Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Cegueira dos rios

Cegueira dos rios

Categoria: Saúde
Visitas: 6
Comentários: 6
Cegueira dos rios

A cegueira dos rios, ou oncocercose, é uma doença ocasionada pelo microorganismo onchocerca volvulus e transmitida pela chamada mosca preta, do género simulium (simulídeos), podendo lesar a pele, os olhos e o tecido linfático. Esta doença é transmitida de pessoa para pessoa por meio de picadas da mosca preta, que ataca de dia e se reproduz em rios e riachos, onde o perigo de propagação é máximo. Quando a mosca pica, recebe do indivíduo que é picado a microfilária (caso este se encontre infectado), que se desenvolve, posteriormente, para a forma de larva. Ao picar outra pessoa, inocula-lhe as larvas na pele. Estas começam a mover-se no tecido subcutâneo e produzem nódulos, onde se tornam adultas, dão origem a novas microfilárias e podem viver de nove a onze anos!

Que se saiba, o ser humano é o único afectado por uma patologia que constitui uma das principais causas de cegueira em África e a quarta a nível mundial, no que se refere a cegueira evitável. O período de incubação pode ir de nove a 24 meses. Os primeiros sintomas constam de febre, urticária, comichão, vermelhidão na pele e tumores fibrosos. É ainda possível que a derme se apresente enrugada, grossa, áspera, despigmentada e semelhante à de um lagarto ou leopardo. Quando os olhos são comprometidos, os sinais podem ir de visão turva à cegueira completa. Luzes mais intensas são passíveis de provocar dor e, na ausência de tratamento, a opacidade da córnea completar-se. A íris, a pupila e a retina são susceptíveis de ser afectadas, assim como o nervo óptico, que pode mesmo inflamar e iniciar um processo de degenerescência.

Os nódulos dos parasitas são identificados através de ecografia ou análise microscópica de amostras de biopsia. A detecção também pode ser levada a cabo por observação do olho com oftalmoscópio.

São utilizados dois princípios activos no combate à cegueira dos rios, um que paralisa e mata as microfilárias, aliviando a comichão, moderando o avanço da doença e travando a transmissão, e outro que actua de forma indirecta, porque destinado a destruir as bactérias com as quais o parasita vive em simbiose.

Constata-se que esta enfermidade é mais usual em homens do que em mulheres, quiçá mercê da maior exposição a que actividades como a agricultura e a pesca obrigam. A melhor maneira de acautelar a cegueira dos rios é evitar a picada da mosca, usando roupas de manga comprida e repelente de insectos.

A cegueira, além de conduzir ao abandono das zonas ribeirinhas, levando ao cultivo de áreas menos férteis e ao consequente empobrecimento, acarreta uma eventual diminuição da esperança de vida. Milhões de pessoas são atingidas, sendo que 95 por cento estão em África.

O Gana, a Libéria e a República Democrática do Congo dispuseram-se a participar em testes clínicos de um medicamento inovador, que se espera venha a liquidar ou, pelo menos, tornar estéreis, os parasitas adultos, no intuito de interromper o ciclo de contaminação.



Maria Bijóias

Título: Cegueira dos rios

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 6

806 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 6 )    recentes

  • maria serafim

    06-08-2015 às 12:32:50

    depois de tomar conhecimento sobre esta doenca
    gostava de saber o governo de cada pais pode ajudar na cura visto que a maioria das pessoas com essa epidimia sao de baixa renda isto em angola

    ¬ Responder
  • Naty

    09-06-2013 às 17:46:20

    Oi!!! Muito legal saber, me ajudou na lição de ciências. Obs: Quando escrever nome científico, o gênero(1ºnome) é em letra maiuscula, e a especie(2º nome) letra minuscula. Ex:Onchocerca volvulus, e não esquecer de deixar em destaque!!!
    :)

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoCecília

    09-09-2011 às 21:16:05

    é muito bom saber que podem ajudar que está a perder a visão, também gostariaa que em Portugal se preocupassem mais com a visão do cidadão em Hospitais Públicos. beijos

    ¬ Responder
  • ivan severoivan severo

    25-06-2011 às 18:41:46

    essa doemça é similar aquela do estado do tocantins?algo sinistro ocorre naquela região.

    ¬ Responder
  • ThaisThais

    26-04-2010 às 12:48:14

    Oi, isso é interessante, bjs.

    ¬ Responder
  • MARIA GERALDA REAL DE ASSUNÇÃOMARIA GERALDA REAL DE ASSUNÇÃO

    13-10-2009 às 16:17:24

    Ótimo documento

    ¬ Responder

Comentários - Cegueira dos rios

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios