Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Aspetos do islamismo na sociedade

Aspetos do islamismo na sociedade

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 36
Comentários: 2
Aspetos do islamismo na sociedade

Após a morte de Maomé, os muculmanos dividiram-se em relação à escolha do seu líder.
Assim, a maior parte acabou por optar por aquele que considerava ter maiores qualidades de liderança. A preferência da maioria recaíu sobre ABu Bakr, mas muitos deles achavam que a liderança deveria continuar nos decendentes de Maomé.

Este era o grupo partidário do genro do profeta, Ali, que acabou por ser o quarto califa.
No entanto, ele viria a ser assassinado, tal como o seu filho Hussein, neto de Maomé.
Os xiitas seus respetivos seguidores, afirmam crenças próprias, tal como a espera de um líder que será revelado antes do juízo final. Este é um grupo maioritáriamente do Irão e do Iraque, onde controlam a vida política do país.

Além destes ainda existem outros grupos xiitas com algumas características particulares, como os ismaelitas, dirigidos pelo líder Aga Khan e os alauitas, que formam uma minoria significativa na turquia e na Síria.

O grupo maioritário do islamismo, abrangia 90% dos muculmanos, constituídos por sunitas, cujo nome se deve por terem aceite como religião válida, a Suna, que consiste em conjunto de regras que pertenceram a Maomé.

O livro sagrado dos seguidores de Maomé é o Corão e, encontram-se espalhados pela Arábia Saudita, na parte oriental, maioritáriamente.

Com efeito, o Islão é uma religião que tem como preocupação a relação entre a humanidade e um Deus criador todo-poderoso, que tem por objetivo a recompensa ,com a vida eterna, após a morte física.

No que diz respeito às suas cxrenças, elas são baseadas na crença de uma existência de um inferno e de um paraíso, semelhante aos apresentados na tradição judaico-cristâ.

Maomé foi considerado um grande líder político e militar, que dirigiu uma comunidade de crentes, chamada Umma, cujo objetivo era conquistar territórios e submeter outras comunidades do Islão.

Na realidade o Corão, estabelece regras,, normas de comportamento e leis , a que todos se devem submeter, tais como: a forma de vestir, normas de casamento e castigos aplicados aos criminosos e muçulmanos.

Alguns líderes, no entanto, defendem que o Corão e a Suna, sendo inspirados por Deus, devem ser aplicados rigorosamente. É por isso que são denominados de fundamentalistas, e provoca problemas de adaptação de muitos.

Toda a gente conhece os seus trajes, que não permitem ver o rosto de quem o usa, o que é contrário aos trajes e costumes ocidentais.

Assim, a desconfiança e indiferença é muito comum nas comunidades islâmicas.
A grande parte destas comunidades entendem já que a religião não se deve confundir com a sociedade.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Aspetos do islamismo na sociedade

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 36

763 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    31-08-2014 às 22:16:21

    Muito boa todas essas observações! O islâmico é extremista, radical nos conceitos do islamismo e isso é inaceitável na sociedade. Usar a força bruta, violência em prol de um deus não se pode defender de maneira alguma.

    ¬ Responder
  • bruna maria

    04-05-2014 às 14:09:59

    achei a maioria das coisas que eu não tinha achado do trabalho de história aqui

    ¬ Responder

Comentários - Aspetos do islamismo na sociedade

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios