Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Motas > Proteja-se! A andar de mota

Proteja-se! A andar de mota

Categoria: Motas
Visitas: 6
Proteja-se! A andar de mota

As motas constituem, desde o seu aparecimento, uma paixão para muita gente. Homens e mulheres adoram escarranchar-se em cima destes veículos, de duas, três ou quatro rodas, e cortar o vento com uma celeridade, frequentemente, excessiva. Os semáforos de controlo de velocidade, por vezes, nem têm tempo de disparar o sinal vermelho. Quando este aparece, os condutores já se encontram a repetir a façanha noutro ponto, deixando os parceiros de rota parados atrás de si.

No trânsito urbano, as motas revelam-se mais ágeis e, como duas rodas ocupam menos espaço do que quatro, tal “elegância” favorece abrir caminho por entre os carros e, consequentemente, maior rapidez. Também para as entregas de encomendas ou pizzas, por exemplo, estes veículos económicos são bastante utilizados. Afinal, há que dar primazia à ligeireza e conservar a quentura a todo o custo, certo?

O que custa, e não é assim tão raro, a quem anda de mota sem ter carta ou sem observar as normas de segurança e do código da estrada, pode ser a própria vida ou a obtenção de uma incapacidade permanente. As pessoas tendem a esquecer-se que, ao conduzir uma mota, o pára-choques é mesmo o corpo, sendo as lesões na cabeça e na coluna vertebral as mais graves e usuais. Portanto, e ainda que lhe chamem “cabeça dura”, recorde que o capacete pode livrá-lo de grandes problemas. E não siga o modelo daqueles que o usam enfiado no braço; para isso existem cotoveleiras!

Embora as deslocações em mota aportem um enorme sentido de liberdade, nem todos estão aptos a fazê-lo. Tirando os que se “pelam” de medo, há indivíduos que, por falta de equilíbrio, por doença mental ou neurológica, ou por qualquer outro impedimento veemente não podem concretizar este sonho. Paralelamente, é necessário ter cuidados redobrados em circunstâncias específicas, como sejam o derramamento de óleos no pavimento, a presença de areia no chão ou o piso molhado.

Na capital da Nigéria, Laos, as motas servem também de táxi. São chamadas de “okadas” e uma viagem custa, em média, trinta cêntimos de dólar. Numa perspectiva de angariar o máximo de clientes, as manobras efectuadas são perigosas q.b., o que fez aumentar muitíssimo o número de mortes. Perante este cenário, o Governo implementou a obrigatoriedade do uso de capacete.
Como escasseiem as posses para os adquirir, os nigerianos optam pela utilização de capacetes das obras, cascas de melancia e outras originalidades absolutamente nada protectoras. Naturalmente que o objectivo da redução de óbitos nos acidentes não foi atingido!

Por cá, as motas já conquistaram o mercado aquático. Na água pode transitar-se um pouco mais à vontade, cumprindo, todavia, as regras para a circulação no mar. Entretanto, em terra firme, convém não carregar demasiado no acelerador. De contrário, é possível que algum agente da autoridade o mande parar para lhe perguntar se está com problemas de descolagem…!



Maria Bijóias

Título: Proteja-se! A andar de mota

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 6

639 

Comentários - Proteja-se! A andar de mota

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios