Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Jóias Relógios > As Cores do Ouro

As Cores do Ouro

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Jóias Relógios
Visitas: 4
Comentários: 1
As Cores do Ouro

O ouro é o mais nobre dos metais, e encanta a humanidade desde os remotos tempos em que foi encontrado pela primeira vez, em virtude de seu aspeto brilhante, maleável e potencialmente indestrutível. Em estado puro, pesa 24 quilates, tende ao amarelo e, por ser muito mole, sempre se mostrou adequado à fabricação de joias.

Uma das qualidades mais interessantes deste metal é que ele não perde sua pureza ao ser combinado com outros, apenas muda de cor e torna-se resistente, permitindo sua manipulação. Portanto, as cores que o ouro adquire não estão condicionadas à região de onde foi extraído, como são justificadas normalmente. Trata-se, apenas, de um mito. Assim como ao juntar-se a outros metais, a liga continuará sendo de ouro, as cores vão depender de sua composição. Desta forma, o ouro amarelo tem em sua formação os 75% dele próprio, equivalente a 18K, com os outros 25% equilibrados com o cobre e a prata. Entretanto, ao combinar-se com o paládio mais o níquel ou a prata, se converte em ouro branco. E o vermelho vem da combinação com o cobre, o zinco e a prata.

Quaisquer destas ligas, ou qualquer seja a cor em que o ouro se apresente, ele terá o mesmo valor, ao contrário do que se propaga popularmente, ao se repetir falsos especialistas.

O ouro branco, em razão dos metais que dão sua coloração, adquire um aspeto cinzento, sendo mais opaco que os outros. Por isso, esta liga necessita de um tratamento especial com ródio, a fim de que o brilho do ouro seja restaurado. Neste acabamento, normalmente se utiliza um equipamento contendo platina sólida, para garantir a fixação do ródio liquido na joia que deverá ser imersa neste composto. É preciso que não se confunda este processo com o folheamento, pois, nesse caso, o ouro apenas encobre a superfície da joia, enquanto que o ouro branco, mesmo necessitando do banho para revolver o brilho, continua sendo o primeiro metal, com toda sua nobreza. Às vezes, é necessária a repetição do processo, após uso prolongado da joia. Entretanto, o desgaste que ocorre afeta apenas o brilho do adorno, enquanto o metal, ao contrário, permanece intacto.

Então, se sua joia estiver com uma aparência opaca, recorra a um especialista confiável, numa joalheria tradicional, e peça a restauração do brilho. Sua peça voltará à mesma beleza que lhe causou fascínio na primeira vez.


Hediene

Título: As Cores do Ouro

Autor: Hediene Hediene (todos os textos)

Visitas: 4

785 

Imagem por: Lenny Montana

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    09-05-2014 às 16:25:05

    Que interessante saber que o ouro pode se diferenciar dependendo de sua combinação. Ainda bem que, independente disso, continua sendo um ouro de valor. O ouro branco é lindo!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - As Cores do Ouro

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Imagem por: Lenny Montana

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios