Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > A Nossa Galaxia

A Nossa Galaxia

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
A Nossa Galaxia

A nossa Galáxia, Chamada a Via Láctea, é composta por estrElas e uma quantidade substancial de gás e poeira, que podem ser observados por telescópios óticos e radiotelescópios.
Estes elementos são espalhados por um disco plano com cerca de 120 mil anos luz de diâmetro.

Na realidade, sabe-se que o nosso sistema solar está a cerca de vinte e cinco mil anos luz do centro da galáxia, e orbita num trajeto circular. Porém, ela está presa numa grande esfera de matéria negra, cuja massa é pelo menos dez vezes a das suas estrelas.

Deste modo, não conseguimos ver a matéria negra, mas sentimos a sua força de gravidade.
O halo de matéria negra tem pelo menos 500 mil anos luz de diâmetro embora não seja ainda possível precisar.

A Via Láctea define-se como uma galáxia em espiral composta por milhares de estrelas.
Em face da pergunta que se pode colocar: o que define o limite do sistema solar?, a resposta é pois a seguinte:

Se viajássemos para fora do sistema solar, acabaríamos por atingir um ponto em que a influência do Sol, desce para zero e onde começa o espaço interestelar.

Esta fronteira não está claramente definida, mas, com base em dados exatos de sondas, como a Voyajer da NASA, crê-se que ele diste cerca de quatro mil vezes mais do sol, que Plutão.
Qual o Planeta com maior lua?. Na verdade, Júpiter tem a maior lua do sistema solar. Esta chama-se Ganmedes e tem três vezes o tamanho da lua da nossa terra.

Existe algum som no espaço?. O som que é audível para o homem é essencialmente a vibração de partículas de ar, e como estas não existem no cosmos, não há qualquer som. No entanto, existe som sob a forma de diferentes tipos de radiação eletromagnética, como ondas de luz e rádio, que são possíveis de interpretar.

A corrida ao espaço começou a se feita em 1957, quanto os soviéticos lançaram o seu primeiro satélite terrestre, chamado Sputnik. Deste odo, os soviétivcos e americanos compreendiam bem a importância do espaço, que era uma fronteira que dominava o a terra.

Assim, ambas as superpotências tentaram desde logo ser as primeiras a conquistar o desafio de exploração espacial. De início os soviéticos tiveram algum sucesso, mas os EUA é que conseguiram a grande vitória, levando os homens à lua, apenas 12 anos depois do satélite Spuntnik.

Este projeto captou imenso os corações da juventude mundial mesmo em tempos que não havia paz. Este pode ser considerado o momento mais importante da história humana e começou com uma iniciativa militar.

Com efeito, este fenómeno contribuiu por unir toda a humanidade, apesar de durar pouco tempo.


Teresa Maria Batista Gil

Título: A Nossa Galaxia

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

639 

Comentários - A Nossa Galaxia

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios