Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > D. José, O Reformador

D. José, O Reformador

Categoria: Biografias
Visitas: 4
D. José, O Reformador

Terceiro filho de D. João V e D. Maria Ana de Áustria, D. José I nasceu a 6 de Junho de 1714, no Palácio da Ribeira, em Lisboa. D. Maria Bárbara de Bragança casou o príncipe das Astúrias, futuro Fernando VI de Espanha, enquanto D. Pedro morreu ainda em criança, ficando D. José com o caminho livre para o trono.

Em 1727, D. José casou com D. Mariana Vitória, filha de Filipe V e de Isabel Farnésio. Desta relação teve 4 filhas: D. Maria Francisca, futura D. Maria I, D. Maria Ana Francisca Josefa, D. Maria Francisca Doroteia e D. Maria Francisca Benedita. Os primeiros anos do casal foram felizes.

Em 1729, ficou conhecido no reinado D. João V a famosa troca de princesas: D. Mariana Vitória casaria com o príncipe D. José, e D. Maria Bárbara de Bragança casaria, por sua vez, com D. Fernando, o príncipe das Astúrias.

Foi no reinado de D. José, com a diminuição das importações de ouro, que Portugal entrou, novamente, em crise. Distinguiu-se com mérito o seu primeiro-ministro, Sebastião José de Carvalho e Melo, conde de Oeiras, em 1759 e marquês de Pombal, em 1769.

A 1 de Novembro de 1755, ocorreu em Portugal o conhecido Terramoto de 1755, que vitimou milhares de pessoas, depois o país envolveu-se na Guerra dos Sete Anos (1756-1763), entrando em colapso extremo a nível financeiro. Contudo, as novas medidas de Marquês de Pombal deu origem a uma nova fase positiva.

Marquês de Pombal dinamizou o país: criou o Real Colégio dos Nobres, reformou a Universidade de Coimbra, desenvolveu uma intensa propaganda da indústria e do comércio (criação de fábricas, da Aula do Comércio, a primeira escola comercial da Europa), criou a Real Companhia das Vinhas do Alto Douro, mandou construir estradas, com o terramoto, planeou a urbanização concisa de Lisboa, e, acabou com a distinção entre cristãos-novos e cristãos-velhos (1768).

A 3 de Setembro de 1758, de regresso da casa da sua amante, D. Teresa Tomásia de Távora, D. José I sofreu um atentado, que segundo o seu ministro, vinha da casa Távora e do duque de Aveiro.

D. José faleceu a 24 de Fevereiro de 1777, vítima de uma apoplexia.


Daniela Vicente

Título: D. José, O Reformador

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 4

629 

Comentários - D. José, O Reformador

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios