Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Voltar a estudar depois dos 50

Voltar a estudar depois dos 50

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 18
Voltar a estudar depois dos 50

Voltar à sala de aula após os 50 anos, não é mais tão incomum como há alguns anos atrás. A população está vivendo mais e permanecendo no mercado de trabalho por mais tampo, mesmo que seja trabalho informal ou após a aposentadoria para ajudar a manter um melhor padrão de vida.

Como o mercado está cada vez mais competitivo, ter qualificação é um diferencial necessário para conseguir projeção na carreira. O que até então era muito cobrado dos jovens, hoje em dia é também um diferencial para o adulto que quer ter um melhor salário. Pensando nisso, as pessoas que não puderam concluir o ensino médio, cursar um técnico ou fazer faculdade, estão voltando para as salas de aula na tentativa de compensar o tempo perdido. Esse tempo em que ficaram sem estudar, se deve a prioridade no sustento para a família, muitos começaram a trabalhar quando ainda era criança, ficando os estudos para o segundo plano, já que os filhos (quando os tem) precisavam estudar para não passar pelas mesmas coisas, a fim de ter carreira e profissão definida.

Atualmente, as melhores ofertas de trabalho, assim como nos concursos público, a escolaridade exigida é o ensino médio, antigo segundo grau e as melhores vagas, que oferecem salários mais atraentes, são para quem possui nível superior. Pensando em se candidatar e conseguir melhorar financeiramente, é que pessoas acima de cinquenta anos estão se dedicando aos estudos.

Quando uma pessoa que tem cinquenta anos ou mais e começar sua nova jornada de estudos, não deve se sentir desconfortável na sala por ser a maioria composta de jovens, é natural que seja assim. Mesmo que seja o único (a), saiba que é um grande exemplo e que está ajudando a quebrar fronteiras que supostamente poderiam existir, ao contrário, é uma pessoa vencedora aquela que após tantos anos, resolve adquirir conhecimento.

Não há limite de idade para estudar, o mais importante são os benefícios e podemos citar alguns: melhora o funcionamento da memória, integração com outras pessoas, exercita o cérebro, aprimora conhecimentos, amplia as chances de oportunidade financeira, se torna mais bem articulado (a) e o que é melhor, favorece a autoestima.

Esses são apenas alguns exemplos, mas tem outras conquistas que também acontecem.

Vá em frente!


Sílvia Baptista

Título: Voltar a estudar depois dos 50

Autor: Sílvia Baptista (todos os textos)

Visitas: 18

796 

Comentários - Voltar a estudar depois dos 50

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios