Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Ferramentas > Evolução das ferramentas agrícolas

Evolução das ferramentas agrícolas

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Ferramentas
Visitas: 653
Comentários: 9
Evolução das ferramentas agrícolas

Do princípio da agricultura até os dias atuais, o homem utiliza várias ferramentas que torna fácil o trabalho no campo. Muitos instrumentos rudimentares ainda são utilizados hoje, pois são simples de usar, fáceis de obter e custam relativamente pouco ao lavrador.

Os primeiros instrumentos agrícolas eram rudimentares, feitos de pedra, madeira, chifre ou osso. Alguns vestígios encontrados em sítios arqueológicos revelaram que os primeiros agricultores da Europa utilizavam enxadões de pedra e os incas enterravam os grãos de milho com um pau comprido.

Ha mais de 1200 anos A.C. os assírios, descobriram o ferro e isso levou a produção dos instrumentos agrícolas e de armas de guerra feitos de metais, possibilitando ainda mais o avanço da agricultura.

O uso de instrumentos agrícolas teve em algumas regiões, sobretudo de difícil acesso, uma lenta evolução, sendo freqüente o uso de instrumentos rudimentares em zonas rurais onde é muito simples a plantação, a colheita dos produtos agrícolas ou a criação de animais. As respetivas populações não sentiam necessidade de recorrerem a culturas mais trabalhosas, como é o caso dos cereais, e não aderiram facilmente à atividade agrícola. Esta situação teve inevitáveis efeitos na dinâmica do seu desenvolvimento.

Até ao século XVIII, os instrumentos básicos não receberam grandes melhorias. O feito mais importante foi substituir componentes de maneira por metais.

A invenção da enxada possibilitou o aumento da produção, a melhoria da produtividade nos campos, revolucionou a vida rural das populações e as condições de vida dos camponeses. As primeiras enxadas eram de pedra polida ou de madeira. Com o aparecimento dos metais foi possível um grande avanço na agricultura. Entre os instrumentos de trabalho mais usados na agricultura podem citar-se os primeiros arados, grades constituídas por uma tábua da qual saíam pregos, os tonéis, pipas e cubas para o vinho e o azeite, os cabos da foice, da enxada e do martelo.

O ancinho ou rastelo é composto de uma placa de metal com dentes e fixada a um cabo. Serve para juntar e empilhar palha ou capim. O forcado tem formato semelhante ao de um garfo e em geral é munido de três dentes, mais longos e pontiagudos do que os do rastelo.

Como instrumentos de corte se empregam o facão, a foice, de cabo curto e lâmina curva apropriada para cortar o capim, e o alfanje, similar à foice, porém com o cabo mais comprido, possibilitando o corte bem próximo ao chão.


Cláudio Júnior

Título: Evolução das ferramentas agrícolas

Autor: Cláudio Júnior (todos os textos)

Visitas: 653

807 

Imagem por: Unhindered by Talent

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 9 )    recentes

  • Cirle

    25-02-2015 às 11:26:34

    AMEI! minha criação de escravos pesquisaram e eu achei espectacular! PARABÉNS, sei bem como é difícil trabalhar com essas ferramentas por esse motivo nunca vou dar uma ferramenta que seja mais fácil de manusear

    ¬ Responder
  • maria luiza

    22-07-2014 às 14:49:43

    bom mas precisa de mais fotos

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    16-04-2014 às 18:51:40

    Muito bom o seu texto, Cláudio! Parabéns!

    A equipa da Rua Direita

    ¬ Responder
  • Mariana

    03-03-2014 às 17:51:24

    Eu acho esse site bom mas falta imagem mas mesmo assim foi útil para o meu trabalho.

    obg!

    ¬ Responder
  • rafael m colombellirafael m colombelli

    04-07-2012 às 14:27:01

    mais ou menos podiam ponhar fotos

    ¬ Responder
  • felipe

    06-03-2014 às 00:29:39

    bom

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoFilipa Alves

    17-05-2012 às 12:22:08

    Deveriam ser mais específicos , nas informações que dão , daí essas informações serem úteis , obrigada .

    ¬ Responder
  • maria claramaria clara

    10-04-2012 às 02:00:28

    odiei esse site

    ¬ Responder
  • mariomario

    23-03-2012 às 11:11:50

    falta trator bando de burro

    ¬ Responder

Comentários - Evolução das ferramentas agrícolas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como burlar a crise e fazer a viagem dos sonhos gastando pouco

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Viagens
Como burlar a crise e fazer a viagem dos sonhos gastando pouco\"Rua
Não é novidade para ninguém que o Brasil está passando por uma séria crise econômica e política. Atrelado a isso, a elevação do dólar nos últimos meses tem contribuído para a queda considerável no número de viagens internacionais. Para os amantes de viagens, também chamados travelholics, a crise não é um motivo para adiar aquela viagem tão esperada.
Nesse post você terá dicas de como superar esse momento e realizar seu sonho de uma forma mais econômica, sem precisar de guias turísticos, que encarecem ainda mais a viagem.

Dica 1) Planeje sua viagem com antecedência.
Provavelmente a maioria já ouviu falar disso, mas é a pura verdade. Programar a viagem é o primeiro passo para uma estadia tranquila e bem mais barata. Escolher o destino, a época do ano e com quem ir é o começo de tudo. As passagens aéreas costumam ter preços promocionais quando comprada com antecedência e você poderá escolher melhor onde passará as noites.

Dica 2) Pesquise os preços das passagens diariamente.
Se o destino já está definido, comece a buscar as passagens já. Os preços costumam variar diariamente, e sim, podem cair ou subir absurdamente de um dia para o outro. Eu super indico o Google Voos como busca de passagem. Ele apresenta os valores e os horários das mais variadas companhias aéreas e no final, te redireciona para o site da empresa sem te cobrar nenhuma taxa por isso. Além disso, ter em mente a opção de flexibilizar as datas pode te possibilitar um bom desconto no final. Você e o seu vizinho de assento podem estar indo pro mesmo destino, mas pagando valores completamente diferentes.

Dica 3) Use e abuse do Google Maps para escolher a região de hospedagem.
O Google Maps é uma opção de busca com mil e uma utilidades. Depois de escolhida a cidade, pesquise a localização dos principais pontos turísticos que são do seu interesse. Há várias ferramentas para busca de hotéis e pontos turísticos no site. Se você vai depender de transporte público ou ''viação pé'' para conhecer a cidade, uma boa dica para economizar tempo e dinheiro é ficar na região cultural da cidade. Você poderá pagar um pouco mais caro na estadia, mas economizará em outros quesitos.

Dica 4) Utilize os sites de busca de hotéis para fazer as reservas.
Depois de muito pesquisar, descobri que organizar a viagem por conta própria pode sair até pela metade do preço do que seria através de uma agência de viagem. Existem muitos sites de hotéis, mas é bom pesquisar sua credibilidade em fóruns e sites de reclamação. Minha sugestão é o Booking.com, há anos no mercado com milhões de clientes, ele é reconhecido pela sua transparência e grande assistência àqueles que precisaram resolver algum problema. Utilizando as datas de entrada e saída, e os filtros como valor máximo da diária e número de estrelas, você encontra o melhor hotel pro seu gosto e seu bolso.

Dica 5) Seguro Viagem
É imprescindível a contratação de um seguro viagem se você está indo para o exterior. Dependendo do país, uma diária no hospital pode sair mais cara que toda a viagem. Sem falar que em caso de extravio de bagagem e algum problema mais grave com um parente próximo no país de origem, além de outras questões, o seguro tem a cobertura específica. Não se deixe levar pelos pequenos preços. Procure aqueles conhecidos mundialmente e, de preferência, utilizado por algum conhecido. Quanto mais detalhado for, melhor.

Dica 6) Curta a pré-viagem pesquisando
O período antes da viagem é tão gostoso quanto ela, propriamente dita. Aproveite para pesquisar sobre os locais do seu interesse, restaurantes, lojas e principalmente transporte. Hoje, já existe taxímetro online em grandes metrópoles, onde você pode fazer um cálculo estimado da corrida de um lugar a outro. Como o nosso objetivo é a economia, são muitas as alternativas de transporte. Além do bom e velho ônibus, as vans compartilhadas do aeroporto para o hotel podem sair bem mais em conta que o táxi. Para quem for ficar poucos dias em uma grande cidade, os ônibus vermelhos de dois andares, conhecidos por Hop On Hop Off, dão uma geral na cidade, passando pelos principais pontos e possibilitando ao turista parar onde quiser, e esperar pelo próximo nos pontos indicados. Existem ticktes de 24, 48 e 72 horas ilimitado, a partir do momento do primeiro uso.

Pesquisar mais textos:

Letícia Spínola Flávio

Título:Como burlar a crise e fazer a viagem dos sonhos gastando pouco

Autor:Letícia Spínola Flávio(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Adriana SantosAdriana Santos

    10-11-2015 às 21:16:50

    Gostei das dicas! Valeu!
    Realmente, as pessoas que amam viajar encontram diversas formas, nem que seja um lugar próximo a sua cidade!

    Abraços!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios