Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > Aung San Suu Kyi

Aung San Suu Kyi

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Biografias
Comentários: 1
Aung San Suu Kyi

Falar de Aung San Suu Kyi é falar de prisão e liberdade, sofrimento e amor, solidão e determinação, carência e riqueza, uma história única para ouvir e contar. Falar de Aung é falar de permanentemente de contradição, não porque esta mulher mundialmente conhecida seja instável, mas porque lhe limitaram a liberdade, o amor, a determinação e a riqueza, mas nunca, nunca a sua história.

É necessário antes de mais conhecer o país Natal de Aung – A Birmânia. De uma história muito antiga onde o budismo foi adotado até 1287 onde é invadida por mongóis, a Birmânia tem costumes e tradições fascinantes. No Séc. XIX o Império Britânico invadiu a Birmânia e na 2ª Grande Guerra é ocupada pelo Japão. Depois de se tornar uma república independente, sofre um golpe militar em 1962 cuja ditadura dura até 1988.

Em 1989 o nome do país é alterado para Mianmar, mas ainda hoje é falado como a antiga Birmânia. Em 1990, a oposição vence, mas o governo ditador impede a sua atividade. Desde então que o país está mergulhado numa crise política e social sem igual no país.




Mas onde está a história de Aung na história da Birmânia? Bem… A história vem do seu pai que fora assassinado pouco depois da intendência do pais em 1948 (fim da 2ª Guerra Mundial). Nesta altura Aung tinha apenas 2 anos.

Suu estudou na capital do país, seguindo-se na Índia e na Universidade de Oxford. Dona de uma inteligência e intelectualidade extraordinária, conheceu o especialista na civilização tibetana Michael Aris, com quem acabou por casar em 1972.

Em 1988, Suu Kyi regressou ao seu pais e depressa se envolveu num movimento de libertação do seu país. A Birmânia vivia na altura uma revolta popular que resultava numa enorme crise política e económica. Naturalmente que o movimento foi reprimido mas com força suficiente para fazer nascer o partido da Liga Nacional pela Democracia onde Suu era secretaria-geral.

Em 1989 Suu é presa, ficando impedida de comparecer às eleições desse ano. Em 1990, o partido de Suu ganha as eleições com uma esmagadora maioria, mas a junta militar recusa-se a reconhecer o resultado das eleições.

A sua luta levou-a a ganhar o prémio Sakharov no mesmo ano e em 1991 é galardoada com o Nobel da Paz. Suu era mantida em cativeiro na sua casa em prisão domiciliária. E o movimento pela sua libertação cresce pelo mundo.

Durante todos estes anos, Suu é impedida de ver os filhos e o marido e em 1995 tem o último encontro pessoal, pois em 1999 Michael morre de cancro em Londres.

As manifestações de apoio e de libertação foram infindáveis e a banda Irlandesa U2 homenageou-a com a música “Walk On”.Secretários de estado, representantes dos Direitos Humanos presidentes e muitos outros líderes políticos pediam a libertação da Senhora Suu Kyi. Era então considerada a 71ª mulher mais poderosa do mundo. Prendiam-na mas as suas palavras e firmeza mantinham-se por todo o mundo.

Em 2010 é finalmente libertada, podendo viver livremente na sua terra. Discursou para 5000 apoiantes e apelou a uma reconciliação nacional. Diz ainda que não guarda ressentimentos de ninguém. Só quer a liberdade do seu país. Dona de uma humildade extraordinária, esta mulher move multidões com uma elegância de corpo e de espirito que só um Nobel da Paz sabe fazer.

Faltou-lhe a liberdade da vida, mas nunca a liberdade de espirito e essa é fundamental para um Ser Único saber viver.


Carla Horta

Título: Aung San Suu Kyi

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

615 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    09-09-2012 às 21:13:44

    Falar desta mulher é mesmo falar da força da natureza. Abdicar do seu lar por um passado mal resolvido. Merece, claro, todo o mérito pelo esforço, reconhecido pelo Prémio Nobel. Até que ponto a sua família sofreu com a sua ausência? Eu vi há pouco tempo o filme que retrata esta mulher e todo o seu trabalho, e vi todos aqueles sentimentos a flutuar num momento de grande pressão. Gostei imenso do seu texto.

    ¬ Responder

Comentários - Aung San Suu Kyi

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dica caseira para remover manchas no rosto facilmente

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Beleza
Dica caseira para remover manchas no rosto facilmente\"Rua
Com a chegada do verão, os cuidados com a pele precisam ser intensificados. É claro que, independente da estação, os cuidados com a saúde e beleza são fundamentais. Mas, no verão, alguns problemas de pele, principalmente da face, tornam-se mais frequentes e, com isso, surgem algumas preocupações. A boa notícia é que, a maior parte dessas preocupações podem ser amenizadas ou até mesmo solucionadas com dicas caseiras de cuidado com a pele.

Logo, certos cuidados como o uso regular de bloqueador solar é importantíssimo, não só para evitar manchas no rosto e no corpo, como também, para evitar doenças graves como o temido câncer de pele. Por isso, a boa hidratação, a limpeza correta da face e o uso de cremes faciais com proteção contra os raios ultravioletas UVA e UVB não podem ser menosprezados.

Outro detalhe relevante é a escolha da alimentação. Para ter uma pele saudável e bonita é preciso evitar o uso de certos alimentos. Sabe-se que os conservantes, corantes e similares, que estão sempre presentes nos alimentos industrializados provocam alergias e outros problemas. Essas substâncias podem fazer surgir ou intensificar doenças como o melasma, aquelas manchas escuras na face. E, essas manchas são sensíveis ao calor do sol e, dependendo da pele, o tratamento exige bastante tempo e recursos financeiros para cuidados e acompanhamento dermatológico.

Mas, você pode preparar em casa uma loção para limpar a pele, reduzir ou até mesmo remover essas manchas escuras. Você vai precisar de um pêssego maduro, um pouco de hidratante facial e uma bisnaga de Bepantol, que é um creme com vitamina A.

Dicas para preparar seu creme removedor de manchas na pele:

Primeiramente, faça o creme de pêssego: é só bater no Mix o pêssego com um pouquinho de água. Para facilitar, amasse o pêssego com uma colher antes de bater no Mix. Depois, peneire a massa de pêssego para o creme ficar mais homogêneo. Em seguida, misture a terça parte da bisnaga de Bepantol ao pêssego com uma colher, preferencialmente de madeira ou de plástico. Com um algodão e com movimentos suaves, aplique a loção no rosto e deixe agir por 40 minutos. Depois lave com água abundante. Evite o uso de esfoliante porque a pele ficará muito sensível. Essa loção pode ser usada até três vezes na semana. Não use sobras de creme.

Pesquisar mais textos:

Zilma Silva

Título:Dica caseira para remover manchas no rosto facilmente

Autor:Zilma Silva(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios