Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > O Enigma do Quatro: mensagens criptografadas e tesouros escondidos

O Enigma do Quatro: mensagens criptografadas e tesouros escondidos

Categoria: Literatura
Visitas: 14
Comentários: 1
O Enigma do Quatro: mensagens criptografadas e tesouros escondidos

O Enigma do Quatro, publicado em 2005 por Ian Caldwell e Dustin Thomason, é um livro de suspense baseado em outra obra literária: o enigmático Hypnerotomachia Poliphili. Este livro, publicado em 1499 no período renascentista, é considerado um dos mais belos do período devido sua qualidade gráfica e tipográfica, mas também é considerado um dos mais incompreensíveis de todos os tempos.

Os mistérios e singularidades iniciam-se no título da obra, que possui 17 palavras em sua estrutura e, por isso, foi traduzido e abreviado apenas como - A luta amorosa de Poliphilo em um sonho; além disso, o livro foi escrito em várias línguas diferentes ao mesmo tempo, com uma narrativa caótica que entremeia pesadelos, aventuras, deuses, ninfas, ilustrações perturbadoras e comentários sobre literatura, arquitetura e música; o autor da obra é um enigma, há apenas uma mensagem subliminar retirada dos títulos dos capítulos que levam os estudiosos a acreditar que o autor seria um monge chamado Francesco Colonna: Alinhadas, as letras iniciais de cada capítulo formam a frase Poliam frater Franciscvs Colomno peramavit que, traduzido do latim, significa o irmão Francisco Colono amava Polia intensamente.

A partir de todos esses mistérios, dúvidas e incompreensões, os autores do Enigma do Quatro criaram uma nova realidade, imputando ao livro outro autor cujos objetivos, apesar de escondidos em uma narrativa caótica, eram claros e nobres.

Sem dúvidas foram necessárias muitas pesquisas e estudos, além de muita criatividade, para conceber os enigmas e mistérios deixados cuidadosamente escondidos dentro das páginas do Hypnerotomachia. Apenas humanistas como o autor, apaixonados pela arte, ciência, filosofia e literatura, deveriam ser capazes de descobrir os segredos contidos no livro.

O gênero da obra, acredito, não permitiu espaço para personagens mais profundas e detalhadas, portanto alguns leitores, mais acostumados a romances, podem vir a sentir falta, além disso, a narrativa da história é um pouco maçante e desinteressante, apenas as informações históricas sobre o período renascentista, a própria história do livro Hypnerotomachia e as idéias de mensagens e textos subliminares escondidos no livro é que compensam a leitura.

Mas a idéia de decifrar códigos é bem interessante e para quem quiser testar suas habilidades, no site oficial do livro - http://www.randomhouse.com/bantamdell/theruleoffour/meet.html -há um pequeno jogo de enigmas. O jogo é fácil, principalmente para quem leu o livro, e só se torna um pouco complicado para quem não compreende a língua inglesa, mas isso é apenas um desafio e uma linguagem codificada a mais.


Glaucia Alves

Título: O Enigma do Quatro: mensagens criptografadas e tesouros escondidos

Autor: Glaucia Alves (todos os textos)

Visitas: 14

774 

Imagem por: timitalia

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoeva

    19-08-2014 às 23:31:08

    Parabéns você colocou este texto no Google em :
    Página 2 de cerca de 1 770 000 resultados (0,16 segundos)

    ¬ Responder

Comentários - O Enigma do Quatro: mensagens criptografadas e tesouros escondidos

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: timitalia

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios