Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Empresariais > O atendimento enquanto factor de sucesso empresarial

O atendimento enquanto factor de sucesso empresarial

Categoria: Empresariais
Comentários: 1
O atendimento enquanto factor de sucesso empresarial

As empresas de sucesso percebem a importância que os seus clientes têm para o seu sucesso, e por isso toda a sua actividade empresarial está focalizada no cliente e o seu principal objectivo é a satisfação do cliente.

Sabe-se que angariar um novo cliente custa em média dez vezes mais que manter um cliente já existente, e nesta perspectiva o atendimento ao cliente ganha ainda mais relevo e é ainda mais importante.

Por vezes, são pequenas coisas, pequenos detalhes que levam à insatisfação do cliente, no entanto, se houver atenção por parte dos funcionários (recepcionistas, vendedores, responsáveis comerciais, etc.) que contactam com os clientes, grande parte desses pequenos incidentes podem ser facilmente evitados, e assim está-se a contribuir para o sucesso cada vez maior da organização.

As empresas de sucesso apostam constantemente na formação dos seus funcionários e colocam grande ênfase no atendimento ao público, e é por isso que vemos, por exemplo, nas grandes superfícies comerciais, que todos os funcionários têm uma forma de atender o público muito semelhante, em que ressalta a simpatia e a atenção para com o cliente. Obviamente, que os clientes sabem que os funcionários têm esse tipo de comportamento porque a empresa assim o exige, no entanto isso gera um bom ambiente e faz com que o cliente se sinta bem recebido e bem atendido. O cliente fica satisfeito e assim o objectivo principal está cumprido.

Já imaginou como se sentiria se fosse recebido num estabelecimento por uma pessoa mal-humorada, “sem tempo” para o atender, que o fizesse esperar sem qualquer justificação e que não prestasse nenhuma atenção ao que você diz. Você iria comprar alguma coisa? Alguma vez lá voltaria? Penso que a resposta é lógica.

Além disso, certamente que você iria desabafar acerca dessa situação desagradável com pelo menos alguns dos seus conhecidos, e o estabelecimento em causa não iria perder apenas um cliente, iria provavelmente perder vários clientes ou potenciais clientes.

As empresas (grandes e pequenas) para além de vender os seus produtos têm de preocupar-se cada vez mais em vender uma imagem de excelência, um padrão de qualidade nos seus serviços e um feedback de satisfação por parte dos clientes. Um bom atendimento desempenha um papel fundamental em todo este processo e pode mesmo ajudar a ultrapassar pequenos problemas e pequenas insatisfações relativamente aos produtos e/ou serviços da empresa.


Carlos Vieira

Título: O atendimento enquanto factor de sucesso empresarial

Autor: Carlos Vieira (todos os textos)

Visitas: 0

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    09-07-2014 às 19:57:29

    O atendimento faz total diferença na marca de uma empresa. Tanto para o bem como pra o mal. Ele se diferencia de um negócio para outro, por isso, deve ser investido e levado em conta.

    ¬ Responder

Comentários - O atendimento enquanto factor de sucesso empresarial

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios