Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > Diana de Gales

Diana de Gales

Categoria: Biografias
Comentários: 3
Diana de Gales

A Princesa de Gales

Nascida a 1 de Julho de 1961 em Park House, Inglaterra,
A Princesa do Povo ficou marcada no coração de muitos. Amada por todos os que com ela privavam, era uma mulher de família, mas também de causas humanitárias.

O mundo ficou mais pobre no dia em que morreu…
A 31 de Agosto de 1997, morreu num acidente automobilístico no túnel da Ponte da Alma, em Paris, juntamente com Dody Al-Fayed (filho do dono da conhecida marca Harrod’s) e o motorista. As causas do acidente ainda são motivo de especulação.

Foi a terceira filha do Visconde Althorp e da sua primeira mulher, Frances Ruth Burke-Roche. Com sete anos os pais separaram-se. Diana e o irmão Charles foram viver com a mãe para Londres. Ainda em 1968, passou o Natal com o pai que se recusou a deixá-la regressar a casa da mãe.

Assim, os Althorp lutaram pela custódia dos filhos, que foi atribuída ao pai. Todo este processo deixou marcas negativas em Diana, que ficou determinada em constituir uma família unida e feliz. Conheceu o príncipe Carlos, que na altura namorava com a sua irmã mais velha.

Entretanto esteve três meses na Suíça a aprender actividades sociais, como etiqueta, artes florais, culinária. A 6 de Fevereiro de 1981, Carlos chamou Diana e pediu a sua mão em casamento.

Mesmo sendo filha de nobres, ela fazia a vida de uma mulher normal. Inscreveu-se em duas agências de emprego e começou a fazer tarefas domésticas e trabalhos de babysitter, até que se tornou professora num jardim-de-infância.


Bruno Jorge

Título: Diana de Gales

Autor: Bruno Jorge (todos os textos)

Visitas: 0

626 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • SophiaSophia

    24-04-2014 às 21:59:57

    Ela, além de ser linda é uma mulher admirável! A princesa Diana ficará em nossa memória para sempre!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    09-09-2012 às 21:45:07

    Quem não se lembra de Diana de Gales? Uma senhora elegante, que marcou a monarquia inglesa. Lembro-me perfeitamente acordar um dia, ligar a televisão e ver um funeral em directo. Na altura, nem me apercebi o que se tratava, pois tinha apenas sete anos. Hoje sei do que se tratava e sempre que vejo as imagens só conseguir sentir muita tristeza por aqueles dois rapazes que vão atrás do caixão. Parabéns pelo tema.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    09-09-2012 às 21:40:17

    Quem não se lembra de Diana de Gales? Uma senhora elegante, que marcou a monarquia inglesa. Lembro-me perfeitamente acordar um dia, ligar a televisão e ver um funeral em directo. Na altura, nem me apercebi o que se tratava, pois tinha apenas sete anos. Hoje sei do que se tratava e sempre que vejo as imagens só conseguir sentir muita tristeza por aqueles dois rapazes que vão atrás do caixão. Parabéns pelo tema.

    ¬ Responder

Comentários - Diana de Gales

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios