Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O namorado do meu filho – Como reagir?

O namorado do meu filho – Como reagir?

Categoria: Outros
O namorado do meu filho – Como reagir?

Criamos os nossos filhos à nossa imagem e muitos de nós cria a expectativa de vê-los concretizar os sonhos que nós nunca conseguimos concretizar. Não nos apercebemos que os nossos filhos têm os seus próprios sonhos e objectivos.

Os filhos não são como nós e partindo do princípio que as gerações são diferentes, os sonhos são diferentes, as amizades são diferentes e principalmente, as relações com os namorados são muito diferentes.

A expressão bem conhecida do “na minha altura é que era” é intemporal. Afinal, os nossos pais diziam-nos exactamente o mesmo.

As relações amorosas dos nossos filhos são diferentes das nossas e principalmente, com pessoas diferentes daquelas que escolhemos há uns anos atrás.

É do conhecimento geral que a homossexualidade existe desde sempre e muito se consta que muitos dos homens mais conhecidos do mundo eram gays. Podemos encarar a homossexualidade dos outros como uma coisa perfeitamente normal nas nossas vidas e relacionamo-nos com todas as pessoas de forma correcta e naturalmente sem qualquer tipo de preconceitos. A única importância é a essência de cada um e a sua orientação sexual é o que menos nos importa.

Somos já muitos a pensar desta forma, e a aceitação está cada vez mais instalada. No entanto e apesar de toda a permissividade perante as escolhas dos outros, quando a homossexualidade nos bate à porta, a coisa pode mudar de figura.

Muitos são os pais que se deparam com a sensação de impotência e de desorientação perante o cenário de ver um filho relacionar-se com alguém do mesmo sexo. Mas afinal, como reagir perante isto?

A resposta é bastante simples. Como reagiria se o seu filho levasse a sua casa a namorada? Reagiria com naturalidade na expectativa de quem tinha ganho o coração do seu filho, certo? Então é exactamente assim que deverá reagir.

Conhecer o namorado do seu filho e recebê-lo em sua casa, será uma coisa perfeitamente normal. Conviver e fazer dele, também parte da sua vida é o que fará o seu filho mais feliz.

Todos, enquanto pessoas que aceitam a orientação dos outros, sentimo-nos perdidos com a orientação dos nossos filhos, quando estes se deparam com a sua própria homossexualidade. Ninguém leva de bom animo esta situação, não que se tenha preconceitos, mas porque sabemos que dói.

A sociedade vai julgar sempre os nossos filhos e mesmo que daqui por uns anos a homossexualidade deles suscite menos danos à susceptibilidade dos outros, há sempre alguém que não aceita. A nossa dor não é, naturalmente pela sua escolha, pois essa vai faze-los felizes, mas sim por aquilo que a sociedade pode fazer com eles.

Não seja mais um ao não aceitar o namorado do seu filho na sua vida. É o companheiro que ele escolheu, pelo que deve aceitá-lo de imediato.


Carla Horta

Título: O namorado do meu filho – Como reagir?

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

766 

Imagem por: uayebt

Comentários - O namorado do meu filho – Como reagir?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: uayebt

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios