Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > DVD Filmes > Dois filmes, uma história - Lolita

Dois filmes, uma história - Lolita

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: DVD Filmes
Dois filmes, uma história - Lolita

Lolita é a personagem que dá nome à obra-prima de Nabokov, um livro escrito em 1955 em inglês por um autor russo, consagrando-se como um dos grandes romances da literatura. Foram dois os realizadores que se atreveram a adaptar esta história tão controversa ao cinema – Stanley Kubrik em 1961 e Adrian Lyne em 1997. São, efetivamente, filmes tremendamente distintos, tanto pela censura da época que fez Kubrik colaborar com o próprio Nabokov na produção de um argumento adaptado que contornasse as cenas mais controversas, como pelo simples facto de que se trata de dois realizadores com visões diferentes tanto da arte cinematográfica como da própria história do livro “Lolita”.

Kubrik é, indisputavelmente, um dos melhores e mais originais realizadores de sempre. Em “Lolita”, um filme a preto e branco, pegou na perturbadora história do amor e posse sentidos e exercidos sobre Lolita, uma adolescente de 14 anos, por Humbert, professor universitário hospedado na casa da sua mãe que se viria a transformar no seu padrasto e depois, com a morte da esposa, no seu tutor legal, e transformou-a numa comédia negra. Com isto, Kubrik perdeu o essencial da história, a sua carga emotiva, apresentado um filme impecável do ponto de vista da realização, mas não da história.

O realizador da versão de 1997, Adrian Lyne, apresenta-nos um filme com alguns momentos de comédia, é certo, mas que é em essência dramático. E assim deparamo-nos com um filme retorcido, perturbado, como é a própria história que relata. Dolores Haze, chamada Lolita por Humbert, é uma ninfa que alterna entre a inocência e a provocação, enquanto Humbert é o homem que, em adolescente, perdeu o seu primeiro amor para a morte por tifo, vendo-se agora cego pela violenta paixão por Lolita, e o espectador dá por si a compadecer-se dele. É aqui que reside a mestria do filme de Lyne, que o transforma numa obra muito mais poderosa que a de Kubrik.

Ambos os filmes merecem ser vistos, sendo duas visões diferentes sobre um grande clássico da literatura. Ainda que o natural seja tendermos a esperar mais do filme de Kubrik, o de Lyne é, na realidade, a verdadeira adaptação cinematográfica Lolita.

Sofia Nunes

Título: Dois filmes, uma história - Lolita

Autor: Sofia Nunes (todos os textos)

Visitas: 0

648 

Comentários - Dois filmes, uma história - Lolita

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como cuidar de Plantas de interior

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Bricolage Jardim
Como cuidar de Plantas de interior\"Rua
Cada planta tem um comportamento diferente, vou colocar aqui alguns cuidados que servem para a maioria delas.

LUZ:

Os principais erros no cultivo de plantas de interior é a falta de luz.
Se elas estiverem em locais onde não há luz suficiente, isso pode ser corrigido com a instalação de luz artificial, existe no mercado lâmpada que imitam a luz natural.


TEMPERATURA:

Mudanças bruscas de temperatura retardam e até paralisa o crescimento da planta, bem como causa a queda de folhas.


UMIDADE:

A maioria das plantas necessita de uma umidade atmosférica adequada.
Normalmente notamos que a planta não está com a umidade correta quando acontece ficarem amarelas e a queda de folhas.


IRRIGAÇÃO:

Conselhos básicos:
Uma planta em fase de crescimento vai precisar de mais água que uma que está em fase de dormência, ou já atingiu o seu tamanho adulto.
Durante a floração a planta precisa de mais água que em sua fase de crescimento
Em ambientes internos mais quentes é evidente que a planta vai precisar de mais águas que em ambientes mais frios.
Para saber qual é o momento exato de molhar, enfie o dedo no substrato, se sentir ele seco, chegou a hora

FERTILIZANTE:

Para que a planta tenha um desenvolvimento harmonioso convém usar periodicamente de fertilizantes que podem ser líquido ou sólidos.
No mercado existe a venda fertilizante com fórmulas específicas para cada planta.
Após a utilização do fertilizante regue a planta.

LIMPEZA:

Faça regularmente a limpeza de folhas secas e caule, pois elas são bastante positivas não só esteticamente como para a saúde das plantas.
Se estiver acumulada muita poeira sobre as folhas, espane, e depois passe um pano húmido
Atenção: Existe algumas espécies, que tem as folhas aveludadas, tipo a Violeta Africana, Begônia Rex, etc. que não deve ser colocada água é só usar uma escovinha bem macia.

TROCA DE VASO:

De uma maneira geral após 1 ou 2 anos as plantas de interior devem ser colocadas em vasos de tamanho maior.
Isso deve ser feito porque as raízes passam a ocupar um grande espaço e também porque o substrato vai perdendo sua composição inicial.
A época mais adequada varia de planta para planta, algumas devem ser feitas na primavera e outras quando estão na fase de repouso.
Aproveite para obterem mudas, separando brotos e dividindo touceiras.

Pesquisar mais textos:

Miguel Pereira

Título:Como cuidar de Plantas de interior

Autor:Miguel Pereira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:09:31

    Muito bom! É tão gratificante cuidar de plantas. A gente vê o quanto elas florescem quando são bem-cuidadas. Amei as dicas!

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    18-04-2014 às 22:36:55

    Fantástico seu texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios