Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > As cidades na Idade Média

As cidades na Idade Média

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 405
Comentários: 1
As cidades na Idade Média

A partir do ano 1000 verificamos um grande desenvolvimento das cidades. A expansão demográfica, assim como, a expansão agrícola permitiram a existência das cidades. O êxodo rural marca este período.

Os filhos segundos dos camponeses vão para as cidades procurar um novo modo de vida em atividades de tipo artesanal. A chegada da população, em geral, vai permitir o crescimento das cidades e o aparecimento de mais cidades.

Encontramos vários tipos de cidades na Idade Média: a civitas, uma cidade política, onde se instala o conde ou o bispo e, mais tarde, vai dar lugar a uma sede de um senhorio. Nestas cidades há comércio regional, inter-regional, nacional e internacional. Os monumentos antigos predominam e voltam a ser reutilizados para novas funções; a castrum, povoações criadas para abastecer as cidades. Aqui residiam soldados, que, com o passar do tempo, vão também passar a residir também comerciantes, artesãos e clérigos; e os portos, povoações construídas por motivos económicos. No inverno, é aqui que os mercadores se instalam.

Embora uma grande parte da população trabalhe na agricultura, cada vez mais homens e mulheres se inserem nas áreas artesanais e comerciais, fonte de grande riqueza, que gera emprego e prosperidade.

O desenvolvimento das cidades não se faz sem sobressaltos. Os mercadores vão reivindicar garantias e liberdades aos senhores, pois pagam taxas altíssimas. Surgem, assim, as Comunas. Os habitantes de uma cidade unem-se perante o senhor para obter os seus direitos, diminuindo a arbitrariedade do senhor. Estes direitos deviam ser escritos numa carta, a carta de franquia. Estas são conseguidas de forma pacífica ou violenta, dependendo da disponibilidade do senhor. Os habitantes mais ricos vão juntar-se num juramento, a juranda, para conseguirem os tais direitos dos senhores. Os senhores eclesiásticos são os que mais resistem.
As cartas de franquia dão liberdade aos mercadores para se autogovernar. São estes que vão formar as elites de poder, opressoras. O casamento é feito dentro da elite, uma maneira inteligente de não permitir a ascensão dos que estão dela, como os assalariados.

Como é de se prever, esta situação traz situações de tensão no século XIV, quando chegam as fomes e as epidemias.


Daniela Vicente

Título: As cidades na Idade Média

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 405

803 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoO Interrogador

    12-06-2017 às 22:23:25

    Qual o nome da cidade da foto

    ¬ Responder

Comentários - As cidades na Idade Média

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como cuidar de Plantas de interior

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Bricolage Jardim
Como cuidar de Plantas de interior\"Rua
Cada planta tem um comportamento diferente, vou colocar aqui alguns cuidados que servem para a maioria delas.

LUZ:

Os principais erros no cultivo de plantas de interior é a falta de luz.
Se elas estiverem em locais onde não há luz suficiente, isso pode ser corrigido com a instalação de luz artificial, existe no mercado lâmpada que imitam a luz natural.


TEMPERATURA:

Mudanças bruscas de temperatura retardam e até paralisa o crescimento da planta, bem como causa a queda de folhas.


UMIDADE:

A maioria das plantas necessita de uma umidade atmosférica adequada.
Normalmente notamos que a planta não está com a umidade correta quando acontece ficarem amarelas e a queda de folhas.


IRRIGAÇÃO:

Conselhos básicos:
Uma planta em fase de crescimento vai precisar de mais água que uma que está em fase de dormência, ou já atingiu o seu tamanho adulto.
Durante a floração a planta precisa de mais água que em sua fase de crescimento
Em ambientes internos mais quentes é evidente que a planta vai precisar de mais águas que em ambientes mais frios.
Para saber qual é o momento exato de molhar, enfie o dedo no substrato, se sentir ele seco, chegou a hora

FERTILIZANTE:

Para que a planta tenha um desenvolvimento harmonioso convém usar periodicamente de fertilizantes que podem ser líquido ou sólidos.
No mercado existe a venda fertilizante com fórmulas específicas para cada planta.
Após a utilização do fertilizante regue a planta.

LIMPEZA:

Faça regularmente a limpeza de folhas secas e caule, pois elas são bastante positivas não só esteticamente como para a saúde das plantas.
Se estiver acumulada muita poeira sobre as folhas, espane, e depois passe um pano húmido
Atenção: Existe algumas espécies, que tem as folhas aveludadas, tipo a Violeta Africana, Begônia Rex, etc. que não deve ser colocada água é só usar uma escovinha bem macia.

TROCA DE VASO:

De uma maneira geral após 1 ou 2 anos as plantas de interior devem ser colocadas em vasos de tamanho maior.
Isso deve ser feito porque as raízes passam a ocupar um grande espaço e também porque o substrato vai perdendo sua composição inicial.
A época mais adequada varia de planta para planta, algumas devem ser feitas na primavera e outras quando estão na fase de repouso.
Aproveite para obterem mudas, separando brotos e dividindo touceiras.

Pesquisar mais textos:

Miguel Pereira

Título:Como cuidar de Plantas de interior

Autor:Miguel Pereira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:09:31

    Muito bom! É tão gratificante cuidar de plantas. A gente vê o quanto elas florescem quando são bem-cuidadas. Amei as dicas!

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    18-04-2014 às 22:36:55

    Fantástico seu texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios