Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > A Desidratação Nos Bebés

A Desidratação Nos Bebés

Categoria: Saúde
A Desidratação Nos Bebés

Apesar de muitas vezes se achar que devido á alimentação líquida dos bebés que os riscos de uma desidratação são quase impossíveis, a realidade é que a fragilidade dos bebés nos pregam graves partidas.

A desidratação acontece com mais frequência na altura do Verão, onde os picos de calor causam alguns dissabores, dos mais pequenos aos mais adultos.

A água é imprescindível para o organismo, e se viver sem comer durante uns dias é algo que não é transcendente, viver sem água é impossível.

Mas no meio de toda esta conversa de desidratação, como podemos verificar se um bebé está a ficar desidratado? Os sinais são óbvios se prestar alguma atenção. Começa exactamente por uma grande irritabilidade e respiração agitada, mas na eventualidade de a estes factores se associarem a protestação, olhos húmidos, pele seca, mucosas secas (o interior da boca por exemplo) e a fontanela abatida, o mais indicado é dirigir-se ao hospital mais próximo ou ao centro de saúde da área de residência.

A alimentação á base de líquidos, como a sopinha, os sumos e o próprio leite, podem de alguma forma oferecer aos bebés uma certa quantidade de água, mas como beber água nunca fez mal a ninguém, o melhor mesmo é insistir em dar de beber água ao seu bebé.

Sabendo que a água não é toda igual, o melhor é dar-lhe, pelo menos até aos 18 meses de vida, água engarrafada. Em alternativa pode dar-lhe água fervida, ou seja, água da torneira fervida durante 10 minutos e depois deixá-la arrefecer. Como o controlo da qualidade de água pode não ser segura em determinadas zonas, é melhor prevenir do que remediar.

Os alimentos com sal, como saberá também absorvem a água do organismo. Assim, o ideal será colocar ainda menos sal na comida do bebé se se registarem temperaturas altas, como nas tardes de verão.

O mote está dado. Água, água, água. Nunca é demais e é de todos os existentes, o alimento mais saudável de todos.

Nos dias de muito calor e para evitar desidratações por motivos vários, aqui vão mais algumas dúvidas:

- Molhe o corpinho e a cabeça do bebé a cada 2 horas;

- Deixe-o com pouca roupinha;

- Deixe-o beber a água que ele quiser e insista para que beba com abundância;

- Não o deixe ficar perto do sol ou de locais com muito calor. O interior das casas é por vezes o ideal e passeios só de manhãzinha ou ao final da tarde;

Previna-se para desidratações. Saiba que em Portugal existem casos de morte por este motivo.


Carla Horta

Título: A Desidratação Nos Bebés

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

771 

Imagem por: peasap

Comentários - A Desidratação Nos Bebés

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como Solicitar O Seguro Desemprego - Passo A Passo!

Ler próximo texto...

Tema: Utilidades Domésticas
Como Solicitar O Seguro Desemprego - Passo A Passo!\"Rua
O seguro desemprego é instituído pela Lei Nº 7.998, de 11 de janeiro de 1990 e que tem por finalidade prover a assistência financeira temporária ao trabalhador desempregado sem justa causa. Foi sancionado pelo presidente da República do Brasil e também é regido pela Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT.

Este benefício é concedido a todo e qualquer trabalhador que foi dispensado apenas em regime de sem justa causa ou quando houver acordo judicial e o juiz autorizar o pagamento devido ao ex-trabalhador da empresa.

Sua duração é de 3(três) a 5(meses) de forma contínua e dependerá do tempo em que ficou empregado. O valor mensal é calculado conforme o que o trabalhador ganhava durante o período em que estava empregado.

Essa assistência financeira e temporária tem algumas regras, por isso, é muito importante conhecê-la antes mesmo de solicitá-la nos órgãos responsáveis.

Para ter direito ao benefício:


- Precisa ter a carteira devidamente assinada da empresa;
- Ter trabalhado durante 6 meses na empresa (no mínimo);
- Não ter recebido esse benefício no período de 16(dezesseis) meses ininterruptos;
- Ter sido dispensado sem justa causa.

Quem tem direito ao benefício:


- Os trabalhadores demitidos sem justa causa;
- O pescador artesanal; e
- O empregado doméstico, desde que o empregador esteja recolhendo o Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS).

Como solicitar – Passo a passo:


1) Dirija-se à qualquer Caixa Econômica Federal ou ao M.T.E (Ministério do Trabalho e Emprego) da sua cidade munidos dos seguintes documentos:
- Rescisão contratual, carteira de trabalho devidamente dado baixa com a data de saída e assinada e carimbada pela empresa, as duas vias do seguro desemprego preenchido e fornecido pela empresa, cartão do PIS/PASEP ou o cartão cidadão, extrato do recebimento do pagamento do FGTS, comprovante de residência e os últimos 3 (três) contra-cheques;
2) Entregue todos esses documentos ao atendente. Eles vão fornecer o protocolo de entrada do seguro desemprego, vão lhe dizer quantas parcelas você tem direito e a data que você receberá a primeira (30 dias).

Bem, apenas isso e agora é só esperar para o recebimento do pagamento das parcelas. Para consultar, acesse este link: http://granulito.mte.gov.br/sdweb/consulta.jsf
Digite com seu número de PIS/PASEP e logo abaixo com o código no visor e clique em consultar. Vai abrir outra tela com as informações das parcelas.

Pesquisar mais textos:

Briana Alves

Título:Como Solicitar O Seguro Desemprego - Passo A Passo!

Autor:Briana Alves(todos os textos)

Imagem por: peasap

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios