Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Dormi com o patrão, e agora ?

Dormi com o patrão, e agora ?

Categoria: Outros
Visitas: 4
Dormi com o patrão, e agora ?

Esta aí uma conversa que gera polêmica, tem empresa que adota como critério a política interna de não permitir relacionamentos entre os funcionários, essa regra é exensiva também aos donos, nem contratar pessoas ligadas por grau de parentesco acreditando que um relacionamento amoroso iria desarmonizar a relação profissional para um ou para o outro. É sabido que nem sempre, adotar essa regra dá certo. Quando duas pessoas despertam interesse entre si e quando esse interesse torna-se irresistível, sempre dão um jeito de tentar o proibido encontrando-se em lugares afastados do trabalho. Quer seja por coicidência ou não, o proibido as vezes atrai tanto que correr o risco de perder o emprego é menor do que ficar sem a pessoa que interessa.

Quando uma funcionária faz a seguinte pergunta: Dormi com o patrão, e agora ?
Bem, diria o seguinte: Você não dormiu sozinha, ele também estava lá. Avalie se foi apenas um sexo casual, se está arrependida, se queria fazer sexo com ele por acha-lo atraente, se está apaixonada e se é correspondida, se foi apenas para satisfazer uma fantasia de tê-lo por uma noite, se ele é casado e tudo não passou de um impulso depois de uns drinks.

Respondida essas indagações de maneira leal para si mesma, a quetão agora é o tratar do comportamento e encarar a situação de frente.

Chegue na hora prevista no trabalho, cumpra com suas atribuições e não comente com os colegas, nem com os mais próximos. Espere ele chegar e o trate como antes, observe e aguarde para saber qual será a atitude dele, mantenha a calma, o que tinha de acontecer já aconteceu. Não gere excesso de expectativas fantasiosas esperando que o patrão chegue com um bouquê de flôres ou pule em seu pescoço dando um beijo apaixonado em público. Mesmo que a empresa não tenha nenhuma política de proibição de namoro, ele é seu patrão, portanto, fora pequenas excessões, isso não vai acontecer.

Se no fim do expediente, ele não tocar no assunto, se encha de coragem e vá até ele com discrição, porque tudo que certamente ele não quer é um escândalo. Fale sobre a noite anterior evitando tom de cobrança, deixando claro que dormiu com o homem que por acaso é seu patrão e não o contrário. Quem sabe, ele também quer ter um relacionamento amoroso e está gostando de você mas se apenas foi casual, não se condene e volte a sua vida somando essa experiência.


Sílvia Baptista

Título: Dormi com o patrão, e agora ?

Autor: Sílvia Baptista (todos os textos)

Visitas: 4

794 

Imagem por: Melissa Ann Barrett

Comentários - Dormi com o patrão, e agora ?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios