando a formação de uma placa rígida nessa zona que dificulta ou impede mesmo a relação sexual. A doença permaneceu desconhecida durante muito tempo, pois o tabu em matéria de sexualidade sempre imperou na sociedade e só muito recentemente se abriu espaço para se debater livremente questões relacionadas com a sexualidade. A doença de Peyronie é uma delas e que, apesar da sua reduzida dimensão – afeta apenas 0,4 % a 3 % dos homens, à escala mundial – merece ser discutida e analisada.

As suas causas permanecem por esclarecer, mas alguns especialistas apontam o fator hereditário, o traumatismo peniano (na sequência de relações sexuais vigorosas, o que conduziria a feridas internas que, depois, cicatrizariam de forma anormal, formando as tais placas nos corpos cavernosos), anomalias do colagénio (relacionado com as proteínas do tecido conjuntivo) ou a medicação (beta-bloqueantes utilizados no tratamento da esclerose múltipla e do glaucoma) como possibilidades que desencadeariam a doença. Contudo, não existem certezas, apenas hipóteses.

A doença percorre diversas fases, sendo que a primeira se caracteriza por ereção dolorosa, a segunda pelo aparecimento de placas rígidas no pénis e desaparecimento da dor e, a terceira, pelo surgimento de uma curvatura do pénis durante a ereção, motivo pelo qual muitos homens acabam por vencer os seus receios e decidem-se a consultar um médico – já numa fase avançada da doença. A faixa etária mais afetada pelo problema compreende-se entre os 40 e os 60 anos e as suas complicações envolvem óbvias dificuldades na manutenção de relações sexuais satisfatórias; a doença é muitas vezes acompanhada de vergonha e chega a ser encarada como uma monstruosidade por parte do doente, afetando o bem-estar psicológico do mesmo e do casal. Todavia, a doença apresenta-se em contornos benignos e, geralmente, estabiliza ao fim de 2 ou 3 anos.

O seu tratamento diverge muito de situação para situação. Assim, numa fase inicial da doença, o médico pode tomar uma atitude conservadora (mantendo apenas o paciente sob observação); se existirem sinais de progressão da doença, com desenvolvimento da placa, o médico pode receitar medicação oral (vitamina E) ou injetáveis na placa (colagenases e esteroides); numa fase mais avançada da doença, em que a curvatura do pénis impede já as relações sexuais por completo, é normalmente recomendada a cirurgia, através da qual se remove a placa e se substitui por próteses penianas, de forma a reconstruir o órgão sexual.

Isabel Rodrigues

Título: Doença de Peyronie

Autor: Isabel Rodrigues (todos os textos)

Visitas: 46

794 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 10 )    recentes

  • Paulo Campos

    31-07-2015 às 22:44:21

    Boa Noite. Alguém me pode indicar onde adquirir o potaba em Portugal?

    ¬ Responder
  • manuel rafael

    30-12-2013 às 07:05:43

    tenho 20 anos...meu penis desenvolveu esta doença depois de eu ter levado uma pancada duma colega minha no colegio no meus orgao genitais e desde entao tenho procurado ajuda e o medico diz que é normal ter esta doença com esta idade...gostaria da Dr.Mariana se com esta faixa etaria a doença é temperoria ou permanente?

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoPaulo Giunti

    15-01-2015 às 18:22:12

    Estou com esta doença a 2 anos e percebi que meu pênis diminuiu de tamanho e circunferência consideravelmente. Poderia recorrer a vitamina E 600mg ou seria melhor potoba 12g 3x ao dia juntamente com colchicina 2mg 3x ao dia
    3x ao dia

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    21-01-2015 às 15:32:09

    Boa Tarde,
    Muitos pacientes se sentiram bem com o consumo de vitamina E por via oral. Deve ser tomado acima de 500 mg/dia.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • ives manoel de carvalho

    23-09-2012 às 04:10:19

    Dra. Mariana tenho 61 anos e há 4 anos surgiu a doença. Fiz tratamento com vitamina E 1 ano e 1/2. Tomei por 6 meses POTABA Paraminobenzoato de potássio (manipulação) há dois anos e percebi que estabilizou depois disso.Tenho curvatura na extremidade para cima /- 30º. Não sinto dores como no inicio e foi por pouco tempo e sumiram depois da Potaba.
    Como seria o tratamento por fisioterapia? Gostaria de fazer tratamento, lógico se for viável, aguardo seu retorno!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoSérgiio

    26-01-2012 às 13:42:50

    @Mariana
    Sou portador da dõença de Peyronie, e gostaria de abordar esse tipo de tratamento .

    ¬ Responder
  • SérgiioSérgiio

    26-01-2012 às 13:29:32

    Dra. Mariana sou portador da dõença de Peyronie, li sua resposta ao sr. Claudio e tenho interesse em fazer tratamento com fisioterapia.

    ¬ Responder
  • João PauloMariana

    03-01-2012 às 13:17:37

    @Claudio
    Estou desenvolvendo um estudo no qual tratarei pacientes com fisioterapia, se tiver interesse entre em contato

    ¬ Responder
  • ClaudioClaudio

    25-09-2010 às 19:15:26

    tenho peyronie e estou a procura de tratamentos sem que seja a cirurgia, meu medico esta tratando somente com vitamina E e colchicina mas nao estou tendo resultados, li sobre intetáveis e gostaria de saber mais sobre essa e outras formas de tratamento?

    ¬ Responder
  • RuiRui

    01-11-2009 às 20:49:34

    Boa tarde.
    Gostaria de saber quais as causas mais provaveis para esta enfemindade, bem como se a litotriplica resolveria, ou outro tratamente teria mais eficiência?
    Tenho 57 anos, sempre fui mto viril, e tive um relacionamento por 11 meses aonde minha realções eram diárias, intensas e vorazes ...
    Não percebi nenhum trauma ou dores substanciais, e agora apresenta uma curvatura para baixo, e um extragulamento na base com a extenção de uns 3cm.
    Atenciosamente,

    ¬ Responder

Comentários - Doença de Peyronie

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Estratégia do arco-íris

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Serviços
Estratégia do arco-íris\"Rua
Pessoas comuns estão a descobrir novas estratégias que supostamente fazem dinheiro rápido. Mas, a verdade da questão é que, isso é quase impossível. Ao longo de sua jornada de negociação, vai experimentar algumas vitórias e derrotas. Então, vejamos uma das estratégias que irá produzir mais vitórias do que derrotas: a estratégia do arco-íris. Esta é uma estratégia muito poderosa que qualquer um pode utilizar, especialmente novatos lá fora. Se é novo no comércio de opções binárias e gostaria de ganhar dinheiro online, esta é a estratégia ideal para si.

A estratégia do arco-íris envolve um período de 6, 14 e 26 períodos, períodos de média móvel exponencial. Estes permitem filtrar os movimentos menores no mercado e dar-lhe uma visão clara da tendência.

O mercado está numa tendência alta quando o período de 6 EMA está no topo dos 14 períodos EMA e dos 26 períodos EMA. A tendência baixa ocorre quando as EMA cruzam-se. Agora, os 26 períodos EMA devem estar no topo da EMA de 14 períodos. Em tendências altas, os comerciantes devem concentrar-se principalmente em opções de compra.

Uma opção de compra pode ser acionada quando o preço para baixo remonta à EMA 14 e começa a mover-se para cima. Uma opção de venda pode ser acionada quando o preço refaz para cima, e os períodos EMA 14 começam a mover-se para baixo.

As vantagens desta estratégia é que muitos dos sinais são precisos e não requerem muita análise para fazer um bom negócio. Com a gestão de risco adequada, pode fazer desta a sua principal estratégia. Mas, antes de tomar essa decisão, saiba que existem algumas desvantagens. O preço às vezes pode ir além dos 14 períodos de EMA. Alguns comerciantes podem não saber como reagir a isso.

Além disso, mesmo se os mercados são tendências, ainda existe a possibilidade de dar sinais falsos, mas com a gestão de riscos aplicadas, esses sinais falsos não causam muito dano. Combinar esta estratégia com coisas como Fibonacci, linhas de tendência ou médias móveis podem ajudar a reduzir as chances de perdas.

Em geral, a estratégia do arco-íris é um grande indicador. Ele faz maravilhas nos mercados de tendências e é muito fácil de usar para os comerciantes de todos os níveis. No fim de contas, é apenas uma questão de fazer uma boa gestão de risco. É uma ótima estratégia para iniciantes começarem a usar e obterem vitórias, experiência e bastante dinheiro.

Pesquisar mais textos:

Jerónimo Diogo Magalhães

Título:Estratégia do arco-íris

Autor:Jerónimo Diogo Magalhães(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios