Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Depressão - uma luz ao fundo do túnel

Depressão - uma luz ao fundo do túnel

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Depressão - uma luz ao fundo do túnel

A depressão pode atingir diferentes níveis. Algumas apresentam sintomas de incapacidade e essas denominam-se de ‘depressões graves’. Normalmente, estes sintomas requerem uma atenção profissional porque são de facto muito sérios e desmoralizadores. Por sentir-se menosprezada, desprezada e inútil, uma pessoa pode inclusive alterar os seus hábitos de descanso e de atividade. O sono e a alimentação tornam-se irregulares. A falta de concentração, o alhear-se de tomar decisões ou a falta de energia são sintomas habituais. Pensar em suicídio também é frequente.

As depressões ligeiras são mais fáceis de tratar, de controlar e de resolver.

O combate à depressão é feito utilizando atividades rotineiras do paciente e também a forma como ele se sente.

O exercício físico regular é um dos mais poderosos anti-depressivos. O exercício físico ajuda a libertar as endorfinas que são substâncias químicas libertadas pelo cérebro. Quando o nível de endorfinas é baixo, a depressão manifesta-se. Além disso, o exercício físico oxigena o cérebro mantendo-o saudável. Um exercício de 30 minutos, sem grande esforço, feito diariamente, é uma receita ótima.

As depressões resultam de um enfraquecimento mental. Por isso, é recomendado que tome um suplemento multivitamínico/mineral com efeito forte.

Controle o horário do seu sono/descanso. Menos de oito horas de sono vários dias seguidos provoca uma propensão para a depressão. Deite-se e levante-se todos os dias por volta da mesma hora, mesmo ao fim de semana. Antes de se deitar, tome um banho relaxante. Este será o seu relaxante natural para um ótimo sono.

Faça por diversificar as suas atividades diárias. Ocupe-se com coisas diferentes ao longo do dia para que se sinta sempre estimulado.

Seja o melhor para si mesmo. Não entre em ondas de pena de si próprio nem se sinta mal com a crítica que fazem de si. Orgulhe-se de quem é em qualquer circunstância. Aceite os elogios que lhe fazem e aprenda com os erros que comete. Não faça disto um drama. É perfeitamente natural ter êxitos e insucessos. Não esteja sempre a culpar-se de tudo, até porque o mundo já existia quando nasceu e continuará a existir quando partir.

Alimente o otimismo. Aprecie os aromas do campo e o cheiro da maresia. Feche os olhos e respire fundo, calmamente. Adeus, depressão!


Ruben Duarte

Título: Depressão - uma luz ao fundo do túnel

Autor: Ruben Duarte (todos os textos)

Visitas: 0

608 

Comentários - Depressão - uma luz ao fundo do túnel

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios