Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Ioga - uma introdução

Ioga - uma introdução

Categoria: Outros
Ioga - uma introdução

Um misto de filosofia e técnica de bem-estar psicofísico. Suas origens remontam há uns seis mil anos, particularmente na Índia. Entretanto, há indícios de práticas de controle de mente e corpo em outras regiões, como Peru e Hawai. Na Índia inúmeros escritos milenares descrevem diversas ramificações da Ioga. Em suas definições incluem-se magia, arte, ciência, religião e filosofia. O termo deriva do sânscrito Yuj, significando união de dois objetos, mistura, transformação, consciência de que se é partícula unida a um todo.

A ioga é treinamento físico, mental e espiritual, não é religião. É filosofia especulativa, aparentemente mística. Sua prática nos faz atingir planos elevados, após a conquista de nós mesmos. Ioga é desprendimento, em antagonismo a inveja e o revanchismo. Seus exercícios geram efeitos contra o medo e descompassos nervosos, reordenando a vida psicofísica.

A ioga identifica-se melhor com a cultura e religiões orientais, mas não interfere nas ideias básicas do Cristianismo. Há especulações de que alguns dos milagres realizados por Jesus Cristo podem ser explicados pela ioga, na qual ele teria alcançado plenitude. Para atingir a plenitude é necessário passar por oito fases:

Yama - abstenções (roubo, violência, falsidade);
Niyama - ação (pureza mental e física, contentamento, austeridade, conhecimento);
Asana - posturas físicas;
Pranayama - controle da respiração;
Pratyahara - abstração dos sentidos;
Dharana - concentração profunda;
Dhyana - meditação;
Samadhi - integração total, plenitude.

Os três momentos finais são menos acessíveis à maioria dos praticantes. Na meditação são pronunciados os mantras, palavras sagradas de poder místico. O mantra OM, quando cantado em baixa frequencia, causa um desligamento dos sentidos, aumentando nossas forças hipno-magnéticas, imunizando-nos contra vibrações negativas.

A ioga nasceu um tanto mística, talvez por sua origem védica. As traduções dos textos sânscritos podem gerar interpretações confusas e curiosas. Na própria Índia existem correntes modernas dessa filosofia focadas na prática e nos resultados mais imediatos, coexistindo com a ioga tradicional, na qual os adeptos se refugiam da sociedade e das interferências. Alguns gurus indianos alegam que deve ser possível transformar energia em matéria, já que é possível tornar matéria em energia.

Do ponto de vista médico e fisiológico, a ioga é importante na educação do organismo, é útil para o ajustamento psíquico. Portanto é conveniente que essa prática milenar seja interpretada à luz da ciência, livre de seu teor místico. Não devemos tomar fantasia por conhecimento, ilusão por realidade.


Marcos Portela

Título: Ioga - uma introdução

Autor: Marcos Portela (todos os textos)

Visitas: 0

228 

Comentários - Ioga - uma introdução

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios