Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Pompoarismo e a saúde da mulher

Pompoarismo e a saúde da mulher

Categoria: Outros
Visitas: 4
Comentários: 4
Pompoarismo e a saúde da mulher

É normal, ao falar em pompoarismo, vir a nossa mente imagens de mulheres orientais lançando longe alguns artefatos, de forma que pode ser considerada pornográfica, num verdadeiro malabarismo. E por tal motivo já existiu muito preconceito com essa técnica milenar, que nasceu na Índia e é muito utilizada no Japão e Tailândia.

Pompoar (pâm-pohur) significa ter o controle mental sobre a musculatura vaginal.

Não, este artigo não é pornográfico, muito pelo contrário. Vamos desmistificar o assunto e perder o tabu, pois a arte de pompoar pode ajudar a mulher na sua saúde e no seu relacionamento afetivo ou seja, só nos beneficia.

Saúde: auxilia no tratamento do vaginismo, flacidez pós-parto, incontinência urinária por esforço, queda de útero, prolapso da bexiga e do reto, entre outras decorrentes da musculatura perineal. Ajuda também a pompoarista no parto normal.

Afetivo: melhora a qualidade da relação sexual, pois trabalha músculos que você nunca imaginou que tinha, aumentado a sensação de contato e prazer, proporcionando a mulher mais segurança e aumento na auto-estima.

Os cursos podem ser presenciais ou através da internet.

Para fazer o curso e praticar os exercícios do pompoar, são utilizados duas bolinhas bem-wa (em japonês significa: que se acomodam), que são unidas por um cordão e vibrador para pompoar (bem diferente e mais fino que os vendidos para outros fins).

Os exercícios: Contração de Sucção e contração de expulsão, são movimentos vaginais inversos um ao outro, possibilitando com isso uma musculatura forte. Lembrando que, músculos de uma forma geral se fortalecem pela prática habitual de exercícios. Não são fáceis de obtê-los sem malhar e para mantê-los também tem que se manter uma rotina de malhação.

Para identificar os músculos utilizados no pompoar, interrompa o ato de urinar antes de terminar. Os músculos utilizados para essa interrupção serão os que deverão ser malhados.

Você pode começar mesmo sem os equipamentos. Comece aos poucos, no movimento de contração e depois relaxe, em movimentos de repetição por alguns minutos. Faça todos os dias que depois de 2 semanas já começará a sentir a diferença.

A mulher que investe em si mesma e em sua saúde, tem melhor qualidade de vida e consequentemente esta qualidade se estende aos seus familiares, principalmente em seu parceiro.


Rosana Pegoraro

Título: Pompoarismo e a saúde da mulher

Autor: Rosana Pegoraro (todos os textos)

Visitas: 4

763 

Imagem por: linh.ngân

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • Carly

    28-08-2015 às 12:52:49

    Olá,
    onde existem cursos sobre esta técnica?
    Obrigado

    ¬ Responder
  • Luene ZarcoLuene

    17-08-2014 às 22:13:59

    Não conhecia a respeito dessa prática de pompoarismo, mas só ouvia falar e achei bem interessante.

    ¬ Responder
  • nair

    02-03-2013 às 16:18:43

    realmente essa sugestao as mulheres e otima,sempre pratiquei e me senti bem

    ¬ Responder
  • josyjosy

    27-06-2011 às 19:43:46

    Oiê.... gostei de sua frase:
    A mulher que investe em si mesma e em sua saúde, tem melhor qualidade de vida e consequentemente esta qualidade se estende aos seus familiares, principalmente em seu parceiro.
    pois devemos msm nos cuidar

    ¬ Responder

Comentários - Pompoarismo e a saúde da mulher

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: linh.ngân

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios