Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Poemas da Semana

Poemas da Semana

Categoria: Literatura
Comentários: 2
Poemas da Semana

Entrega-se
Entrega-se ao meu coração
Já que não há nada que a prenda
Nessa mesma vida,
Recheado por rotinas que lhe tanto
Priva-te que viva até o último segundo,
Até o último suspiro de vida,
Até os últimos fortes batimentos de um coração
Que mesmo sendo recinto para tanto rancor,
Me abriga com tanto amor,
Mesmo que tão facilmente não se entregue
Ao meu calor presente
Na união de nossos corações,
Na união de nossas almas que se veem
Rachadas devido uma só causa do conhecimento
Efêmero de nossos corações que unidos são como
O fogo que exala de um vulcão raivoso com o ser-humano
E com quem o fez chegar ao ápice.

Abriga-me
Abriga-me em seu coração
Tão quão maior do que todo o universo
A que os nossos corpos de alma vagão por aí,
Sem eira nem beira,
Sem que juntos estejamos a
Nos entregar à escuridão e
desperdiçando a paixão,
Ignorando a luz da salvação para me
Entregar à uma estúpida ilusão,
Até que solutos sejamos para a solidão
Como um comprimido que nos livra de todas
Enfermidades do corpo de carne que ao vento não
Sobrevoa o Céu às vezes poluído por quase nunca
Estar límpido quanto ao horizonte eterno onde nossa história
Escrita será pelos anjos que rastreiam dentro de nós,
A verdadeira essência que dá sentido
As nossas emoções que invadem o nosso coração
E fazem dele um campo minado.

Aqui Dentro
Aqui dentro do meu coração
Mora uma tangente solidão que
Somente se dispersou com a invasão
Desse sentimento que pensava ser doce,
Angelical e bom como essa eloquente paixão,
Que infelizmente não é a tangente mais forte que o calor
do sol
Para expulsar de uma vez por todas essa sensação
De não pertencer com os méritos mais que dignos
Para essa tal supremacia,
Digno dessa emoção tão grande,
Dessa sensação maravilhosa a que tanto prazer
Eu tenho em expor nessa tela,
Ao alcance de seus olhos do corpo,
Do coração e da alma de todos quem
Perdem tempo lendo para rejuvenescer a alma
De cada um,
Deixando que a poesia por si
Fale através de seus sentimentos.

Através
Através dessa sensação de leveza
E de peso que adentra em meu peito por seu
Ignorante golpe contra esse amor,
Contra essa emoção
De estar sendo vitimado por uma
Paixão que parece fazer minha alma de
Sua vítima partindo em pedaços,
Fatiando o meu coração sem dó e nem piedade
De quem por uma vez se entregou ao fogo até ser consumado,
Como um sonho que tanto queremos que se realize antes
Que de uma forma ou de outra que desse mundo não façamos
Mais parte por tanto conceder-se
Aos princípios angelicais de uma emoção
Tão gostosa para uma supremacia que induz a
Sua alma há uma liberdade até que alcance
O infinito horizonte.

Sufocante
Sufocante é essa paixão
Que parece não mais permitir
Que minha alma com autonomia respire,
Que o meu coração continue a bater,
Que meu cérebro continue a comandar
Uma vida que já trilha um caminho coberto por neblina,
Coberto pelo medo por assaltado será por essa emoção
Que ao mesmo tempo me angustia,
Me apresenta a pureza de um anjo
Tranquilizando um coração
Consumada pela sensação de oprimido ser
Pela paixão por alguém quem
Dedico à vida a quem me dedica sempre
O seu coração.


Kaique Barros

Título: Poemas da Semana

Autor: Kaique Barros (todos os textos)

Visitas: 0

0 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Jhon Erik VoeseJhon Erik Voese

    07-07-2016 às 22:11:37

    olá, gostaria de saber qual é sua relação com o site e em média quantos dias demora para os seus textos serem aprovados, pois tenho enviado alguns materiais para eles e não aceitam nem rejeitam meus textos, já cheguei a publicar vários, mas de um tempo pra cá, parece que estou sendo "boicotado", talvez vc como autor não tenha nada a ver com isso, mas como colega possa me dizer se isso é comum, ou qual pode ser o problema. Parabéns pelas poesias e até mais!

    ¬ Responder
  • Kaique BarrosKaique Barros Moraes

    14-07-2016 às 14:34:38

    Oi. Tudo bem? Bom dia.
    É assim, eles demoram para aprovar quando você tenha publicado em alguma hospedagem própria e muitas vezes eles acabam não aprovando.
    A análise deles é muito rigoroso. Antes eu enviava texto todos os dias e acabava não sendo publicado por isso.
    Se o caso não for esse, faça novamente uma revisão ortográfica. - Ofender-lhe.

    ¬ Responder

Comentários - Poemas da Semana

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A história da fotografia

Ler próximo texto...

Tema: Fotografia
A história da fotografia\"Rua
A história e princípios básicos da fotografia e da câmara fotográfica remontam à Grécia Antiga, quando Aristóteles verificou que os raios de luz solar e com o uso de substâncias químicas, ao atravessarem um pequeno orifício, projetavam na parede de um quarto escuro a imagem do exterior. Este método recebeu o nome de câmara escura.

A primeira fotografia reconhecida foi uma imagem produzida em 1826 por Niepce. Esta fotografia foi feita com uma câmara e assente numa placa de estanho coberta com um derivado de petróleo, tendo estado exposta à luz solar por oito horas, esta encontra-se ainda hoje preservada.

Niepce e Louis –Jacques Mandé Daguerre inciaram em 1829 as suas pesquisas, sendo que dez anos depois foi oficializado o processo fotográfico o nome de daguerreótipo. Este processo consistia na utilização de duas placas, uma dourada e outra prateada, que uma vez expostas a vapores de iodo, formando uma pelicula de iodeto de prata sobre a mesma, ai era a luz que entrava na camara escura e o calor gerado pela luz que gravava a imagem/fotografia na placa, sendo usado vapor de mercúrio para fazer a revelação da imagem. Foi graças á investigação realizada por Friedrich Voigtlander e John F. Goddard em 1840, que os tempos de exposição e revelação foram encurtados.




Podemos dizer que o grande passo (não descurando muitas outras mentes brilhantes) foi dado por Richard Leach Maddox, que em 1871 fabricou as primeiras placas secas com gelatina, substituindo o colódio. Três anos depois, as emulsões começaram a ser lavadas com água corrente para eliminar resíduos.

A fotografia digital


Com o boom das novas tecnologias e com a capacidade de converter quase tudo que era analógico em digital, sendo a fotografia uma dessas mesmas áreas, podemos ver no início dos anos 90, um rápido crescimento de um novo mercado, a fotografia digital. Esta é o ideal para as mais diversas áreas do nosso dia a dia, seja a nível profissional ou pessoal.

As máquinas tornaram-se mais pequenas, mais leves e mais práticas, ideais para quem não teve formação na área e que não tem tempo para realizar a revelação de um rolo fotográfico, sem necessidade de impressão. Os melhores momentos da nossa vida podem agora ser partilhados rapidamente com os nossos amigos e familiares rapidamente usando a internet e sites sociais como o Facebook e o Twitter .

A primeira câmara digital começou a ser comercializada em 1990, pela Kodak. Num instante dominou o mercado e hoje tornou-se produto de consumo, substituindo quase por completo as tradicionais máquinas fotográficas.

Sendo que presentemente com o aparecimento do FullHD, já consegue comprar uma máquina com sensores digitais que lhe permitem, além de fazer fotografia, fazer vídeo em Alta-Definição, criando assim não só fotografias quase que perfeitas em quase todas as condições de luz bem como vídeo com uma qualidade até agora impossível no mercado do vídeo amador.

Tirar fotografias já é acessível a todos e como já não existe o limite que era imposto pelos rolos, “dispara-se” por tudo e por nada. Ter uma máquina fotográfica não é mais um luxo, até já existem máquinas disponíveis para as crianças. Muitas vezes uma fotografia vale mais que mil palavras e afinal marca um momento para mais tarde recordar.

Pesquisar mais textos:

Bruno Jorge

Título:A história da fotografia

Autor:Bruno Jorge(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    05-05-2014 às 03:48:18

    Como é bom viver o hoje e saber da história da fotografia. Isso nos dá a ideia de como tudo evoluiu e como o mundo está melhor a cada dia produzindo fotos mais bonitas e com qualidade!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios