Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Ciúme

Ciúme

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Comentários: 3
Ciúme

O ciúme é uma reação complexa porque envolve um grande conjunto de emoções, pensamentos e reações físicas e comportamentais.

Nos relacionamentos onde os sentimentos de ciúme são moderados e ocasionais, este lembra e relembra ao casal que um não deve considerar o outro como certos. Pode encorajar os casais a fazer com que se apreciem mutuamente e façam um esforço consciente para garantir que o parceiro se sinta valorizado..

Ciúme potencializa as emoções, fazendo o amor se sentir mais forte e o sexo mais apaixonado. Em doses pequenas, o ciúme pode ser um estímulo positivo num relacionamento. Mas quando é intenso ou irracional, a história é bem diferente.

O ciúme está intimamente relacionado à inveja. A diferença é que a inveja não envolve o sentimento de perda presente no ciúme. Mas ambas são um misto de desconforto e raiva e atormentam aquele que cobiça algo que outra pessoa tem. Quanto mais baixa for a autoestima, mais propensa está a pessoa de sofrer com um dos dois sentimentos. Outra diferença entre ambos reside no facto de o ciúme, quando ultrapassa um certo limite, transforma-se em patologia, coisa que não acontece com a inveja. Ciúme e inveja desviam o foco de quem os sentem para os cuidados com a própria vida, tão preocupados ficam com a vida de outra pessoa. Por outro lado, se enfrentados, podem levar a atitudes positivas como melhorar a aparência, desenvolver novas habilidades e trabalhar a autoestima.

A pessoa ciumenta apresenta na sua personalidade um traço marcante de timidez e sentimentos de insegurança, problemas que costumam ter raízes na infância. Nesse caso, o tratamento passa por aplicação de técnicas de psicoterapia para melhorar a confiança do paciente em si mesmo. O processo deve envolver a sua família, pois o apoio no lar é imprescindível nestes casos. Reduzido o sentimento de insegurança, é esperado que diminua a o sentimento de ciúme. Só quem confia em si mesmo pode confiar nos outros.

O desequilíbrio no sistema nervoso aumenta o nível de adrenalina, interfere na dinâmica dos neurotransmissores e está na origem de muitas doenças psicossomáticas. Por isso, é fundamental apurar as causas desses sintomas e gastar a energia negativa em atividades.


Daniela Vicente

Título: Ciúme

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 0

608 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    18-08-2014 às 04:22:44

    O ciúme como zelo e cuidado, que não prejudica, mas cuida, é algo benéfico. Todo excesso, claro, traz prejuízos. Mas, o ciúme em si, aquele bem prejudicial, nunca faz bem a ninguém. E isso pode ser combatido com a autoconfiança. O ciumento precisa trabalhar isso em seu caráter e atitude. Ninguém gosta de estar com alguém ciumento(a).

    ¬ Responder
  • Carla HortaCarla Horta

    18-09-2012 às 00:15:41

    Uma pitada de ciúme é das melhores coisas numa relação. Apimenta, entusiasma, demonstra atenção, carinho, preocupação e amor. mas e quando o ciúme é em excesso? A coisa pode complicar-se e mesmo quando uma relação termina deixa marcas que podem nunca mais passar. Fuja dos excessos, quer os sinta quer sofra por causa deles.

    ¬ Responder
  • Daniela VicenteDaniela Vicente

    10-09-2012 às 21:02:23

    Adorei

    ¬ Responder

Comentários - Ciúme

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios