Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Cegueira dos rios

Cegueira dos rios

Categoria: Saúde
Visitas: 6
Comentários: 6
Cegueira dos rios

A cegueira dos rios, ou oncocercose, é uma doença ocasionada pelo microorganismo onchocerca volvulus e transmitida pela chamada mosca preta, do género simulium (simulídeos), podendo lesar a pele, os olhos e o tecido linfático. Esta doença é transmitida de pessoa para pessoa por meio de picadas da mosca preta, que ataca de dia e se reproduz em rios e riachos, onde o perigo de propagação é máximo. Quando a mosca pica, recebe do indivíduo que é picado a microfilária (caso este se encontre infectado), que se desenvolve, posteriormente, para a forma de larva. Ao picar outra pessoa, inocula-lhe as larvas na pele. Estas começam a mover-se no tecido subcutâneo e produzem nódulos, onde se tornam adultas, dão origem a novas microfilárias e podem viver de nove a onze anos!

Que se saiba, o ser humano é o único afectado por uma patologia que constitui uma das principais causas de cegueira em África e a quarta a nível mundial, no que se refere a cegueira evitável. O período de incubação pode ir de nove a 24 meses. Os primeiros sintomas constam de febre, urticária, comichão, vermelhidão na pele e tumores fibrosos. É ainda possível que a derme se apresente enrugada, grossa, áspera, despigmentada e semelhante à de um lagarto ou leopardo. Quando os olhos são comprometidos, os sinais podem ir de visão turva à cegueira completa. Luzes mais intensas são passíveis de provocar dor e, na ausência de tratamento, a opacidade da córnea completar-se. A íris, a pupila e a retina são susceptíveis de ser afectadas, assim como o nervo óptico, que pode mesmo inflamar e iniciar um processo de degenerescência.

Os nódulos dos parasitas são identificados através de ecografia ou análise microscópica de amostras de biopsia. A detecção também pode ser levada a cabo por observação do olho com oftalmoscópio.

São utilizados dois princípios activos no combate à cegueira dos rios, um que paralisa e mata as microfilárias, aliviando a comichão, moderando o avanço da doença e travando a transmissão, e outro que actua de forma indirecta, porque destinado a destruir as bactérias com as quais o parasita vive em simbiose.

Constata-se que esta enfermidade é mais usual em homens do que em mulheres, quiçá mercê da maior exposição a que actividades como a agricultura e a pesca obrigam. A melhor maneira de acautelar a cegueira dos rios é evitar a picada da mosca, usando roupas de manga comprida e repelente de insectos.

A cegueira, além de conduzir ao abandono das zonas ribeirinhas, levando ao cultivo de áreas menos férteis e ao consequente empobrecimento, acarreta uma eventual diminuição da esperança de vida. Milhões de pessoas são atingidas, sendo que 95 por cento estão em África.

O Gana, a Libéria e a República Democrática do Congo dispuseram-se a participar em testes clínicos de um medicamento inovador, que se espera venha a liquidar ou, pelo menos, tornar estéreis, os parasitas adultos, no intuito de interromper o ciclo de contaminação.



Maria Bijóias

Título: Cegueira dos rios

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 6

806 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 6 )    recentes

  • maria serafim

    06-08-2015 às 12:32:50

    depois de tomar conhecimento sobre esta doenca
    gostava de saber o governo de cada pais pode ajudar na cura visto que a maioria das pessoas com essa epidimia sao de baixa renda isto em angola

    ¬ Responder
  • Naty

    09-06-2013 às 17:46:20

    Oi!!! Muito legal saber, me ajudou na lição de ciências. Obs: Quando escrever nome científico, o gênero(1ºnome) é em letra maiuscula, e a especie(2º nome) letra minuscula. Ex:Onchocerca volvulus, e não esquecer de deixar em destaque!!!
    :)

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoCecília

    09-09-2011 às 21:16:05

    é muito bom saber que podem ajudar que está a perder a visão, também gostariaa que em Portugal se preocupassem mais com a visão do cidadão em Hospitais Públicos. beijos

    ¬ Responder
  • ivan severoivan severo

    25-06-2011 às 18:41:46

    essa doemça é similar aquela do estado do tocantins?algo sinistro ocorre naquela região.

    ¬ Responder
  • ThaisThais

    26-04-2010 às 12:48:14

    Oi, isso é interessante, bjs.

    ¬ Responder
  • MARIA GERALDA REAL DE ASSUNÇÃOMARIA GERALDA REAL DE ASSUNÇÃO

    13-10-2009 às 16:17:24

    Ótimo documento

    ¬ Responder

Comentários - Cegueira dos rios

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como burlar a crise e fazer a viagem dos sonhos gastando pouco

Ler próximo texto...

Tema: Viagens
Como burlar a crise e fazer a viagem dos sonhos gastando pouco\"Rua
Não é novidade para ninguém que o Brasil está passando por uma séria crise econômica e política. Atrelado a isso, a elevação do dólar nos últimos meses tem contribuído para a queda considerável no número de viagens internacionais. Para os amantes de viagens, também chamados travelholics, a crise não é um motivo para adiar aquela viagem tão esperada.
Nesse post você terá dicas de como superar esse momento e realizar seu sonho de uma forma mais econômica, sem precisar de guias turísticos, que encarecem ainda mais a viagem.

Dica 1) Planeje sua viagem com antecedência.
Provavelmente a maioria já ouviu falar disso, mas é a pura verdade. Programar a viagem é o primeiro passo para uma estadia tranquila e bem mais barata. Escolher o destino, a época do ano e com quem ir é o começo de tudo. As passagens aéreas costumam ter preços promocionais quando comprada com antecedência e você poderá escolher melhor onde passará as noites.

Dica 2) Pesquise os preços das passagens diariamente.
Se o destino já está definido, comece a buscar as passagens já. Os preços costumam variar diariamente, e sim, podem cair ou subir absurdamente de um dia para o outro. Eu super indico o Google Voos como busca de passagem. Ele apresenta os valores e os horários das mais variadas companhias aéreas e no final, te redireciona para o site da empresa sem te cobrar nenhuma taxa por isso. Além disso, ter em mente a opção de flexibilizar as datas pode te possibilitar um bom desconto no final. Você e o seu vizinho de assento podem estar indo pro mesmo destino, mas pagando valores completamente diferentes.

Dica 3) Use e abuse do Google Maps para escolher a região de hospedagem.
O Google Maps é uma opção de busca com mil e uma utilidades. Depois de escolhida a cidade, pesquise a localização dos principais pontos turísticos que são do seu interesse. Há várias ferramentas para busca de hotéis e pontos turísticos no site. Se você vai depender de transporte público ou ''viação pé'' para conhecer a cidade, uma boa dica para economizar tempo e dinheiro é ficar na região cultural da cidade. Você poderá pagar um pouco mais caro na estadia, mas economizará em outros quesitos.

Dica 4) Utilize os sites de busca de hotéis para fazer as reservas.
Depois de muito pesquisar, descobri que organizar a viagem por conta própria pode sair até pela metade do preço do que seria através de uma agência de viagem. Existem muitos sites de hotéis, mas é bom pesquisar sua credibilidade em fóruns e sites de reclamação. Minha sugestão é o Booking.com, há anos no mercado com milhões de clientes, ele é reconhecido pela sua transparência e grande assistência àqueles que precisaram resolver algum problema. Utilizando as datas de entrada e saída, e os filtros como valor máximo da diária e número de estrelas, você encontra o melhor hotel pro seu gosto e seu bolso.

Dica 5) Seguro Viagem
É imprescindível a contratação de um seguro viagem se você está indo para o exterior. Dependendo do país, uma diária no hospital pode sair mais cara que toda a viagem. Sem falar que em caso de extravio de bagagem e algum problema mais grave com um parente próximo no país de origem, além de outras questões, o seguro tem a cobertura específica. Não se deixe levar pelos pequenos preços. Procure aqueles conhecidos mundialmente e, de preferência, utilizado por algum conhecido. Quanto mais detalhado for, melhor.

Dica 6) Curta a pré-viagem pesquisando
O período antes da viagem é tão gostoso quanto ela, propriamente dita. Aproveite para pesquisar sobre os locais do seu interesse, restaurantes, lojas e principalmente transporte. Hoje, já existe taxímetro online em grandes metrópoles, onde você pode fazer um cálculo estimado da corrida de um lugar a outro. Como o nosso objetivo é a economia, são muitas as alternativas de transporte. Além do bom e velho ônibus, as vans compartilhadas do aeroporto para o hotel podem sair bem mais em conta que o táxi. Para quem for ficar poucos dias em uma grande cidade, os ônibus vermelhos de dois andares, conhecidos por Hop On Hop Off, dão uma geral na cidade, passando pelos principais pontos e possibilitando ao turista parar onde quiser, e esperar pelo próximo nos pontos indicados. Existem ticktes de 24, 48 e 72 horas ilimitado, a partir do momento do primeiro uso.

Pesquisar mais textos:

Letícia Spínola Flávio

Título:Como burlar a crise e fazer a viagem dos sonhos gastando pouco

Autor:Letícia Spínola Flávio(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Adriana SantosAdriana Santos

    10-11-2015 às 21:16:50

    Gostei das dicas! Valeu!
    Realmente, as pessoas que amam viajar encontram diversas formas, nem que seja um lugar próximo a sua cidade!

    Abraços!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios