Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > O Fim do Alfabeto

O Fim do Alfabeto

Categoria: Literatura
Visitas: 2
O Fim do Alfabeto

«O Fim do Alfabeto», um livro de C. S. Richardson, com 96 páginas, reeditado em 2009 pela Editorial Presença, conta a história de Ambrose Zephyr que descobre, de forma repentina, restar-lhe apenas um mês de vida em consequência da estranha doença que o acometeu. Assim sendo, ele e a esposa, Zappora Ashkenazi, encetam uma viagem a todas as paragens onde ele mais tinha gostado de estar ou desejava conhecer, de A a Z. Ambrose manifesta obsessão com o alfabeto e com o arranjo das letras. Curiosamente, as iniciais dos nomes das personagens principais são A. Z. (Ambrose Zephyr) e Z. A. (Zappora Ashkenazi).

Não deve ser nada fácil receber, no dia em que se completam 50 anos de existência, a notícia de que essa será, com uma probabilidade muito elevada, a última comemoração do género, pelo simples facto de que se ganhou de presente a sentença de morte com um horizonte temporal curtíssimo!... Neste contexto, Ambrose resolve lançar-se com a mulher numa viagem à volta do mundo, de Amesterdão a Zanzibar, com passagem por Berlim, Paris, Florença, Gizé, Istambul e Veneza, levando na bagagem doces recordações, a perspectiva de um presente aterrador, o medo e o amor. E, perante a necessidade de pôr alguns pontos nos “is”, Istambul apresenta-se como o palco perfeito para ambos fazerem as pazes com o tempo perdido e as muitas questões sem resposta, sendo que a partir daqui a viagem segue um curso inesperado.

Trata-se mais de uma viagem interior do que ao mundo circundante, de aceitação, uma trajectória da vida deste casal, com particularidades interessantes e profundas, de carácter evocativo e mágico.

De facto, um homem que vive em Londres, que trabalha numa prestigiada agência de publicidade, com uma casa belíssima e casado com uma verdadeira top model convence-se de que não precisa de mais nada na vida… A não ser, talvez, a própria vida! Perante o cenário da morte, o poder da arte, o valor da História e as especificidades do ser assumem, então, uma nova dimensão para Ambrose. Simultaneamente, a mulher vai tentando imaginar o inimaginável: um futuro próximo em que o marido já não estaria com ela. Trata-se de uma jornada espiritual às profundezas do amor, da perda e da vida.
Escrito com inteligência e humor, este romance leva à reflexão e à comoção e mostra como é possível pautar a vida por um amor excepcional. Aludindo a um enredo improvável, como que a justificar o sentido de todo o conteúdo, «O Fim do Alfabeto» desafia a uma segunda leitura para não deixar escapar certas ideias mais implícitas.

Maria Bijóias

Título: O Fim do Alfabeto

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

636 

Imagem por: getjustin

Comentários - O Fim do Alfabeto

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: getjustin

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios